Notícias do ciclismo Tuga 2019

NULL

Moderador
Staff member
I

O mesmo se passa com o meu amigo e colega de treino sub 23 que fez também um brilharete na volta a Portugal do futuro. A sorte dele é ter um grande potencial e já tem contrato por 2 anos :)
Eu sei... eu sei... vai para o Boavista.

O mal é que vão ganhar meia dúzia de trocos...
 

RTC

Moderador
Staff member
Vamos a ver...

Tendo em conta que o encaixe financeiro decorrente da participação nas provas é baixo, o grande bolo do orçamento anual advém do patrocinador principal. Esse, mesmo sendo Main Sponser, isto é, tendo todo o destaque, tem retorno muito reduzido. Portanto, do ponto de vista económico/financeiro é um mau investimento. Vale que em muitas situações a pessoa por trás do patrocinador é apaixonada por ciclismo e isso acaba por pesar na decisão de patrocinar... mesmo sabendo que é um mau "negócio".

O problema já é antigo, não é de agora. E se nos elites é o que é, as equipas de formação não fogem à regra. Acompanho um miúdo que fez top 10 na Volta a Portugal de júniores, foi o 4º melhor português em prova... recebeu uma proposta de uma equipa sub23 que, para além de não pagarem nada mensalmente, o atleta ainda tinha que pagar a manutenção das bikes que a equipa lhe emprestava... fod****... eu até percebo que não haja condições financeiras mas com essas condições não é fácil para um atleta continuar no ciclismo. Estamos a falar numa fase que coincide com a entrada da universidade, as despesas para os pais sobem, e se continuarem na modalidade não têm tempo para um part time. Não é fácil....
É vergonhoso é um facto!
Mas também te digo...enquanto houver mão de obra barata que está disposta a correr por meia dúzia de tostões essas equipas não vão alterar essas propostas.
Que não falta são putos que estão-se a cagar pura e simplesmente para a escola. Querem é andar e ter uma equipa. E a culpa são dos pais.
Eu conheço casos de juniores e sub-23 que deixaram de estudar para se dedicar a tempo inteiro ao ciclismo. E com a conivência dos pais. É uma ilusão. Sabendo do estado do ciclismo profissional neste país e tomam estas decisões.
No primeiro ano ainda posso compreender mas um pai se vê que o filho não teve resultados que demonstram que pode vir a ser um excelente ciclista, deveria obriga-lo a voltar à escola e treinar nos tempos livres. Alguns andam aí feitos mitras, a acordar às 10h depois de uma noite no Facebook, tomam o pequeno almoço saiem ao meio dia para treinar e passam o resto da tarde no sofá. Com 20 e poucos anos, sem estudar, sem planos de futuro caso o ciclismo dê para o torto e depois chega-se a esta altura a única preocupação é saber se continuam ou vão conseguir arranjar nova equipa.
Se conseguirem chegar a uma equipa profissional é uma luta. Vencimento miserável e fracas condições. Para depois um dia baterem com a porta e com 25, 26, 27 anos não produziram, não estudaram, não fizeram nada!
 

NULL

Moderador
Staff member
É vergonhoso é um facto!
Mas também te digo...enquanto houver mão de obra barata que está disposta a correr por meia dúzia de tostões essas equipas não vão alterar essas propostas.
Que não falta são putos que estão-se a cagar pura e simplesmente para a escola. Querem é andar e ter uma equipa. E a culpa são dos pais.
Eu conheço casos de juniores e sub-23 que deixaram de estudar para se dedicar a tempo inteiro ao ciclismo. E com a conivência dos pais. É uma ilusão. Sabendo do estado do ciclismo profissional neste país e tomam estas decisões.
No primeiro ano ainda posso compreender mas um pai se vê que o filho não teve resultados que demonstram que pode vir a ser um excelente ciclista, deveria obriga-lo a voltar à escola e treinar nos tempos livres. Alguns andam aí feitos mitras, a acordar às 10h depois de uma noite no Facebook, tomam o pequeno almoço saiem ao meio dia para treinar e passam o resto da tarde no sofá. Com 20 e poucos anos, sem estudar, sem planos de futuro caso o ciclismo dê para o torto e depois chega-se a esta altura a única preocupação é saber se continuam ou vão conseguir arranjar nova equipa.
Se conseguirem chegar a uma equipa profissional é uma luta. Vencimento miserável e fracas condições. Para depois um dia baterem com a porta e com 25, 26, 27 anos não produziram, não estudaram, não fizeram nada!
Totalmente de acordo! Nesse caso a culpa é de ambos, dos pais e deles próprios! Já têm idade para terem juízo.

Os miúdos que eu acompanho entraram todos na universidade. É a prioridade! Um deles sobe a Sub23 e teve proposta da Caja Rural (sub23), davam-lhe excelentes condições. Corridas no estrangeiro, estágios em altitude, voos todos pagos, carro à disposição nos estágios, etc., mas devido a isto que acabas de falar, vai optar por correr em Portugal para ter o máximo de aproveitamento escolar. Mesmo ficando em Portugal deve ser o único que vai passar de júnior a elite de um ano para o outro... :cool:
 

jlr

Well-Known Member
O Guilherme Mota no ano passado também foi para a Caja Rural sub-23 e a meio do ano mudou-se para a Oliveirense para ser mais fácil continuar a estudar. Ainda há uns quantos com cabeça.

Por exemplo, o Bernardo Saavedra está no 3º ano de direito e conseguiu o bronze nos nacionais sub-23.
 

NULL

Moderador
Staff member
O Guilherme Mota no ano passado também foi para a Caja Rural sub-23 e a meio do ano mudou-se para a Oliveirense para ser mais fácil continuar a estudar. Ainda há uns quantos com cabeça.

Por exemplo, o Bernardo Saavedra está no 3º ano de direito e conseguiu o bronze nos nacionais sub-23.
Esse exemplo do Guilherme Mota também foi importante para a decisão do meu amigo... ;)
 

FSilva

Moderador
Staff member
Aliás as próprias equipas de juniores e sub-23 deveriam "obrigar" a continuidade dos estudos dos atletas.
Mas de facto o aliciar do profissionalismo mexe com os miudos e como já referiram muitas das vezes com os pais que esses deveriam sempre pensar com os pés bem acentes no chão no futuro.
 

SantosDaCasa

Well-Known Member
Aliás as próprias equipas de juniores e sub-23 deveriam "obrigar" a continuidade dos estudos dos atletas.
Mas de facto o aliciar do profissionalismo mexe com os miudos e como já referiram muitas das vezes com os pais que esses deveriam sempre pensar com os pés bem acentes no chão no futuro.
Mas que expectativa têm os pais em relação a uma carreira no ciclismo? Tenho a ideia que isto não é o futebol / NBA / outros desportos onde muitos atletas ganham bastante dinheiro. Aqui apenas alguns se dão a esse luxo.
Não existe aqui muita falta de realismo? Não é mais dificil ter uma carreira de milhões no ciclismo do que acertar no Euromilhões?
 

pratoni

Well-Known Member
Mas que expectativa têm os pais em relação a uma carreira no ciclismo? Tenho a ideia que isto não é o futebol / NBA / outros desportos onde muitos atletas ganham bastante dinheiro. Aqui apenas alguns se dão a esse luxo.
Não existe aqui muita falta de realismo? Não é mais dificil ter uma carreira de milhões no ciclismo do que acertar no Euromilhões?
Foi exatamente isso que pensei ao ler os posts anteriores...

Se há pessoal a fazer isso no ciclismo, imagino só no futebol....
 

jlr

Well-Known Member
Do Benta ainda não vi, mas há rumor que o Luís Gomes e o David Rodrigues também saem, por isso o Boavista perde ali o bloco central da montanha.
 

sickflick

Well-Known Member
http://www.mountainbikes.pt/Inicio/articulo/nuno-bico-retira-se-do-ciclismo-por-recomendação-médica


Depois de sete temporadas como ciclista profissional, o português Nuno Bico da Burgos-BH (25 anos) colocou o ponto final na sua carreira devido a um problema na veia ilíaca.
Nuno Bico publicou nas redes sociais uma carta a dar conta da sua decisão após recomendação médica, salientando que "foi um prazer viver um sonho trabalhando em algo que amo".
O jovem luso foi submetido em 2017 a uma cirurgia para corrigir este problema, mas este ano na Volta a Espanha o ciclista voltou a sentir muitas dores. Após consultar os médicos, foi aconselhado a deixar de praticar desportos competitivos.
Nuno Bico chegou ao profissionalismo em 2013 na equipa Radio Popular Boavista, onde esteve três temporadas, tendo depois ingressado na formação checa Klein Constantia. Depois foi contratado pela Movistar, tendo ficado na equipa de Eusebio Unzué nas temporadas de 2017 e 2018, e por fim assinou contrato com a Burgos-BH.
 

bogas

Well-Known Member
Tinha de haver algum problema. Ele prometeu muito e quando foi para a Movistar começou a "desaparecer". Muito triste quando assim é, hoje estamos bem e amanhã já não sabemos.
 

FSilva

Moderador
Staff member
Tava dificil de estar atualizado o ciclismo da tuga :p

A Direção da Federação Portuguesa de Ciclismo decidiu que os travões de disco poderão ser usados nas provas de todas as categorias etárias a partir de 1 de janeiro de 2020.

Até 31 de dezembro de 2019, continuam em vigor os regulamentos atuais, sendo proibida a utilização de bicicletas com travões de disco em competições de ciclismo de estrada para as categorias de cadetes e escolas, podendo já ser usados nas corridas destas categorias nas restantes vertentes.