Triban RC520 | Ajuda com tamanho/postura

Mendas

Well-Known Member
#22
Concordo que é melhor, mas fora isso, para um ajuste "caseiro" o fio de prumo parece-me um bom método
Sim, é um método bastante conservador, eu ainda assim, penso que tem mais lógica o método que coloquei no vídeo acima.

Mas vale o que vale, afinal nenhum dos dois é fitter :)
 

joseruivo

Well-Known Member
#23
Sim, é um método bastante conservador, eu ainda assim, penso que tem mais lógica o método que coloquei no vídeo acima.

Mas vale o que vale, afinal nenhum dos dois é fitter :)
Não tinha visto o vídeo...Costumo alinhar pelo ponto de rotação do joelho, que é o que ele diz quer seria o ponto mais indicado, no caso de alinhamento por fio de prumo, que ele diz que é um mito, ok.
Quanto ao método que ele indica… Quando levantas as mãos e escorregas para a frente estás muito à frente. E quando estás muito para trás, nota-se o quê ?
 

joseruivo

Well-Known Member
#24
Mas vale o que vale, afinal nenhum dos dois é fitter :)
E mesmo se fossemos poderíamos ter opiniões diferentes - já percebemos aqui pelas leituras no fórum que fitters diferentes fazem fitings diferentes ;) Como até na ciência exata que deveria ser a medicina, médicos e cientistas diferentes dizem coisas muito diferentes o_O
 

Carolina

Well-Known Member
#25
Numa bicicleta de contra-relógio a regra do fio de prumo nunca é cumprida, daí se dizer que não tem qualquer base cientifica.
Pode servi como ponto de partida, mas não mais do que isso.
 

Mendas

Well-Known Member
#26
Não tinha visto o vídeo...Costumo alinhar pelo ponto de rotação do joelho, que é o que ele diz quer seria o ponto mais indicado, no caso de alinhamento por fio de prumo, que ele diz que é um mito, ok.
Quanto ao método que ele indica… Quando levantas as mãos e escorregas para a frente estás muito à frente. E quando estás muito para trás, nota-se o quê ?
Lá está, se alinha com o fio de prumo, sentes a pedalada eficiente, não tens dores, é pq está bem para ti....
 

Carolina

Well-Known Member
#28
A regra do fio de prumo vem da ideia de que ter o joelho a passar a ponta do pé cria problemas no joelho. Isso não é verdade. Se assim fosse todos os contra-relogistas teriam os joelhos lixados.
 

joseruivo

Well-Known Member
#30
A regra do fio de prumo vem da ideia de que ter o joelho a passar a ponta do pé cria problemas no joelho. Isso não é verdade. Se assim fosse todos os contra-relogistas teriam os joelhos lixados.
Ainda bem para eles! Mas por que razão (habitualmente) não se aplica noutros tipos de bicicletas?
 

Carolina

Well-Known Member
#35
?!

Não estou a perceber qual é a confusão. Numa posição de contra-relogio vai-se muito mais deitado. Pra conseguir isso têm de estar sentados mais à frente do que numa bicicleta tradicional. Isto permite um maior ângulo entre o tronco e a perna.

A regra do fio de prumo só serve como ponto de partida, nada mais. Se for preciso o selim ir mais para a frente não tem problema, não é prejudicial aos joelhos.
 

joseruivo

Well-Known Member
#36
Não estou a perceber qual é a confusão. Numa posição de contra-relogio vai-se muito mais deitado. Pra conseguir isso têm de estar sentados mais à frente do que numa bicicleta tradicional. Isto permite um maior ângulo entre o tronco e a perna.
Maior ou menor? Entre o tronco e coxa?

A regra do fio de prumo só serve como ponto de partida, nada mais. Se for preciso o selim ir mais para a frente não tem problema, não é prejudicial aos joelhos.
Para facilitar a conversa, esqueçamos o fio de prumo.
Não sendo prejudicial, aplica-se a outros tipos de ciclismo? Tinha ideia que não. Porquê?
 

Carolina

Well-Known Member
#37
Maior. Com o tronco deitado, se chegares o selim para a frente, vais abrir o angulo.

Aplica-se o quê? O joelho passar a ponta do pé? Não tem mal nenhum, é só uma indicação geral que serve de ponto de partida.
 
#38
Na minha própria experiência, a técnica do fio de prumo só é minimamente fiável em posições de tronco mais elevadas (ex: turismo) e pessoas com estaturas e proporções físicas ditas "normais".
Em duas bicicletas de estrada com geometrias completamente distintas e tamanhos diferentes, nunca consegui ir de encontro ao fio de prumo. O meu joelho acaba por avançar sempre em relação ao pedal.
Para mim a melhor técnica é mesmo a do equilíbrio, aliado obviamente ao conforto dos braços/ombros/pescoço.
 

joseruivo

Well-Known Member
#39
Maior. Com o tronco deitado, se chegares o selim para a frente, vais abrir o angulo.

Aplica-se o quê? O joelho passar a ponta do pé? Não tem mal nenhum, é só uma indicação geral que serve de ponto de partida.
Aplica-se a outras vertentes que não contra relógio / triatlo? Porquê?
 

joseruivo

Well-Known Member
#40
Na minha própria experiência, a técnica do fio de prumo só é minimamente fiável em posições de tronco mais elevadas (ex: turismo) e pessoas com estaturas e proporções físicas ditas "normais".
Em duas bicicletas de estrada com geometrias completamente distintas e tamanhos diferentes, nunca consegui ir de encontro ao fio de prumo. O meu joelho acaba por avançar sempre em relação ao pedal.
Para mim a melhor técnica é mesmo a do equilíbrio, aliado obviamente ao conforto dos braços/ombros/pescoço.
Pronto, vou experimentar da próxima vez que fizer rolo - é mais fácil andar com o selim para trás e diante do que num passeio na rua.
Eu sinto que em subidas mais difíceis tenho mais força se me chegar mais para a frente no selim, mas fico sempre na dúvida se não estarei a dar cabo dos joelhos - há de haver um ponto a partir do qual seja demais...
O que sentias que te fez mandar o fio de prumo às urtigas? E como determinaste "já chega"?