Vintage - aço/steel/acier/acciaio/acero

Bruso

Well-Known Member
E que belo museu que terás aí. Deve ser um dilema quando decides ir comprar pão :D

Acabei por vender a minha Peugeot. Não lhe estava a dar uso e como só tenho espaço, dentro de casa, para uma bicicleta foi a única opção . Acabei por vender ao dobro do preço que comprei portanto não há ressentimentos.
 
Já agora, aqui vão as minhas do aço: ;)

MASIL (Recer/Boavista) em Columbus SL, Full Shimano Dura Ace 7410 (cubos, full transmissão e travões)
Pertenceu ao ciclista C.Carneiro. Penso eu de que foi uma das bicicletas que "ajudou" a Recer/Boavista a ganhar a Geral Colectiva da Volta em 1997. Info ainda por confirmar.


ALTIS "don't wannabe"
Desta nunca descobri grande coisa. Foi mais para passar o tempo. ;) Gosto particularmente do sistema de aperto do espigão, com o parafuso que aperta as escoras. Nunca antes tinha visto numa Altis.
 
Já agora, aqui vão as minhas do aço: ;)

MASIL (Recer/Boavista) em Columbus SL, Full Shimano Dura Ace 7410 (cubos, full transmissão e travões)
Pertenceu ao ciclista C.Carneiro. Penso eu de que foi uma das bicicletas que "ajudou" a Recer/Boavista a ganhar a Geral Colectiva da Volta em 1997. Info ainda por confirmar.


ALTIS "don't wannabe"
Desta nunca descobri grande coisa. Foi mais para passar o tempo. ;) Gosto particularmente do sistema de aperto do espigão, com o parafuso que aperta as escoras. Nunca antes tinha visto numa Altis.
Afinal elas andam por aí escondidas...:)

Belas máquinas que aí tens ;) Lembro-me dessas Masil e está impecável. Compraste-a directamente na "fonte" ou andava por aí nos classificados? Quanto a essa Altis, curiosa essa configuração, com esse tipo de guiador e cassete de 9/10 (?). Mandaste pintar o quadro, certo?
 
O aço é uma paixão!

A Masil arranjei-a nos classificados. Foi uma bacatela!! Se eu disser quanto dei por ela cortavas os pulsos! ;) Arranjei-a vai fazer agora 5 anos.

A Altis foi uma brincadeira! É a minha citadina durante o Verão e bicicleta de turbo trainer no Inverno. É a bike de guerra!
Está equipada a Shimano 600, portanto 8 velocidades. Neste momento encontra-se com pedaleira Miche compacta e Drop bar.
O quadro foi eu mesmo que tratei dele. Portanto, o quadro não tem nada!! Só verniz nos lugs (adoro lugs!!) para não enferrujar nessas zonas críticas. A ideia é que começasse a ganhar o aspecto ferrugem/patina nos tubos. Essa foto foi no inicio. Neste momento, 4 anos depois acho que está a precisar de novo tratamento. Muito em breve vou voltar a lixar tudo e passar Frame Saver. Talvez ganhe uma cor nova desta vez! ;) Estou a pensar num rosa fluorescente! ;)

 
Aproveitando a aparição de um quadro à minha medida, tubo Reynolds 531 e forqueta Vitus 888, meti-me na aventura de montar uma bicicleta: para me divertir com uma coisa simples, ir ao pão, atafulhar a arrecadação, para o que realmente importa, dar umas voltas. Aos poucos fui juntando uma mixórdia de peças velhas a estrear e outras novas. A simplicidade funcional com que pedalamos e nos deparamos com uma dificuldade, é deveras motivante. Para quem gosta disto e já tinha uma speed, resolvi dar um toque mais "psyco" à modalidade e nasceu esta single speed Alteza, marca da histórica casa tripeira Velo Invicta Cycles, aka, Capas Peneda.



Nisto, e sem estar minimamente a contar, apareceu um bom negócio. Vai daí, juntei uma MILF ao harém. Uma clássica da Cosmos, um rebuçado recheado a Campagnolo que me levou pelo espaço cósmico de grandes experiências. Não sabendo muito da sua história, aquela bicicleta foi tendo direito a muitos mimos, tudo com o intuito de a manter bela e mais cómoda. Alargou as ancas, ganhou uns quilitos e aquele efeito randonneur. Transformei-a na minha bicla do dia-a-dia.



Mas, um dia, a nossa alegria teve um desfecho aparatoso. Num encontro imediato com o para-choques de um carro, a sua elegante tubagem Ishiwata cedeu ao impacto e partiu-se em dois. Eu tive mais sorte.



Uma das muitas coisas agradáveis deste mundo das bicicletas é que vamos conhecendo pessoas interessantes. Pessoas de quem ficamos amigos, com quem vamos partilhando pedaladas. Artífices que fazem das biclas autênticas obras de arte. Após o acidente que danificou irreparavelmente a Cosmos, fiquei com um monte de componentes à espera de um quadro. E não tardou a aparecer um, bem à minha medida: aço Reynolds 531, forqueta Tange, pintura elegante e com acabamentos magníficos. A Cosmos foi reconstruída com uma nova marca, a iNBiCLA.



As bicicletas são um bom exemplo de projecto criativo e objecto de restauro. Nascem na habilidade de conjugar peças, novas ou recicladas, para criar novas bicicletas. Os elementos básicos e funcionais de uma bicicleta seduzem-nos a aprender, a entender como manter em uso esta máquina surpreendente. São como o aço.
 
Bruno, essa Altis ficou mesmo com muito bom aspecto e enganou-me bem na primeira foto. Primeiro enganou-me quanto à cassete, parecia de 9 ou 10 velocidades e já estava preparado para te perguntar se alargaste as escoras para conseguir essa montagem. Depois, enganou-me quanto à "pintura". Parecia mesmo cinza metalizado. Então lixaste apenas o quadro e deixaste o aço a nu? Já vi alguns projectos desse género, nos quais se procurou precisamente deixar o tempo fazer o seu trabalho e o quadro ficar com a tal patina/ferrugem muito súbtil. Parece uma ideia parva, mas fica realmente fantástico e diferente. No entanto, o aço a nu tinha uma cor mais escura, nunca esse cinza. Aplicaste apenas verniz e framesaver? Ainda há dias, numa visita à casa dos meus pais, estive com o quadro da minha primeira bicicleta "mais a sério", do qual já eliminei toda a pintura, e ocorreu-me experimentar algo semelhante, mas preciso de umas dicas.

Paulo, já conhecia as tuas bicicletas de outras paragens, mas é sempre um prazer revê-las. A tua nova montada está fantástica. Grande trabalho do Vitor! Quanto à Alteza, que relação de transmissão usas nessa? Nunca tiveste problemas em usar singlespeed nesse quadro sem esticador?
 
Já tive uma Peugeot igual a essa, mas em laranja. Isso é de finais dos anos 70. Essa bicicleta não está em mau estado, pior estava a minha e ainda serviu para umas voltas. Dei-lhe uma limpeza, eliminei a ferrugem que se conseguiu, afinei-a (o que se conseguiu, também) e deu para usar. No entanto, se a quisesse deixar realmente em condições, implicava uma despesa considerável e acabei por vendê-la. Para além de transmissão Simplex e travões Mafac Racer, tinha pedaleira Solida.

Mas tens aí uma boa base para uma bicicleta de passeio ou uma commuter em terrenos pouco exigentes.
Pelo número de série deve ser do início dos anos 70.
A pintura está, de facto, em muito bom estado, mas os componentes estiveram demasiado tempo sujeitos às intempéries.
Vi-a pela primeira vez em Junho nas traseiras de uma casa e fiquei curioso. Há umas semanas ainda lá estava e toquei à campaínha.
O melhor da história é que, o que paguei por ela não chega para a portagem Lisboa-Porto ;)

Abraço
 
Estas são as Kevlar!

Não são essas, tem que ser mesmo aquela!!

Mas obrigado na mesma! Mas como andas por aí, se vires alguma! Faz-me esse favor e partilha comigo...

E em reynolds 753, dessas só há 500 era a bicicleta do meu pai em que ele teve um acidente e acabou por vender há muitos anos... Desde o acidente ganhou fobia nunca mais pedalou... Na altura eu tinha 5 anos...

Grande abraço...
Tocaste-me com a história e passei horas (mesmo) a pesquisar, mas escolheste uma difícil...
 
Fogo Paulo, gostavabem dessa vermelha, não sabia que já tinha passado à história. O que vale é que ficas na mesmo bem montado, podes continuar in..bicla
André, também gostava da danada, deixou-me de coração partido. A iNBiCLA é como uma luva, encaixa-me na perfeição. Vai andar muito por aí.

Skyforger , Obrigado, o Vitor é um verdadeiro artista. A Alteza tem 46/18 e sobe tudo... bem, quase tudo! O esticador não faz falta nenhuma, de longe a longe dou-lhe um aperto, apenas.
 
André, também gostava da danada, deixou-me de coração partido. A iNBiCLA é como uma luva, encaixa-me na perfeição. Vai andar muito por aí.

Skyforger , Obrigado, o Vitor é um verdadeiro artista. A Alteza tem 46/18 e sobe tudo... bem, quase tudo! O esticador não faz falta nenhuma, de longe a longe dou-lhe um aperto, apenas.

Esclarece-me só uma coisa (eu até podia perguntar directamente ao homem, mas assim sempre serve de publicidade :) ): o Vitor constrói os próprios quadros ou dá nova vida a quadros antigos?

Quanto à questão da Alteza, surgiu porque estou a terminar a montagem de uma singlespeed (com um quadro com dropouts verticais) e tive necessidade de usar o esticador (o que supostamente até é recomendável). Quanto à relação, vou experimentar com 50-16...mas já tenho o cog de 18 preparado caso o motor gripe às primeiras inclinações...:)
 
Esclarece-me só uma coisa (eu até podia perguntar directamente ao homem, mas assim sempre serve de publicidade :) ): o Vitor constrói os próprios quadros ou dá nova vida a quadros antigos?

Quanto à questão da Alteza, surgiu porque estou a terminar a montagem de uma singlespeed (com um quadro com dropouts verticais) e tive necessidade de usar o esticador (o que supostamente até é recomendável). Quanto à relação, vou experimentar com 50-16...mas já tenho o cog de 18 preparado caso o motor gripe às primeiras inclinações...:)
Na maior parte dos seus projectos, o Vitor recorre a quadros reciclados, testados e de qualidade. São reliquias sobre rodas, a Pushbike Crusted é um belo exemplo. Também criou quadros de medida, e na medida das necessidades do dono. Depois de escolhida a tubagem foi às mãos do mestre Valdemiro para colar as peças. A pintura, alguns periféricos ao gosto do freguês e o ensamble, tiveram os carinhos do Vitor. A Mercx foi um desses projectos, podem vêr aqui o processo: http://inbicla.blogspot.pt/2013/02/merckx-002-longas-distancias.html

Quanto à Alteza, nunca considerei necessário o esticador. O dropout é horizontal e basta-me esticar a corrente até à tensão desejada, alinhar e apertar bem a roda. Posso fazer arranques mais fortes sem problemas e longas pedaladas sem notar folgas. Já tive alguns furitos na roda e não tive problemas a retirar, alinhar e reapertar a roda. No caso de dropouts verticais, não sei dizer se realmente é necessário recorrer ao esticador.

Quanto à relação mais cómoda é para mim o 46/18. Dá pra ter uma boa velocidade de ponta em estrada plana e para subir a Rua da Restauração sem por o pé no chão. Possivelmente já conheces este sítio com boas dicas:http://www.sheldonbrown.com/singlespeed.html
 
Pelo número de série deve ser do início dos anos 70.
A pintura está, de facto, em muito bom estado, mas os componentes estiveram demasiado tempo sujeitos às intempéries.
Vi-a pela primeira vez em Junho nas traseiras de uma casa e fiquei curioso. Há umas semanas ainda lá estava e toquei à campaínha.
O melhor da história é que, o que paguei por ela não chega para a portagem Lisboa-Porto ;)

Abraço

Pois, por vezes lá aparecem esses achados. Caso queiras vender essa bicicleta, sais sempre a ganhar dinheiro pois é uma marca/modelo com bastante procura entre apreciadores/coleccionadores. Penso que o que aí tens é uma PX8, de 1975.

O ponto mais fraco dessa série e de outras semelhantes da Peugeot e de algumas outras marcas francesas está mesmo na transmissão. O Simplex desenrasca, mas quando já tem desgaste, má conservação e uns valentes anos em cima, não há como afinar aquilo e mais vale mesmo pensar em renovar toda a transmissão. Mas isso claro, depende do uso que lhe pretendas dar.
 
Pois, por vezes lá aparecem esses achados. Caso queiras vender essa bicicleta, sais sempre a ganhar dinheiro pois é uma marca/modelo com bastante procura entre apreciadores/coleccionadores. Penso que o que aí tens é uma PX8, de 1975.

O ponto mais fraco dessa série e de outras semelhantes da Peugeot e de algumas outras marcas francesas está mesmo na transmissão. O Simplex desenrasca, mas quando já tem desgaste, má conservação e uns valentes anos em cima, não há como afinar aquilo e mais vale mesmo pensar em renovar toda a transmissão. Mas isso claro, depende do uso que lhe pretendas dar.
Pelo número de série e por uma pesquisa que fiz, é exactamente uma PX8, mas de 1971:


Esta vai ter de esperar, já que tenho um outro projecto em andamento. Outra Peugeot, mas mais simples. Um pequeno problema de saúde limitou-me um pouco nas últimas semanas mas vou tentar retomar o projecto. Assim que ganhe andamento tento partilhar.

Abraço
 
Pessoal preciso de uma ajuda, tenho um negócio destes entre mãos, alguém me sabe avaliar esta bicicleta?

https://scontent.flis3-1.fna.fbcdn....=5b346ae8c60bc3be756fb10864ce8d86&oe=588D9266
https://scontent.flis3-1.fna.fbcdn....=5d0dec5aa312d572bd59299a17825681&oe=589C08B8
https://scontent.flis3-1.fna.fbcdn....=6cb5acd4c72907f3594f77e932f8b074&oe=58D51892
https://scontent.flis3-1.fna.fbcdn....=07c7340d73c124cd22d1cea80a106214&oe=58D5B293
https://scontent.flis3-1.fna.fbcdn....=59295869a82d21a976f3d63677ff8964&oe=58A7518B
https://scontent.flis3-1.fna.fbcdn....=1c28e275d351032bce816a459282b3b2&oe=58A0B533

Ainda não a vi ao vivo, vou este fim de semana ver, queria levar uma ideia de um valor assim por alto... depende muito do estado dela eu sei, mas queria um valor +/-...sem ter em conta tamanhos nem medidas ;).

Aproveito para dizer que gosto muito desta secção do forum, e de todo o trabalho que é cá feito.

Edit.: com sorte é essa PX8 ;)
 
Pessoal preciso de uma ajuda, tenho um negócio destes entre mãos, alguém me sabe avaliar esta bicicleta?
Decerto haverá por cá apreciadores de francesinhas que melhor saberão aconselhar do que eu.

Do que me lembrei foi apenas sugerir o fórum dos confrades "Amigos das Pasteleiras" http://forum.amigosdaspasteleiras.com mestres da palha de aço e do WD40, lá terás toda a informação a respeito dessa leoa.

Cumprimentos
 
Pessoal preciso de uma ajuda, tenho um negócio destes entre mãos, alguém me sabe avaliar esta bicicleta?

https://scontent.flis3-1.fna.fbcdn....=5b346ae8c60bc3be756fb10864ce8d86&oe=588D9266
https://scontent.flis3-1.fna.fbcdn....=5d0dec5aa312d572bd59299a17825681&oe=589C08B8
https://scontent.flis3-1.fna.fbcdn....=6cb5acd4c72907f3594f77e932f8b074&oe=58D51892
https://scontent.flis3-1.fna.fbcdn....=07c7340d73c124cd22d1cea80a106214&oe=58D5B293
https://scontent.flis3-1.fna.fbcdn....=59295869a82d21a976f3d63677ff8964&oe=58A7518B
https://scontent.flis3-1.fna.fbcdn....=1c28e275d351032bce816a459282b3b2&oe=58A0B533

Ainda não a vi ao vivo, vou este fim de semana ver, queria levar uma ideia de um valor assim por alto... depende muito do estado dela eu sei, mas queria um valor +/-...sem ter em conta tamanhos nem medidas ;).

Aproveito para dizer que gosto muito desta secção do forum, e de todo o trabalho que é cá feito.

Edit.: com sorte é essa PX8 ;)
Bem, vou tentar ajudar...

Acho que estás perante uma PX8 ou uma P10. Qualquer que seja, será do início dos anos 70. A gama Peugeot é uma confusão, mas podes entreter-te a pesquisar aqui:

http://www.peugeotshow.com/

Essa bicicleta não está com muito bom aspecto! Quanto te estão a pedir por isso? Se a quiseres deixar operacional e dar-lhe um "refresh" geral tens aí um longo trabalho (e alguma despesa) pela frente. Quanto a valores de referência, depende muito do vendedor e do estado da bicicleta, mas em melhor estado que essa rondam entre os 100 e os 150€. Isto em Portugal. Na França encontras disso com facilidade e a preços mais baixos. Mas, no estado em que essa está e tendo em conta que é um modelo de entrada de gama, eu não dava mais do que 70€...

Mas aproveita a dica do Paulo e pergunta à malta da ferrugem que há por lá verdadeiros especialistas nessas e noutras bicicletas, tens inclusive um sub-fórum apenas para as Peugeot e bicicletas francesas.
 
Bem, vou tentar ajudar...

Acho que estás perante uma PX8 ou uma P10. Qualquer que seja, será do início dos anos 70. A gama Peugeot é uma confusão, mas podes entreter-te a pesquisar aqui:

http://www.peugeotshow.com/

Essa bicicleta não está com muito bom aspecto! Quanto te estão a pedir por isso? Se a quiseres deixar operacional e dar-lhe um "refresh" geral tens aí um longo trabalho (e alguma despesa) pela frente. Quanto a valores de referência, depende muito do vendedor e do estado da bicicleta, mas em melhor estado que essa rondam entre os 100 e os 150€. Isto em Portugal. Na França encontras disso com facilidade e a preços mais baixos. Mas, no estado em que essa está e tendo em conta que é um modelo de entrada de gama, eu não dava mais do que 70€...

Mas aproveita a dica do Paulo e pergunta à malta da ferrugem que há por lá verdadeiros especialistas nessas e noutras bicicletas, tens inclusive um sub-fórum apenas para as Peugeot e bicicletas francesas.
Muito obrigado desde já.

Ora bem o valor que me pedem é 50€, mas há lá mais "reliquias" para ver segundo o homem, não custa nada ver a coleção.

Mas desde já obrigado pelo site, pode ser de grande valor.