Cães vadios... O que fazer?

#42
Já fui perseguido por "caganitas" barulhentas...
Já fui perseguido por um Serra da Estrela três vezes e depois avisei o dono de que ia chamar a polícia, depois disso nunca mais vi o cão.
Já fui atacado por um pastor alemão e um lavrador, felizmente sem consequências porque os donos intervieram logo. a técnica usada foi a bicicleta entre mim e eles, mas asseguro-vos que é uma solução eficaz apenas para um curto espaço de tempo.
Já me cruzei com uma matilha de cães selvagens e a minha sorte foi que grande parte do grupo estava a alimentar-se de um animal qualquer que tinham acabado de matar.
Já fui perseguido por um pastor alemão num treino de madrugada e nem cinco minutos depois de ter fugido deste, tive outra descarga de adrenalina com dois lavradores a mostrarem-me as mandíbulas. A adrenalina foi tanta e a vontade de pedalar, que só para aí dois km's à frente é que me apercebi que tinha o pneu de trás furado.

Confesso que quando me cruzo com animais em ambiente urbano, não me preocupo muito muito, pois com um berro normalmente aparecem os donos para os controlarem. Mas quando ando sozinho por essas serras fora, aí tenho os meus receios e confesso que numa situação parecida com a do video mais acima, nem que sejam cães de médio porte ou até pequenos, se um deles resolver atacar... estamos fod...

foste atacado por um Labrador? tens a certeza que foste atacado? é que nao consigo imaginar um labrador atacar uma pessoa sem ser para dar festas
 
#43
uma coisa que ja reparei é que os animais de uma forma geral nao gostam do barulho da roda livre. Aqui pelas minhas bandas há de tudo um pouco na estrada e se condinuarmos a dar ao pedal devagarinho a reacao é bem diferente
 
#45
Atenção que um dos poucos cães que mordeu no tipo que faz o programa "O encantador de cães", foi um labrador....heheheheheh
pa eu tive um golden retriever e nunca vi cao mais submisso. e quem fala de Labradores fala de todos os Retrievers.

Sinceramente se alguem decidisse assaltar minha casa o unico perigo que o cao representava era fazer uma festa tao grande ao ladrao que iam perceber que estava alguem dentro de casa.

Desculpem mas um Retriever a morder seja quem for eu nao acredito.
 
#46
ora bem

primeiro eutanásia nos donos dos cães "abandonados" e depois que me desculpem os acérrimos defensores dos animais, abate com todos eles.

já tive mais que muitas experiências com os ditos bichanos e com os cães também, desde atritos com os donos que deixam os animais soltos, quedas e depois o animal não é de ninguém

por 2 vezes aqui em Gondomar quase era atropelado ao tentar fugir a dois cães, apresentei queixa na policia municipal e adivinhem, ainda por cá andam.

faço muitas vezes o trajecto casa-trabalho-casa e posso assegurar-vos que quase todos os dias desmonto da bike para não ser mordido
 

lgass

Well-Known Member
#47
pa eu tive um golden retriever e nunca vi cao mais submisso. e quem fala de Labradores fala de todos os Retrievers.

Sinceramente se alguem decidisse assaltar minha casa o unico perigo que o cao representava era fazer uma festa tao grande ao ladrao que iam perceber que estava alguem dentro de casa.

Desculpem mas um Retriever a morder seja quem for eu nao acredito.
os cães, se for para proteger algo que valorizam fazem tudo... por isso são tão leais. eu acredito que o cão nunca nos morde, independentemente da raça, a não ser que:
1 - este já ensinado para isso e aí a besta é o dono
2 - a pessoa esteja a pisar a linha... mas antes disso, ele já o terá demonstrado!

o problema é que na bike ele não tem tempo para mostrar que podemos estar a pisar a linha... e as bikes fazem-lhes confusão à cabeça, sem dúvida :p
 
#48
pa eu tive um golden retriever e nunca vi cao mais submisso. e quem fala de Labradores fala de todos os Retrievers.

Sinceramente se alguem decidisse assaltar minha casa o unico perigo que o cao representava era fazer uma festa tao grande ao ladrao que iam perceber que estava alguem dentro de casa.

Desculpem mas um Retriever a morder seja quem for eu nao acredito.
Já fui mordido por um mesmo à "porta" de casa, curiosamente quando chegava de bicicleta. Cravou-me os dentes na coxa resultando num belo picotado :cool: Estava lusco-fusco, a estrada onde passei era mal iluminada e mesmo ao lado do terreno onde estavam os cães (soltos). Nem fazia ideia que as pessoas que viviam aí tinham cães pois nunca os tinha visto. Os dois labradores precipitaram-se em direcção a mim e um deles sentiu necessidade de me morder :p Instinto protector, talvez.

Sem me alongar mais, acabei por falar com o dono dos cães que compreendeu perfeitamente a situação e os ditos cujos deixaram de estar à solta naquele espaço. Qualquer cão pode morder seja ele um Salsicha lol ou um Labrador. Depende da educação que se dá aos cães...
 
#49
Há uns anos, enquanto fazia btt por uma rota desconhecida, tive um encontro com dois cães que quase me chegavam pelo cintura. Como instinto natural aos seus ares ferozes, eu e o meu colega fugimos o mais depressa que pudemos. Entretanto já corriam atrás de nós há pelo menos 2km e o meu colega começou a ficar cansado. Decidimos parar, protegendo-nos com a bike e não é que os animais começaram a abanar o rabo todos felizes da vida!?
No final ainda deu para dar ums festas ;)

Já tive mais encontros com cães, mas felizmente correu sempre bem.
 
#50
A minha única experiência com cães foi em 1982, quando pedalava sem luzes de Troia para Grândola às 11 da noite, apenas com a luz do luar. Eu e os dois companheiros fomos atacados por uma matilha que nos ouviu e veio a correr lá do monte para nos comer. Não os contei mas eram pelo menos meia dúzia. A solução foi meter a quinta (na altura só tinha 5 carretos) e pedalar desalmadamente até ouvir o ladrar bem longe. Quando parámos estávamos afastados uns dos outros umas boas dezenas de metros. Grande cagaço. Depois fomos dormir nos sacos de cama num sítio fofinho que cheirava levemente a queimado. De manhã, com o orvalho e a cinza, estavamos todos cinzentos. Tinha havido um incêndio. Enfim... Coisas de putos.
 

open

Active Member
#51
A minha única experiência com cães foi em 1982, quando pedalava sem luzes de Troia para Grândola às 11 da noite, apenas com a luz do luar. Eu e os dois companheiros fomos atacados por uma matilha que nos ouviu e veio a correr lá do monte para nos comer. Não os contei mas eram pelo menos meia dúzia. A solução foi meter a quinta (na altura só tinha 5 carretos) e pedalar desalmadamente até ouvir o ladrar bem longe. Quando parámos estávamos afastados uns dos outros umas boas dezenas de metros. Grande cagaço. Depois fomos dormir nos sacos de cama num sítio fofinho que cheirava levemente a queimado. De manhã, com o orvalho e a cinza, estavamos todos cinzentos. Tinha havido um incêndio. Enfim... Coisas de putos.

só de ler este post já me ri para o dia inteiro!!! Grande aventura!
 
#52
Faltou dizer que no outro dia às 7 de manhã tomámos o pequeno almoço numa tasca de grândola, onde estava um sr. a beber meio copo de vinho com um café lá dentro e que pedalámos cinzentos até mértola, onde finalmente tomámos um banho de rio, antes de nos fazermos à subida para as minas de são domingos.
 
#54
A minha única experiência com cães foi em 1982, quando pedalava sem luzes de Troia para Grândola às 11 da noite, apenas com a luz do luar. Eu e os dois companheiros fomos atacados por uma matilha que nos ouviu e veio a correr lá do monte para nos comer. Não os contei mas eram pelo menos meia dúzia. A solução foi meter a quinta (na altura só tinha 5 carretos) e pedalar desalmadamente até ouvir o ladrar bem longe. Quando parámos estávamos afastados uns dos outros umas boas dezenas de metros. Grande cagaço. Depois fomos dormir nos sacos de cama num sítio fofinho que cheirava levemente a queimado. De manhã, com o orvalho e a cinza, estavamos todos cinzentos. Tinha havido um incêndio. Enfim... Coisas de putos.
iam era para o carvalhal. deviam vir do barreiro ;)
que maravilha! :D

boa semana.
 

ruilebs

Well-Known Member
#55
Preocupa-me seriamente este tema, não só porque por natureza já tenho algum "respeito" a cães, como tive há dias uma experiência do caraças.
Vinha sozinho de noite pela EN318 (entre Árvore/Vila do Conde e o cruzamento da carriça na EN14) onde há vários troços não iluminados. Numa subida ainda por cima, saem me dois cães de um monte, atrás de mim feitos loucos... fooooonix, foram as pernas q tive e as pernas q n tive. Eles acabaram por desistir mas fiquei todo borradinho.
E, claro, fui todo o restante caminho a speedar, até à N14 (mais iluminada) a pensar na possibilidade de ter outra cena daquelas.

Foi uma lição. Além de ter q evitar situações como aquela (sozinho, local que nunca tinha passado, de noite, zona sem iluminação,...), os cães já percebi q é algo imponderável.
Estou seriamente a pensar arranjar "a dita latinha" proibida cá.
 

gfrmartins

Well-Known Member
#56
Ainda hoje tive que andar a fugir de um (BTT) quinta com os caes todos soltos e portões abertos e quem quiser que fuja até acontecer algo grave.

Sugestões:

- Tentar antecipar problemas tendo em conta o comportamento dos caes
- Bidon de agua em punho e preparado para esguinjar
- Usar a bike como escudo
- Fazer uso da sola de carbono e cleats (não gosto mas de não houver outra opção)