Primeira Queda

s0me0ne

Well-Known Member
#21
As minhas 2 primeiras foram no BTT, das primeiras vezes com pedais de encaixe e exatamente da mesma forma.

Uma subida bastante inclinada, perco tração na roda traseira, tiro o pé direito do pedal e tombo para o lado esquerdo...:confused::cool:

Aprendi k tenho de tirar sempre o pé esquerdo em primeiro lugar.
 
#22
A minha primeira também não me recordo, a última sim, e foi há alguns dias. Amigos, eu ando com pedais de encaixe desde 2009(!) mas ainda consegui cair à conta deles. A verdade é que mudei de marca, passei de shimano para look, só porque sim. Keo easy, que não têm regulação da pressão da mola. Agora já sei porque são "easy" - easy de cair :D. À entrada de uma rotunda sou obrigado a parar, mas nem o pedal esquerdo nem o direito quiseram colaborar, zás! Caí todo junto para o lado esquerdo, praticamente parado. Resultado, o escafoide da mão esquerda não partiu por sorte, e o joelho ficou com um mini-arranhão e algo dorido. Foi a 20 km de casa mas ainda deu para chegar a pedalar. A bike, milagrosamente ficou imaculada (não podia ser tudo mau!). E dois dias parado com dores na mão, pronto, é isto! :rolleyes:
 

Jazz

Well-Known Member
#23
Tenho 5 quedas no currículo, 4 no monte, 1 na estrada.

Primeira:
Prova BTT de Lousada, numa descida, fiz um OTB e parti um dente da frente e rasguei o lábio inferior na transversal.

Segunda:
Igual, numa volta de BTT domingueira. Um furito no joelho.

Terceira:
Prova de BTT em Paço de Sousa. Outro OTB, sem consequências.

Quarta:
Na estrada. A descer para Melres, distraí-me, bati com a roda da frente na roda traseira do meu colega, fui logo ao chão. Fiquei todo amassado. Cair no asfalto é dureza.

Quinta:
Outro OTB, numa pista de XCO. Fiquei para aí 5 minutos no chão, sem me conseguir levantar. Estava sozinho, ainda por cima. Costelas amassadas, bati com a tíbia numa pedra, fiquei todo amassado.


Em duas destas quedas fui com a cabeça ao chão e o capacete salvou-me. Cada vez que isto acontece, troco de capacete.
 
#24
Só tenho duas quedas a reportar até ao dia. As duas praticamente parado.

A primeira foi a típica dos pedais de encaixe. Estava a experimentar, e pensava que já estava habituado, até que cheguei a um ponto de paragem e o meu cérebro bugou e fui em câmara lenta ao chão.

A segunda foi parecido, estava parado num semáforo numa súbida. Quando ficou verde não consegui encaixar à primeira e então resolvi tentar por o pé no chão para depois tentar outra vez, assim que meto o pé na calçada aquilo escorrega-me o pé e vou com o joelho ao chão, depois disso foram uns 40 km de sofrimento para voltar a casa com as dores no joelho!
 

tfernandes93

Well-Known Member
#25
Primeira queda foi logo no primeiro dia com pedais de encaixe, ao encaixar em casa para sair para a rua :D
Em andamento tive uma em Vila do Conde junto ao Forte, onde acaba a ciclovia e começa piso em terra batida... Não preciso de dizer mais nada , curvas e terra batida :oops:
 

torui

Well-Known Member
#26
Já foram tantas que até lhes perdi a conta, mas felizmente nunca foi nada de grave. Lembro-me no entanto da última queda, foi há cerca de 4 anos, e caí justamente à frente do tipo mais gozão que eu conheço.... na altura de parar o sapato de contacto com o chão escorregou na típica calçada Portuguesa.. e Timber hhehehehehehehh
 

cafigueira

Well-Known Member
#27
Quedas já tive algumas todas em btt.
Como todos assim que usei encaixe há sempre um tombito ou outro.
Já cai duas vezes em bancos de areia e uma delas foi na estreia da branca e fui parar a um bardo de silvas.
Uma vez ao passar uma ribeira estava lá uma pedra onde bati com a roda da frente e pimba banho.
O penúltimo tombo foi ainda com a branca, a testar a câmara lenta, não estava a gostar dos resultados que o opetardor estava a apanhar muito céu e ficava a imagem muito escura, na terceira vez já ficou melhor a imagem, e a filmagem mas o tosco é que não teve unhas
O último já foi com a bike que tenho agora, a experimentar a funcionalidade dos saltos do edge 1030, num deles só dei conta quando estava esbardalhado com ela no chão.
 
#28
Tenho 2 que posso considerar...

A primeira foi estupida e reincidente no imediato... Azuleijo molhado, vou arrancar, escorrega a roda da frente chão com ele...
Não contete levanto e repito a proeza XD. Lá fui com a bicicleta à mão até à estrada.

A segunda foi um bocado mais grave.
Bicicleta de BTT emprestada, monsato. Eu que nem sou de grandes aventuras nos ares vejo um monte de terra jeitoso e lá decidi. Vou saltar!
Resultado: 7 feridas na cara/cabeça das quais 5 com pontos (direito a pontos na orelha e tudo!) Não parti nada nem fiz mais nenhuma ferida no resto do corpo.

Hoje ostento um bocadinho de bigode a menos XD
(claro o capacete nesse dia ficou esquecido em casa, acho que pelo menos a orelha tinha escapado. As mãos escaparam, rasguei apenas luvas)
 

{the_crow}

Well-Known Member
#30
a primeira ja nao me lembro... mas hj esbardalhei-me no empedrado da moita... ali na zona ribeirinha..... enervei-me com 1 cabrao que ia numa carrinha de caixa aberta a quer forçar a passagem por mim e por mais 4 colegas que iam comigo...e qdo estou a chegar a curva para a direita com o fim do empedrado senti que vinha um carro atras de mim e virei ligeiramente a cara para ver pelo canto do olho onde é que ele tava... pronto...foi o suficente para passar com a roda da frente por entre um bocado de empedrado mais escalavrado...a roda da frente guina e pronto... la fui eu parar ao chao....amaparei a queda com as maos... bati forte e feio com a palma das maos e ainda bati com o ombro no chao :X ( e ainda nem vi se a bicicleta tem alguma coisa lol ) enfim... espero estar em condiçoes para ir dar uma volta amanha a mesma...
 

Carvalhon

Well-Known Member
#31
Em criança tive muitas, joelhos, braços e selins rasgados foram as grandes vítimas.

Agora a andar mais a "sério", com a bike de estrada caí duas vezes. A 1a ia com uma barreira na mão que não conseguia abrir com os dentes. Vejo uma paragem de autocarro, e penso: vou parar para abrir a barrita. O problema é que a paragem de autocarro era mais alta que a estrada e eu só ia com uma mão no guiador... A roda desvia e cabum no chão. Uma esmurradela no joelho, outra nas manetes da bike, e ainda bati com o capacete no chão, que ficou com uma bela esmurradela.

A 2a ainda conseguiu ser mais parva. Foi das 1as vezes com os pedais de encaixe. Parei tranquilo, coloquei o pé direito no chão, sem problemas. Mas como tinha um passeio ao lado, lembrei-me de colocar o pé no passeio para não ficar tão esticado. Claro que quando me levantei o direito para o colocar no passeio, inclinei a bicicleta para o lado esquerdo, que tinha o pé preso.... Cabum... Mais uma esmurradela no joelho e nas manetes, o relógio rachado e ainda foi o selim á vida.

Dois trambolhões bem parvos e desnecessários, e com algum custo, mas felizmente sem nenhum "estrago" grave, que é o mais importante.
 

{the_crow}

Well-Known Member
#35
ias a descer?
aleijast mt?
yeap... ia a uns 45km hora.. apanhei um "rio" numa zona de curva em que a estrada esta "rasgada" qdo se vai por alcatrao novo... nao tive hipoteses... ou era contra o muro...ou era ter ido para a faixa contraria e levar com um carro... assim fiz aquaplaning :D tenho o cu do lado esquerdo bem amassado...
 
#37
Boas pessoal!
O que vou escrever a seguir pode estar "off topic" mas podia ter resultado em queda. Para não abrir uma thread nova aqui vai.
Eu já tenho tido furos estranhos, tipo furar em alcatrão perfeito, sem irregularidades ou sujidade; ou no empedrado (que não é tão estranho assim), ou subir um passeio, enfim, acho que já sou mestrado em furos. No entanto o de ontem ultrapassou tudo no que toca ao insólito. Vinha a rolar na casa dos 35 km/h quando a roda de trás dá um estoiro, acompanhado de uma resmalhada. Lembro-me que pensei "Jazus lá se partiu a roda toda!". Olhei e rapidamente percebi que o pneu estava em baixo. Parei, examinei o pneu e vi que estava mesmo rebentado, o piso exibia um rasgão com cerca de 1 cm de diâmetro. Apalpei o pneu todo - nada de estranho, nem pregos nem arames, nada. Como estava relativamente perto de casa, liguei à patroa e foi buscar-me. Já na garagem, examinei outra vez o pneu, ainda assim sem o desmontar. Concluí que estava perante um caso de morte súbita pneu/câmara e que teria de ser tudo novo. Paciência!
Hoje fui à Decathlon e levei a roda. Lá escolhi o pneu e a câmara e lá executaram a tarefa de substituição. Quando vou recolher a roda, diz-me o mecânico - Está a ver isto? Respondi - Sim, é um tubo de cobre, o que é que tem de especial? Ele respondeu - Estava dentro do seu pneu!
Eu estava abismado. O rapaz disse-me também que nunca tinha visto nada assim. E eu pergunto como é possível?? A verdade é que entrou e ficou lá dentro, escondidinho, não sem antes ter cortado a câmara de ar. Danos no interior do aro não houve, menos mal! Segue abaixo a foto do referido tubo. Ele há coisas...
 
#38
Boas pessoal!
O que vou escrever a seguir pode estar "off topic" mas podia ter resultado em queda. Para não abrir uma thread nova aqui vai.
Eu já tenho tido furos estranhos, tipo furar em alcatrão perfeito, sem irregularidades ou sujidade; ou no empedrado (que não é tão estranho assim), ou subir um passeio, enfim, acho que já sou mestrado em furos. No entanto o de ontem ultrapassou tudo no que toca ao insólito. Vinha a rolar na casa dos 35 km/h quando a roda de trás dá um estoiro, acompanhado de uma resmalhada. Lembro-me que pensei "Jazus lá se partiu a roda toda!". Olhei e rapidamente percebi que o pneu estava em baixo. Parei, examinei o pneu e vi que estava mesmo rebentado, o piso exibia um rasgão com cerca de 1 cm de diâmetro. Apalpei o pneu todo - nada de estranho, nem pregos nem arames, nada. Como estava relativamente perto de casa, liguei à patroa e foi buscar-me. Já na garagem, examinei outra vez o pneu, ainda assim sem o desmontar. Concluí que estava perante um caso de morte súbita pneu/câmara e que teria de ser tudo novo. Paciência!
Hoje fui à Decathlon e levei a roda. Lá escolhi o pneu e a câmara e lá executaram a tarefa de substituição. Quando vou recolher a roda, diz-me o mecânico - Está a ver isto? Respondi - Sim, é um tubo de cobre, o que é que tem de especial? Ele respondeu - Estava dentro do seu pneu!
Eu estava abismado. O rapaz disse-me também que nunca tinha visto nada assim. E eu pergunto como é possível?? A verdade é que entrou e ficou lá dentro, escondidinho, não sem antes ter cortado a câmara de ar. Danos no interior do aro não houve, menos mal! Segue abaixo a foto do referido tubo. Ele há coisas...
Eu consideraria isso sorte... Podes sempre vender o cobre ao KG e ainda ajuda a pagar a despesa xD
Faz muitos e bons anos que a minha mãe me dizia não vás por ai montado que ainda espetas um prego na roda e cais!!!!
Eu desacreditado nunca lhe dei ouvidos ( 20 e muitos anos depoisa ainda passo no mesmo sitio é verdade)....
Mas bem dito bem feito atravessei um prego de uns 7cm do topo do pneu saindo perto do aro (numa MTB das antigas pneu 2.0)
 

Jazz

Well-Known Member
#40
Hoje dei um malho jeitoso, porra.

Falta de manutenção da bicla dá mau resultado.

A minha bicicleta está na loja à espera dum eixo novo.

Entretanto tenho andado na single speed, que na prática é uma bicicleta de 100 euros da decathlon com peças que eu tinha a mais.

Hoje ia a subir uma rua aqui no Porto, pouco inclinada. Ia a pedalar de pé e pela cadência devia ir para aí a 20, 25km/h.

De repente a corrente salta, os pés desencaixam dos pedais, fico todo desamparado em cima do toptube, pés a raspar no chão, a roda da frente para um lado e para o outro, até que bate no lancil e eu esbardalho-me todo no meio da rua.

Porra. Perna esquerda, perna direita, braço esquerdo, anca do lado esquerdo. Fiquei todo amassado.

Aquilo foi tão violento que pensei que tivesse partido a corrente.

Lá me levantei do meio da rua, o camarada do carro que vinha atrás de mim até saiu para ver se eu estava bem. Gajo porreiro.


Fui ver o que tinha acontecido e vejo que faltam 2 parafusos no pedaleiro. Os que unem o crank ao prato. São 4, faltavam 2. Provavelmente foram ganhando folga, até que saíram, com resultados nada agradáveis.

Agora estou com a anca toda amassada, vejo-me à rasca para me levantar e para andar. Paciência, amanhã já vejo se custa muito a pedalar.