Que relações de transmissão usam?

nmt

Active Member
Tudo depende do percurso. Há voltas de 120km com 3 ou 4 subidas com 200-250m de desnível (cada uma) em que podia só ter um prato à frente (com a cassete 11-28); ou seja tudo isso seria um "não assunto". Há voltas de 80km em que preciso de desmultiplicações leves.

Quando fala-se em percentagens de inclinação estamos a falar de que? Percentagens do Garmin? Rampas de "meia dúzia" de metros?
Vocês estão a falar de subidas de 10% e até parece peaners. 10% reais e durante muito tempo começa a chatear a sério. Pelo o que eu vejo no terreno não vejo malta a chegar a rampas longas de mais de 10% e a irem confortáveis. Subir lá se sobe, tipo masher a esmagar os cranks ...

Coloquem a coisa em contexto. Eu estou a falar de ter material all rounder que dê para ser um bom compromisso para tudo.
E outra coisa; chegar lá acima, fazer a subida, etc; isso é relativo. Também já subi a Serra d'Arga com um 34-23 ... duas vezes na mesma volta. O problema é que isso passa fatura no resto da volta.
E chegar ao topo e depois ficar todo arrebentado como vejo acontecer a muitos. E chegar lá acima e ter que parar, ou quando seguem ficam todos arrebentados.

Eu estou a falar de ter opções para subir com o mínimo desgaste possível, chegar lá acima e seguir viagem e fazer mais 40, 60, 80km e não andar a pagar faturas da subida. E se for preciso ainda ter gasosa para alguns esticões.

E continuo sem entender qual a vantagem dum crank 52/36. Até hoje não apanhei ninguém que me descarregasse em plano. E se assim acontecer (pois não sou nada demais) é por falta de pernas não é por falta de desmultiplicação.
Isso é bem verdade. Sempre que vou a S. Bento das Peras (já subi com cassete 11-25 e 12-28) não há subida que depois não seja um caso sério. Normalmente no regresso subo a serra do Relógio e custa bem a subir. Se só for a Vizela o Relógio não custa nada. É também verdade que subo mais depressa com cassete 12-28 que com cassete 11-25, possivelmente com 11-32 ainda melhorarei o tempo de subida. O segmento é este: https://www.strava.com/segments/1295256
Mas até em segmentos curtos como este: https://www.strava.com/segments/4747584 deve fazer bem jeito
 

GMQ

Well-Known Member
Concordo com o DMA. Não é À toa que se criou o conceito compacto de pedaleira o qual foi pensado para os amadores como nós. Que é óptimo para subir e rolar. É óbvio se formos atrás de que tem um 53 e para alem disso pernas, vamos passar mal. Fora disso dá para safar. Agora é preciso entender melhor forma de atacar uma subida e o tipo de subida. Eu prefiro o spinning ao smashing. Aquilo de ir ali à homem como muitos dizem para mim não funciona. já tentei subir na pedaleira grande mesmo subiditas e não consigo. Abraço
 

DMA

Well-Known Member
Já disse aqui n vezes. Se houvessem cranks 48/32 "banalizados" eram uma excelente opção para a maioria da malta (em conjunto com um 11-28 ou 11-30).

E muita gente iria ficar espantada quando fosse descarregada em plano ou terreno com pequenos topos por malta com esses cranks ...
 

nmt

Active Member
Lol.Eu tenho 32-11 mas é na gordita. Ainda estou para estreá-la que o tempo tem sido mais dedicado à magrela.
Nas bikes de BTT (ambas de 10v) tenho cassetes 11-36. Se na de XC, com pratos 38-24 chega bem, na de Trail, com pratos 36-24 por vezes bem gostava de ter um cog maior. Quando trocar a cassete o mais certo é colocar uma 11-40...
 

GMQ

Well-Known Member
tenho k7 11-42 e 32 na frente. Ainda não o experimentei para ver como se comporta a rolar porque para subir dá de certeza. Aderi agora à moda do mono prato. Tenho duvidas com a velocidade rolante em alcatrão, mas também não estou preocupado. Abraço
 
Concordo com o DMA. Não é À toa que se criou o conceito compacto de pedaleira o qual foi pensado para os amadores como nós. Que é óptimo para subir e rolar. É óbvio se formos atrás de que tem um 53 e para alem disso pernas, vamos passar mal. Fora disso dá para safar. Agora é preciso entender melhor forma de atacar uma subida e o tipo de subida. Eu prefiro o spinning ao smashing. Aquilo de ir ali à homem como muitos dizem para mim não funciona. já tentei subir na pedaleira grande mesmo subiditas e não consigo. Abraço
Penso que ninguém é descarregado por falta de multiplicação com um 50 ou 52 comparativamente a um 53. Só mesmo por falta de pernas ou num sprint de meio fundo. Até nas descidas o peso do ciclista e a técnica é que faz descarregar o outro e não a desmultiplicação.
 

LUCAS

Well-Known Member
Se for em descida nota-se a diferença no prato grande.... Em sprint é complicado esgotar mas consegues ter um arranque superior se tiveres mais dentes no pedaleiro pois exerce mais força na dianteira da bike é diferente...
Agora em jeito de conclusão e como ainda não foi aqui referido, basta meter um pedaleiro triplo para se ter o melhor dos 2 mundos :cool:;);)
PS: As senhoras que não leiam, mas homem que é homem é sempre 3 pratos :D:D
 
Mete-te lá ao lado de um pró à portuguesa com 53x11 e tu com um 50 x12 consegues consegues... Eu não consigo, e se calhar é por falta de pernas... lol Abraço
Mas acho que é porque tem claramente mais pernas. Para estar com 53x11 a rolar e com uma cadência decente é porque está claramente à morte, nem um PRO ou uma gajo qualquer com qualidade razoável, não têm capacidade para andar com uma multiplicação dessas muito tempo sem ser em condições favoráveis. Condições favoráveis digo vento a ajudar, descida...

E digo que se calhar com 50/11 consegues sprintar tal como um gajo com 53/11, um pouco mais de cadência e resolve-se o problema. Claro que para um gajo tipo Kittel 53/11 é pouco para um sprint a alta velocidade, ficaria limitado, tal como um João Moreira ficaria limitado num sprint com 50/11, mas não é por aí que nunca mais o vais ver, desde que tenhas pernas até acho que um 50/34 dá para tudo dentro das nossas limitações, tal como um 52/36. Eu por exemplo dou por mim muitas vezes a usar o 36/15 ou 36/14, para ter uma cadência mais pesada a subir, o que equivale a alguém estar a usar o 39/19 salvo seja , etc...
 
Eu actualmente uso em estrada 52/36, 11/25 e posso afirmar que para quem é pesado e passa mal as subidas é um suplicio. É uma relação extremamente pesada, onde em subidas duras é muito difícil, se não impossível, fazer cadência. Mas como era a relação que vinha de origem na bicicleta, resta-me sofrer a utiliza-la.
A próxima montada já trará uma relação mais indicada para mim, 50/34 e 11/32.
Na de Btt utilizo 34 e 11/46, que é uma relação excelente, só estando um pouco limitado quando rolas ou desces, pois acima dos 40kmh já vais a pedalar em "seco"-
Já utilizei em estrada 50/34 e 11/28 e a meu ver é suficiente para quase tudo, passas minimamente bem em qualquer subida e a rolar não ficas para trás, só esgotando em descidas muito pronunciadas, o que acontece muito raramente.
Claro que isto se aplica em vulgares utilizadores de bicicleta, no mundo da prozada não opino, pois nunca por lá passei!!
 

GMQ

Well-Known Member
Mas acho que é porque tem claramente mais pernas. Para estar com 53x11 a rolar e com uma cadência decente é porque está claramente à morte, nem um PRO ou uma gajo qualquer com qualidade razoável, não têm capacidade para andar com uma multiplicação dessas muito tempo sem ser em condições favoráveis. Condições favoráveis digo vento a ajudar, descida...

E digo que se calhar com 50/11 consegues sprintar tal como um gajo com 53/11, um pouco mais de cadência e resolve-se o problema. Claro que para um gajo tipo Kittel 53/11 é pouco para um sprint a alta velocidade, ficaria limitado, tal como um João Moreira ficaria limitado num sprint com 50/11, mas não é por aí que nunca mais o vais ver, desde que tenhas pernas até acho que um 50/34 dá para tudo dentro das nossas limitações, tal como um 52/36. Eu por exemplo dou por mim muitas vezes a usar o 36/15 ou 36/14, para ter uma cadência mais pesada a subir, o que equivale a alguém estar a usar o 39/19 salvo seja , etc...
Estava a fazer séries. Mas não é termo de comparação para mim que sou muito fraquito. Mesmo assim tenho dúvidas que dois prós um com 50 e outro com 53 e k7 iguais, o que leva 50 consigo bater-se de igual com o que leva 53. Seja por um curto ou longo período de tempo. Abraço
 
Mesmo assim tenho dúvidas que dois prós um com 50 e outro com 53 e k7 iguais, o que leva 50 consigo bater-se de igual com o que leva 53. Seja por um curto ou longo período de tempo. Abraço
Acho que:

Em Sprint seguramente que o 53 leva avanço.

A descer ...... o 53 pode levar um pequeno avanço de início, mas a partir daí ganha o mais pesado.
 
À uns tempos atrás já coloquei por aqui um percurso com partida e chegada em Alenquer

75kms com 1685 de acumulado, subida ao Montejunto por Vila Verde descida por Abrigada,

Ainda tem mais uns pequenos "rebuçados" ao inicio e ao fim

Mas a tentar fugir a nacionais e sempre com pouco transito

https://www.strava.com/routes/10626802
Se alguém quiser fazer este percurso (ou muito semelhante) no domingo a ritmo soft (menos de 4h) é bem vindo :)
 
Se for em descida nota-se a diferença no prato grande.... Em sprint é complicado esgotar mas consegues ter um arranque superior se tiveres mais dentes no pedaleiro pois exerce mais força na dianteira da bike é diferente...
Agora em jeito de conclusão e como ainda não foi aqui referido, basta meter um pedaleiro triplo para se ter o melhor dos 2 mundos :cool:;);)
PS: As senhoras que não leiam, mas homem que é homem é sempre 3 pratos :D:D

Ora, finalmente já me posso pronunciar :D Eu tenho 30x42x52...
 

Zei

Active Member
Se alguém quiser fazer este percurso (ou muito semelhante) no domingo a ritmo soft (menos de 4h) é bem vindo :)
Bem que gostaria, mas vou estar ocupado. Pode ser que se repita e eu tenha sorte. Já agora e apesar de ser off topic, como se consegue retirar a rota para um ficheiro não sendo cliente premium?
A minha transmissão é de 50x34 11x32
 
Bem que gostaria, mas vou estar ocupado. Pode ser que se repita e eu tenha sorte. Já agora e apesar de ser off topic, como se consegue retirar a rota para um ficheiro não sendo cliente premium?
A minha transmissão é de 50x34 11x32
Só sei quando é uma actividade (não sendo premium), basta ires à actividade, opções, criar rota, e depois de gravares exportares

Agora directamente nas rotas não sei, eu tenho a opção exportar gpx porque é a minha.

Mas se quiseres envia-me o teu email por MP e eu envio o GPX sem problema
 

RTC

Moderador
Staff member
Se alguém quiser fazer este percurso (ou muito semelhante) no domingo a ritmo soft (menos de 4h) é bem vindo :)
Não és de muito longe e até ia contigo mas não me está a apetecer subir. :p
E a sair de casa de bike, fica uma volta muito grande para mim.
Se mudares de ideias, diz qq coisa.