Cães vadios... O que fazer?

Por acaso só m3 deparei 2x com cães:
uma vez no final de uma descida... o pior é que o gajo viu-me ao longe e começou logo a correr. Fui travando e a única solução foi mesmo afastá-lo com o pé (um perigo, fazer isto).

No outro dia... Apareceu um cão e mais uma vez começou a correr na minha direção. Tentei desviar-me dele, mas sem sucesso... E meti-me logo em contra-mão!! :| ao tentar fugir acabei por ir passando para a outra faixa. Felizmente o bolinhas correu ao meu lado e só queria umas festas, mas mal vi que lhe estava a ganhar vantagem, armei-me em Peter Sagan e venci a meta rolante!!! muahahahahah
 
Já perdi a conta ao número de vezes que tive um "encontro imediato" (mas sem contacto físico) com cães. E só numa delas é que eu tive culpa porque entrei conscientemente em propriedade privada. Tudo o resto é na via pública. Fiz queixa às forças policias locais da presença de animais soltos e agressivos e nem uma resposta automática recebi.... :mad:
Convém referir que evito voltar a passar no mesmo sítio, por isso não posso dizer com certeza que a situação foi ou não regularizada.
 
O pior que me aconteceu foi agora no final de Dezembro, no mato, apanhar por duas vezes os mesmo três cães que estavam com o pastor a cuidar das suas ovelhas. Vieram atrás de mim, e a única solução alí era fugir, e foi o que fiz. Adrenalina e motivação no máximo xD
Estes sim são perigosos: Cães de rebanho ou caça grande.

O cão de rebanho não permite a entrada (seja pessoa, bicicleta, carro) no perímetro de segurança do rebanho. E o cão de caça grossa só termina o "drive" com a eliminação/imobilização da peça de caça. No teu caso fizeste bem em fugir porque estavas a sair do perímetro de segurança. Certamente que os cães a determinado tempo deixaram de ter perseguir, mas não por estarem cansados (um cão médio consegue correr a mais de 30 km/h durante muitos e muitos minutos). Simplesmente porque estavas fora do perímetro de segurança do rebanho, deixaste de ser ameaça. Se mais logo te vissem no café, nem te ligavam... e minutos antes estariam dispostos a despedaçar-te.

Tudo o resto é cão que é motivado pela "fuga" da bicicleta. Se pararem a bicicleta, o cão pode ficar ali a ladrar mas não ataca. Não têm "drive". O mondioring (Ring Francês, Ring Belga, K.N.P.V, etc.) assenta exactamente neste "drive" inerente aos cães (que é diferente de outros predadores como os felinos).
 
Fui travando e a única solução foi mesmo afastá-lo com o pé (um perigo, fazer isto)
Isso é um grande erro!!!! o cão até pode ir com o focinho a tocar-te na perna (raro) mas daí a morder é uma grande distância. Quando respondes (palmada, pontapé) automaticamente estás a obrigar o cão a evoluir o seu estado de agressividade e entrar no espaço dele (sim, eu sei que ele entrou primeiro no teu... mas ele é que tem dentes). Isso pode levar de um mero ladrar acompanhando a bicicleta para um arrenhar de dentes...

Se estiver com os lábios superiores levantados (o chamado arreganhar os dentes), então deves abrandar e desmontar (sempre para o lado onde ele não está), pousares a bicicleta e afastares 1 ou 2 metros. Ele pode ficar ali, até mesmo continuar a rosnar e ladrar, mas não lhes dás estímulo para o ataque (mordida). Em todo o caso nunca recues, nunca avances e nunca olhes nos olhos (é desafio). Se perceberes que é "cão que ladra mas não avança", então dá um passo em direcção a ele. Se a cauda baixar um pouco, podes montar e seguir caminho. Se a cauda não baixar nada (ficar rígida, imóvel ou abanar ligeiramente e lentamente mas sempre para cima) então fica mais um pouco ali parado, vira-te de lado (menor dimensão) e tira o capacete e óculos (normalmente, esta alteração da figura humana é significativa para o cão).
 
Já perdi a conta ao número de vezes que tive um "encontro imediato" (mas sem contacto físico) com cães. E só numa delas é que eu tive culpa porque entrei conscientemente em propriedade privada. Tudo o resto é na via pública. Fiz queixa às forças policias locais da presença de animais soltos e agressivos e nem uma resposta automática recebi.... :mad:
Convém referir que evito voltar a passar no mesmo sítio, por isso não posso dizer com certeza que a situação foi ou não regularizada.
E certamente que muitos desses cães têm dono...

experimente escrever essa queixa ao deputado do PAN :p:p
 
ehehe que falta de sorte..se tens que passar todos os dias :D Olha, eu quando avisto um com ar de interessado pego na botija na mão... se o vir a virar-se a mim mando um jatozito de água fogem que nem doidos :p Pensam que estão a ser mordidos!! :D Se o Cão não for para morder foge logo. Se for mesmo para morder se calhar já te tinha feito.
esse é um excelente truque para a maioria dos cães. A água (movimento e toque) reduz em muito o drive dos cães. Claro que de todos aqueles que não querem realmente vir morder (que serão a larguíssima maioria). Mas nunca ameaçar com atirar o bidon em si, porque isso pode levar a que ele se afaste momentaneamente mas a seguir volte com maior drive (é o mesmo que fingir atirar a pedra).
 

kostaviks

Well-Known Member
@Bianchi, grandes dicas. É conhecedor dos nossos amigos de 4 patas. Tenho 5 cães e confesso que adoraria ter mais conhecimento de forma a poder educar melhor cada um deles, ainda que sejam bem comportados;)

Abraço
 
@Bianchi[/USER], grandes dicas. É conhecedor dos nossos amigos de 4 patas. Tenho 5 cães e confesso que adoraria ter mais conhecimento de forma a poder educar melhor cada um deles, ainda que sejam bem comportados;)
Infelizmente agora só tenho um. Mas para o ano isso irá mudar assim espero
Há 15 anos morria de medo de cães. Entretanto já fui assistente de mondioring :)

E claro, bem comportados. Infelizmente a maior parte dos donos de cães não lhes dão a devida educação e depois têm problemas. Especialemnte quando vemos caes de grande drive como os bull, os pits, os belgas ou os australianos nas mãos de pessoas perfeitamente inertes... são riscos em potência.

E cães com peitoral? Então os de tracção é só rir. E depois os donos dizem que eles puxam no passeio... :rolleyes:. Enfim, amam tanto os animais que esquecem que são animais e precisam de respeito como animais que são...
 
Isso é um grande erro!!!! o cão até pode ir com o focinho a tocar-te na perna (raro) mas daí a morder é uma grande distância. Quando respondes (palmada, pontapé) automaticamente estás a obrigar o cão a evoluir o seu estado de agressividade e entrar no espaço dele (sim, eu sei que ele entrou primeiro no teu... mas ele é que tem dentes). Isso pode levar de um mero ladrar acompanhando a bicicleta para um arrenhar de dentes...

Se estiver com os lábios superiores levantados (o chamado arreganhar os dentes), então deves abrandar e desmontar (sempre para o lado onde ele não está), pousares a bicicleta e afastares 1 ou 2 metros. Ele pode ficar ali, até mesmo continuar a rosnar e ladrar, mas não lhes dás estímulo para o ataque (mordida). Em todo o caso nunca recues, nunca avances e nunca olhes nos olhos (é desafio). Se perceberes que é "cão que ladra mas não avança", então dá um passo em direcção a ele. Se a cauda baixar um pouco, podes montar e seguir caminho. Se a cauda não baixar nada (ficar rígida, imóvel ou abanar ligeiramente e lentamente mas sempre para cima) então fica mais um pouco ali parado, vira-te de lado (menor dimensão) e tira o capacete e óculos (normalmente, esta alteração da figura humana é significativa para o cão).
Epá, muito muito obrigado @Bianchi!!!
Não fazia a mínima ideia do que me disseste, e vou ter que deixar esta tua nota em algum lado, pois de facto merece que seja compreendida para situações futuras! :)

O que disseste mais abaixo... Eu penso que alguma parte do pessoal só quer o cão para ter em casa, "para guardar". E nesse caso quanto mais agressivo for, melhor "mais guarda". Falo por mim, que tive uma cadela desde pequena, e foi o inferno. Ela saía de casa disparada e até aos carros ladrava. Crianças e adultos (homens ou mulheres), ia tudo. Nunca mordeu, mas ladrava. Nunca conheci ninguém que lhe fizesse frente. Contudo para nós... Um doce :D e muito tímida, não era de se dar muito com pessoas que não conhecia. Resultado: tivemos que a dar a uma pessoa com uma quinta (vim a saber que matou gado entretanto)...
Se fosse hoje, teria tentado educá-la. Na minha opinião são raras as pessoas que sabem educar um cão, e depois não estão para aprender.
 
Ainda hoje na volta encontramos a famosa motivação, entenda-se cão, e a subir! o_O

O pessoal nunca fez aquela subida como hoje, por sinal o cão era bastante agressivo. Parou +/- quando um colega meu lhe refrescou as ideias com um pouco de água, mas mesmo assim só abrandou ainda veio mais um bocado a mandar vir (ladrar). :p
 

kostaviks

Well-Known Member
Infelizmente agora só tenho um. Mas para o ano isso irá mudar assim espero
Há 15 anos morria de medo de cães. Entretanto já fui assistente de mondioring :)

E claro, bem comportados. Infelizmente a maior parte dos donos de cães não lhes dão a devida educação e depois têm problemas. Especialemnte quando vemos caes de grande drive como os bull, os pits, os belgas ou os australianos nas mãos de pessoas perfeitamente inertes... são riscos em potência.

E cães com peitoral? Então os de tracção é só rir. E depois os donos dizem que eles puxam no passeio... :rolleyes:. Enfim, amam tanto os animais que esquecem que são animais e precisam de respeito como animais que são...
Felizmente os meus puxam pouco... são todos chihuahua :D
 
Felizmente os meus puxam pouco... são todos chihuahua :D
Acredita que são dos mais difíceis de educar, principalmente por culpa dos donos :p. A lógica do "é tao pequenino...". Por exemplo, nunca viste um chi com coleira estranguladora pois não?

Só fui realmente mordido duas vezes: uma por um chihuahua e outra vez por um cão de água: duas raças tipicamente inofensivas.
E quando trabalho com cães é praticamente só com considerados como "potencialmente perigosos" e com outras raças de mordida (cães pastores, mastins, cane corso, pitts, dobers, rotts, etc.).
 

petrix

Well-Known Member
Ainda hoje na volta encontramos a famosa motivação, entenda-se cão, e a subir! o_O

O pessoal nunca fez aquela subida como hoje, por sinal o cão era bastante agressivo. Parou +/- quando um colega meu lhe refrescou as ideias com um pouco de água, mas mesmo assim só abrandou ainda veio mais um bocado a mandar vir (ladrar). :p
Eu quando encontro um cão a subir com intenções de morder, desmonto e coloco a bike entre mim e ele... uma vez foram 3 cães :( e ainda por cima fiquei do lado de uma ribanceira... depois a coisa lá vai acalmando e vou saindo de fininho. :p
 

ruilebs

Well-Known Member
Sim, mas sem os efeitos nocivos do gás pimenta. Este só cheira a citronela. Também deve ser bom para afastar mosquitos.
que efeitos nocivos?
é que entre eu malhar e ficar sem dentes ou com um braço em pedaços, e haver consequências pro cão que me vem atacar... que me perdoem os defensores dos animais.
 

ruilebs

Well-Known Member
E quem é que já teve alguma aventura com javalis na estrada? Eu já fui quase atingido por um de noite, ia a descer nas horas... tive uma sorte do caraças. Quanto aos cães, já tive aqui oportunidade de o dizer que utilizo um afugentador ultra-sónico de cães e eles não se aproximam. Há carteiros que utilizam devido a entregarem correspondência em locais onde existem muitos cães e deixaram de ter problemas.
tens link disso?
 

jpacheco

Moderador
Staff member
depois a coisa lá vai acalmando e vou saindo de fininho. :p
de fininho e a fazer "choc, choc, choc..." Fora de brincadeiras, em matilha é complicado :/

Eu quando sinto uma ameaça dessas pela frente, só de saber que é uma ameaça fico receoso, mas automaticamente transformo esse receio em força e tento ignorar o bichu. Eles sentem estas coisas.
 
Por alguma razão há cães que não se dão lá muito bem com bicicletas e têm vocação para perseguir afoitos ciclistas. Talvez seja apenas para sacudir as pulgas, querem dar ao dente num rechonchudo tornozelo, ou porque se sentem intimidados pela bicicleta, o facto é que por vezes cães e bicicletas não combinam. Posso dizer até já possuir alguma experiência na temática como escapar aos pulguentos, mas das vezes que me dei mal foi quando, por duas ocasiões espaçadas por décadas, atropelei cães que decidiram atravessar a rua mesmo à minha frente, saindo do meio de carros estacionados.

Caso algum cão vadio se intrometa no nosso caminho deveremos ter sempre alguns truques na manga que já aqui foram abordados, mas acho que o principal é não demonstrar medo aos caninos. Parar e desmontar da bicla intimida-os e assim eles já não mostram tanta coragem. Ladram um pouquinho e vão embora, provavelmente a rosnar algo do género: “Olha, este não quer brincar!”. Mas caso os vira-latas sejam daqueles que não desistem facilmente e exibem os caninos bem pertinho do nosso tornozelo, resta-nos antecipar uma vigorosa pedalada, sacar do bidon e esguichar um pouco de água no focinho, na esperança de os ver ficar para trás.

Uma tarde no regresso de trabalho tive um episódio engraçado. Já perto de casa, dou de caras com um audaz e eriçado rafeiro. O jeco aparece do nada, direito a mim a ladrar e nisto pára como que a desafira-me para uma corridinha. Parei e dei-lhe trela ao desafio, apenas lhe pedi para esperar um pouquinho, para preparar a minha teleobjectiva telefónica. Depois arranco e lado a lado, eu na ciclovia e ele no relvado, fizemos um pequeno jogo entre o rato... bem, neste caso entre o cão e o gato, que resultou num grande divertimento e nas fotos para vos mostro de seguida: É que, às vezes, o que eles querem é simplesmente brincar.







Tenho uma a teoria que poderá explicar os cães correrem atrás das bicicletas: Cá para mim o que os move são os ciúmes, porque em todo o caso a bicicleta rivaliza com eles, na qualidade de melhor amiga do homem.