Conversa da treta

MiGuEl_82

Well-Known Member
A UCI devia-se focar em assuntos mais pertinentes que estes. Sinceramente não me recordo de ver uma queda motivada por ciclistas na posição super tuck nem por usarem a posição de contrarrelógio.

Para nós amadores sim são posições bastante perigosas uma vez que poucos de nós teremos o mesmo nível de técnica de um profissional. O super tuck então, se ao retomar a posição normal temos o azar de dar um toque no selim é o suficiente para nos esbardalharmos.
 

Velhadas

Well-Known Member
A UCI devia-se focar em assuntos mais pertinentes que estes. Sinceramente não me recordo de ver uma queda motivada por ciclistas na posição super tuck nem por usarem a posição de contrarrelógio.

Para nós amadores sim são posições bastante perigosas uma vez que poucos de nós teremos o mesmo nível de técnica de um profissional. O super tuck então, se ao retomar a posição normal temos o azar de dar um toque no selim é o suficiente para nos esbardalharmos.
então nesse caso porque não permitir bikes com uma posição mais deitada? na minha opinião não faz muito sentido ser tão rigoroso na regulamentação da geometria da bike e depois deixar os ciclistas adultera-la
 

cou7inho

Well-Known Member
então nesse caso porque não permitir bikes com uma posição mais deitada? na minha opinião não faz muito sentido ser tão rigoroso na regulamentação da geometria da bike e depois deixar os ciclistas adultera-la
A questão que se põe é que também a regulamentação das bicicletas está estagnada à demasiado tempo. A UCI pouco se parece importar com o desenvolvimento das bicicletas de estrada.
Mas também não me admira. Deve ser uma organização governada por meia dúzia de velhos do Restelo. Basta olhar para o modelo económico do ciclismo mundial e facilmente se percebe que quem lá está percebe tanto de negócios como eu percebo de batatas. É ridículo.

Em relação a estas proibições não acho que façam muito sentido. Percebo o lema da segurança, no entanto gostava de ter visto da parte da UCI uma explicação clara a fundamentar estas proibições.
São posições um pouco perigosas na medida em que não permitem a ciclista ter o controlo da bicicleta nas devidas condiz~oes, é verdade. No entanto, são posições que são adotadas quando vão sozinhas. Ninguém anda sentado no top-tube no meio do pelotão. Não andam na posição de contra relógio no meio do pelotão. Até agora não vi nenhuma queda nestas posições, talvez falta de atenção minha, não sei. Podem dizer "mais vale prevenir". Eu digo "certo", mas se é por essa lógica vamos lá limitar a velocidade nas descidas e no plano já que é nesses momentos de maior velocidade que se dão a maior parte das quedas.
Se me mostrassem razões bem fundamentadas para proibir essas posições eu concordava, mas desta forma fico muito reticente.
Faz-me lembrar a F1 na medida em que vai uma equipa desenvolve algo novo vem a FIA e proíbe. No ano a seguir alguem desenvolve algo novo vem a FIA e proíbe. Aqui, no ciclismo, os ciclistas encontram posições que lhes permitem render mais vem a UCI e proíbe. E a mim preocupa-me o precedente que isto cria. A seguir vai ser o que? Não se podem inclinar mais de 20 graus numa curva? É que muitos acidentes dão-se à custa da perda de aderência nas curvas.

A segurança é essencial em tudo na vida e no ciclismo não é exceção. Mas também é importante que quem é atleta profissional sabe os riscos que corre e se vamos tentar por tudo a risco 0 então acaba-se o desporto.

Pode ser impressão minha, mas parece-me a UCI, depois da porrada que levou por causa do acidente do Jakobsen, agora quer "redimir-se" e aumentar a segurança de qualquer jeito.
 
se tivessem mais preocupações com atletas que mal ganham para comer... com condições miseráveis...
ou com atletas com problemas de saúde por estarem constantemente em dietas malucas e coisas do género valia lhes mais...
Aqui já discordo ligeiramente @Duke
O problema aqui é das equipas, treinadores, objetivos...
Percebo o que dizes, mas se forem limitar salários muitos doa patrocínios acabam de certeza. Talvez um mínimo, mas não se podem esticar muito.
Condições atmosféricas, concordo que tenham mais atenção a isso. Um gajo para estar em forma tem pouca gordura, as defesas do organismo muito em baixo e podia ser uma forma de zelar pelos atletas.
Mas não se deviam meter muito. Eles regulam a prática de ciclismo profissional
 

cou7inho

Well-Known Member
Percebo o que dizes, mas se forem limitar salários muitos doa patrocínios acabam de certeza. Talvez um mínimo, mas não se podem esticar muito.
Isto é um facto. Não podem criar salários mínimos demasiado "apelativos" senão não muitas das equipas não têm forma de pagar esses mesmos salários. No entanto, isso acontece por causa do péssimo modelo financeiro do ciclismo. Como é que cabe na cabeça daqueles dirigentes da UCI que um desporto como o ciclismo continue a viver da caridade dos patrocinadores? Porque é isto que acontece. As equipas têm de se "ajoelhar" para conseguirem encontrar patrocinadores para se sustentarem. Como é que ainda não se pensou num formato do género de uma liga onde possa haver a garantia de que há uma verba suficiente para manter as equipas e depois cada uma lá arranja uns patrocinadores extra!?
Depois não admira que o ciclismo seja um, senão o desporto mais duro do mundo e os atletas ganham o que ganham. Não admira que este ano a equipa se chame Champo X Cycling Team e para o ano já se chama Batatas cozidas Cycling Team. Isto mostra a precariedade deste desporto. Nação há estabilidade financeira nenhuma. O dono da Tinkoff na altura bem que fez para que se mudasse alguma coisa, mas infelizmente não lhe deram ouvidos. Foi-se embora e, infelizmente, devo dizer que fez muito bem.
 

jpacheco

Well-Known Member
eles são profissionais treinam para ter este tipo de skils, tal como há equipas que treinam a vestir o corta vento ao chegar ao topo de uma subida e outros que perdem segundos a vestir o cortavento... são coisas que se treinam...
Esquece... no dia 1 de abril saem novas regras:
que nos topos das montanhas quem chegar primeiro espera pelos ultimos. E até lá vestem-se e podem sentar-se á mesa na patoscada para se irem abastecendo, quem não esperar no topo é penalizado e terá que dar roda a toda a comitiva até ao final da etapa. Nos abastecimento vai ser tudo parado. O pelotão pára de 40 em 40km para abastecimentos liquidos e sólidos e para a mijinha. A chegada ao Sprint é só para quem pesar mais de 80kg, os outros no banner dos 5km ficam para trás sendo que o tempo já não conta para o sprint - nos 2 ultimos km só podem estar 2 elementos por equipa e nos ultimos 500m só pode estar 1 elemento por equipa.
 

Duke

Well-Known Member
Esquece... no dia 1 de abril saem novas regras:
que nos topos das montanhas quem chegar primeiro espera pelos ultimos. E até lá vestem-se e podem sentar-se á mesa na patoscada para se irem abastecendo, quem não esperar no topo é penalizado e terá que dar roda a toda a comitiva até ao final da etapa. Nos abastecimento vai ser tudo parado. O pelotão pára de 40 em 40km para abastecimentos liquidos e sólidos e para a mijinha. A chegada ao Sprint é só para quem pesar mais de 80kg, os outros no banner dos 5km ficam para trás sendo que o tempo já não conta para o sprint - nos 2 ultimos km só podem estar 2 elementos por equipa e nos ultimos 500m só pode estar 1 elemento por equipa.
sim vai ser como nos Granfondos em que podemos parar nos abastecimentos a comer presunto e provar iguarias locais.
O Olivier já está a tentar entrar para os quadros da Ineos porque na mesa ele é o rei dos sprints
 

Duke

Well-Known Member
Aqui já discordo ligeiramente @Duke
O problema aqui é das equipas, treinadores, objetivos...
Percebo o que dizes, mas se forem limitar salários muitos doa patrocínios acabam de certeza. Talvez um mínimo, mas não se podem esticar muito.
Condições atmosféricas, concordo que tenham mais atenção a isso. Um gajo para estar em forma tem pouca gordura, as defesas do organismo muito em baixo e podia ser uma forma de zelar pelos atletas.
Mas não se deviam meter muito. Eles regulam a prática de ciclismo profissional
não podes pensar que o ciclismo é so o nivel WT

tens de pensar que a UCI tambem regulamenta o ciclismo nos escalões inferiores,
eu não estou dentro do assunto, mas não ficaria nada admirado se em Portugal por exemplo houvessem ciclistas profissionais sem ganhar nada.
 
Estão a interpretar a posição da UCI talvez de forma incorreta, a meu ver.
Na minha forma de ver a ideia de proibir essas posições é a forma de desaconselhar o ciclista amador a utiliza las por serem pouco seguras.
Pois quantos não as começam a utilizar depois de as ver no tour? A grande maioria, e depois provoca quedas e acidentes... Na estrada não se anda sozinho.
 

MiGuEl_82

Well-Known Member
Estão a interpretar a posição da UCI talvez de forma incorreta, a meu ver.
Na minha forma de ver a ideia de proibir essas posições é a forma de desaconselhar o ciclista amador a utiliza las por serem pouco seguras.
Pois quantos não as começam a utilizar depois de as ver no tour? A grande maioria, e depois provoca quedas e acidentes... Na estrada não se anda sozinho.
N concordo nada... a UCI quer lá saber dos domingueiros como nós... :D
 

jpacheco

Well-Known Member
Estão a interpretar a posição da UCI talvez de forma incorreta, a meu ver.
Na minha forma de ver a ideia de proibir essas posições é a forma de desaconselhar o ciclista amador a utiliza las por serem pouco seguras.
Pois quantos não as começam a utilizar depois de as ver no tour? A grande maioria, e depois provoca quedas e acidentes... Na estrada não se anda sozinho.
Pois, mas o que vai acontecer é precisamente o contrário. No world tour vão ser proibidos e no desporto amador vão continuar a usar as posições que lhes apetece. É como a regra do peso mínimo das bikes, mas o amador pode usar o que lhe apetecer.

O conceito por trás destas alterações, mandatorias, acho que deveriam ser recomendadas. E aplicadas unicamente no ciclismo de formação para começar... assim o conceito iria entrar no mundo profissional com mais agrado e com maior normalidade.

Não estou contra essas alterações, acho que fazem algum sentido, mas neste momento ha coisas prioritárias e estas alterações soam a ridículo atendendo aos perigos que os ciclistas passam nas provas diariamente. Normalizar, por exemplo, as chegadas ao sprint, nos ultimos 3 a 5 kms deveria ser obrigatório (largura da via, largura das rotundas e nº mínimo de rotundas, numero reduzido de divisorias/ mobilia). Se as cidades não tivessem condições de a chegada passar pelo centro da cidade as etapas começavam acabar na periferia por exemplo.
 
A UCI, faz o melhor que pode, se faz é mau, senão faz é pessimo, então não se percebe. As alterações que são colocadas são e sempre foram, visando a segurança dos ciclistas, e todos os envolventes, se nunca cairam ciclistas adotando posições mais agressivas e aerodinâmicas, já sem duvida, algumas resultaram em desfechos menos agradaveis, com tudo e pela que tambem foi explicado, estas alterações visam também a parte desportiva, mas em termos de igualdade e possibilitando maior equilibrio entre todos, certo que iram dizer " mas fulano tal, nao desce ou anda desta forma porque não tem skills, paciência". Tal como o peso limite da bicicleta é igual para todos, estas vantagens ficam limitadas para igualdade de todos, e assim irá de forma igual, depender de cada um, tal como o peso das bikes limite que é igual para todos depois vai do motor de cada um fazer a diferença na subida. Agora olhem mais para o que o espetaculo pode ganhar com isto, tal como a segurança dos ciclistas, nibali desce como muitos e não necessita de adoptar estas posições.