Prémios de Montanha de Portugal

RTC

Administrator
Staff member
Já subi foi por Sandomil (via Ponte das 3 entradas). O alcatrão também não é o melhor mas gostei muito. Dá cerca de 1800 desnível.
 

maust

Well-Known Member
Já que se fala na vertente para a Torre com maior desnível, vou fazer o repost da esmiuçadela que foi aqui feita há já muito tempo


Torre por Sandomil

Dificuldade: Categoria Especial | Distância: 31,1 km | Inclinação Média: 5,5% | Altitude: 1991m |Desnível: 1712m | PMP: 393



Localização
Distrito da Guarda, concelho de Seia, serra da Estrela.

Esmiuçar o PMP

Torre... O local a maior altitude de Portugal continental.

Sandomil... O local a mais baixa altitude do Parque natural da serra da Estrela.

A ida à Torre por Sandomil proporciona a subida com maior desnível de Portugal Continental e passa pela já mítica estrada de São Bento (para os cicloturistas é mais conhecida por adamastor). :D

Em termos de dureza esta vertente para a Torre, em Portugal, só é comparável à vertente com começo em Covilhã, a outras vertentes para a Torre que passem pelo "adamastor" e a meia dúzia de subidas na Madeira.

Só recomendo fazer esta subida quem estiver em forma. Mesmo quem esteja em forma, tem que estar preparado mental e fisicamente para 4 horas (a 7,5km/h) de sofrimento.

Vamos lá então esmiuçar estes 1712 metros de desnível...

O começo da subida é logo após uma ponte em paralelo sobre o rio Alva, na localidade de Sandomil.


O 1º terço da subida é pela M514-1, que não tem o melhor dos pisos.


Após 700 metros há a viragem para a aldeia de Furtado, onde há outra vertente para a Torre que inclui 1800 metros em estradão, mas não é ela que vamos esmiuçar. :D


Aos 3km chegamos à localidade de Corgas onde existe o único troço em paralelo do PMP :D


Após os primeiros 5km com a inclinação média a 7%, há um descanso de 3km antes da tormenta que serão os seguintes 18… Sobre o lado esquerdo vê-se Sazes da Beira, onde começa a tormenta... :D


Uma amostra das duríssimas rampas de Sazes da Beira… Equivalentes ao “adamastor”.


Aos 10km finalmente encontramos bom piso, na N231 que vai de Valezim até à Portela do Arão.


Aos 13km, logo após a rotunda da Portela do Arão, entramos na estrada de São Bento e levamos logo com um aviso… :D


Estamos em pleno “Adamastor” a 1250m de altitude, sensivelmente a meio da subida. Já em zona de vegetação rasteira, eis que surgem umas árvores e uma pequena fonte. É a fonte do Vidoeiro, uma zona duríssima do “Adamastor”.


Olhando para trás vemos as vistas e a dureza do “Adamastor”…


Aos 22km finalmente entramos na estrada que vem de Seia, a 1650m de altitude. Atacam-se as últimas rampas antes de se chegar à zona de planalto.


Já estamos perto da Torre, na zona do planalto. Aqui a dificuldade não é a inclinação, mas sim a altitude e o cansaço acumulado de 26km de subida. Ao fundo, do lado direito já se vê o grande objectivo. :D


Depois de 31km, eis a Torre… Quase a 2000m de altitude. Com um bocado de sorte encontram-na branquinha. :D


Pavimento e tráfego
Os 10km iniciais são em estrada alcatroada mas sem bom piso. Há apenas um pequeno troço em paralelo em Corgas. Nos restantes quilómetros a estrada é larga e impecável.
O tráfego até à Portela do Arão é quase inexistente. Algum só dentro das localidades. Na estrada de São Bento já há algum trânsito, mas nada de assinalável. Já os quilómetros finais que se fazem na estrada que vem de Seia e no acesso à Torre, podem ter tráfego assinalável aos fins de semana e datas festivas.

Vertentes
São bastantes as vertentes para a Torre. Eu divido-as em 2 grupos. As vertentes que ultrapassam o “Adamastor” e as outras…
São 6 as vertentes que ultrapassam o “adamastor”:
- Sandomil (via Sazes da Beira) – 31,1km a 5,5%
- Vila Cova-à-Coelheira (via Valezim) – 29,7km a 5,5%
- Vide (via Alto do Carrazedo) – 29,9km a 5,6%
- Casal do Rei – 25,5% a 6,3%
- Loriga – 21,5 a 5,9%
- Furtado – 25,5km a 6,5% (1800m em estradão)

Já as outras são 5 e são as mais conhecidas…
- Seia – 30,3km a 5,2%
- Vila Cova-à-Coelheira (via Srª do Desterro) – 29,3km a 5,6%
- Unhais da Serra – 25,5km a 5,8% (1900m em estradão)
- Covilhã – 24,3km a 6,3%
- Manteigas – 21,9km a 6% (asfalto novinho em folha e a vertente mais bela)
Assim que me for possível colocarei no mapa dos Prémios de Montanha de Portugal todas as vertentes com os respectivos segmentos no strava.

Competição
Esta vertente nunca foi ultrapassada em competição, mas a Torre já foi chegada na Volta a Portugal uma “montanha” de vezes. :D
Eis os últimos vencedores:
2015 Delio Fernandez
2014 Rui Sousa
2013 Gustavo Veloso
2012 David Blanco
2011 André Cardoso
2010 David Blanco
2008 Rui Sousa
2004 David Arroyo

Segmento Strava e Mapas
O recorde deste PMP está em 1:47:59 à excelente média de 17,3km/h. Um record já com 2 anos. Este ano ainda não houve corajosos a conquistar o PMP com maior desnível de Portugal Continental.
Deixo aqui o trajecto. https://www.strava.com/segments/11979290

Este PMP, todos os outros aqui esmiuçados e os referidos nas etapas de montanha aqui colocadas podem ser vistos no mapa dos Prémios de Montanha de Portugal.
https://www.google.com/maps/d/u/0/viewer?mid=1RfTuLxo8KSXRZYkva8GsuxqT7B0&hl=en_US

PMP vizinhos
Pedras Lavradas, Penhas Douradas, Muro do Carvalho, Poço do Inferno e Santo Estêvão.

Etapa de montanha
Etapa de montanha desenhada pela serra da Estrela com impressionantes 5848m de acumulado. :D Quase sem zonas para rolar e com uma 2ª categoria, 4 de 1ª categoria (2 delas praticamente desconhecidas, sendo a subida da Portela de Folgosinho recém asfaltada) e final na categoria especial aqui esmiuçada, fazem desta etapa uma das mais duras possíveis em Portugal. :D



Boas trepadelas!!
 

RTC

Administrator
Staff member
@maust, sem querer abusar...e subidas por qualquer vertente que inclua misto alcatrão/terra batida?
Pelo que li, aí por Furtado tens 1800m.
Lembro-me de se falar qualquer coisa de uma subida paralela ao Vale Glaciar que iria dar ao Centro Limpeza Neve (Piornos) que tinha bastante sterrato.
Mas há mais?
 

NULL

Well-Known Member
@maust, sem querer abusar...e subidas por qualquer vertente que inclua misto alcatrão/terra batida?
Pelo que li, aí por Furtado tens 1800m.
Lembro-me de se falar qualquer coisa de uma subida paralela ao Vale Glaciar que iria dar ao Centro Limpeza Neve (Piornos) que tinha bastante sterrato.
Mas há mais?
Olha ele a querer dar treino na Gravel... :cool:
 

RTC

Administrator
Staff member
Já que se fala na vertente para a Torre com maior desnível, vou fazer o repost da esmiuçadela que foi aqui feita há já muito tempo


Torre por Sandomil

Dificuldade: Categoria Especial | Distância: 31,1 km | Inclinação Média: 5,5% | Altitude: 1991m |Desnível: 1712m | PMP: 393

Obrigado ao @maust pelo trabalho aqui desenvolvido e por me ter dado a conhecer esta subida. É dura sim senhor mas muito interessante de se fazer. Eu gostei e recomendo.
 

mariosimas

Well-Known Member
Já que se fala na vertente para a Torre com maior desnível, vou fazer o repost da esmiuçadela que foi aqui feita há já muito tempo


Torre por Sandomil

Dificuldade: Categoria Especial | Distância: 31,1 km | Inclinação Média: 5,5% | Altitude: 1991m |Desnível: 1712m | PMP: 393



Localização
Distrito da Guarda, concelho de Seia, serra da Estrela.

Esmiuçar o PMP

Torre... O local a maior altitude de Portugal continental.

Sandomil... O local a mais baixa altitude do Parque natural da serra da Estrela.

A ida à Torre por Sandomil proporciona a subida com maior desnível de Portugal Continental e passa pela já mítica estrada de São Bento (para os cicloturistas é mais conhecida por adamastor). :D

Em termos de dureza esta vertente para a Torre, em Portugal, só é comparável à vertente com começo em Covilhã, a outras vertentes para a Torre que passem pelo "adamastor" e a meia dúzia de subidas na Madeira.

Só recomendo fazer esta subida quem estiver em forma. Mesmo quem esteja em forma, tem que estar preparado mental e fisicamente para 4 horas (a 7,5km/h) de sofrimento.

Vamos lá então esmiuçar estes 1712 metros de desnível...

O começo da subida é logo após uma ponte em paralelo sobre o rio Alva, na localidade de Sandomil.


O 1º terço da subida é pela M514-1, que não tem o melhor dos pisos.


Após 700 metros há a viragem para a aldeia de Furtado, onde há outra vertente para a Torre que inclui 1800 metros em estradão, mas não é ela que vamos esmiuçar. :D


Aos 3km chegamos à localidade de Corgas onde existe o único troço em paralelo do PMP :D


Após os primeiros 5km com a inclinação média a 7%, há um descanso de 3km antes da tormenta que serão os seguintes 18… Sobre o lado esquerdo vê-se Sazes da Beira, onde começa a tormenta... :D


Uma amostra das duríssimas rampas de Sazes da Beira… Equivalentes ao “adamastor”.


Aos 10km finalmente encontramos bom piso, na N231 que vai de Valezim até à Portela do Arão.


Aos 13km, logo após a rotunda da Portela do Arão, entramos na estrada de São Bento e levamos logo com um aviso… :D


Estamos em pleno “Adamastor” a 1250m de altitude, sensivelmente a meio da subida. Já em zona de vegetação rasteira, eis que surgem umas árvores e uma pequena fonte. É a fonte do Vidoeiro, uma zona duríssima do “Adamastor”.


Olhando para trás vemos as vistas e a dureza do “Adamastor”…


Aos 22km finalmente entramos na estrada que vem de Seia, a 1650m de altitude. Atacam-se as últimas rampas antes de se chegar à zona de planalto.


Já estamos perto da Torre, na zona do planalto. Aqui a dificuldade não é a inclinação, mas sim a altitude e o cansaço acumulado de 26km de subida. Ao fundo, do lado direito já se vê o grande objectivo. :D


Depois de 31km, eis a Torre… Quase a 2000m de altitude. Com um bocado de sorte encontram-na branquinha. :D


Pavimento e tráfego
Os 10km iniciais são em estrada alcatroada mas sem bom piso. Há apenas um pequeno troço em paralelo em Corgas. Nos restantes quilómetros a estrada é larga e impecável.
O tráfego até à Portela do Arão é quase inexistente. Algum só dentro das localidades. Na estrada de São Bento já há algum trânsito, mas nada de assinalável. Já os quilómetros finais que se fazem na estrada que vem de Seia e no acesso à Torre, podem ter tráfego assinalável aos fins de semana e datas festivas.

Vertentes
São bastantes as vertentes para a Torre. Eu divido-as em 2 grupos. As vertentes que ultrapassam o “Adamastor” e as outras…
São 6 as vertentes que ultrapassam o “adamastor”:
- Sandomil (via Sazes da Beira) – 31,1km a 5,5%
- Vila Cova-à-Coelheira (via Valezim) – 29,7km a 5,5%
- Vide (via Alto do Carrazedo) – 29,9km a 5,6%
- Casal do Rei – 25,5% a 6,3%
- Loriga – 21,5 a 5,9%
- Furtado – 25,5km a 6,5% (1800m em estradão)

Já as outras são 5 e são as mais conhecidas…
- Seia – 30,3km a 5,2%
- Vila Cova-à-Coelheira (via Srª do Desterro) – 29,3km a 5,6%
- Unhais da Serra – 25,5km a 5,8% (1900m em estradão)
- Covilhã – 24,3km a 6,3%
- Manteigas – 21,9km a 6% (asfalto novinho em folha e a vertente mais bela)
Assim que me for possível colocarei no mapa dos Prémios de Montanha de Portugal todas as vertentes com os respectivos segmentos no strava.

Competição
Esta vertente nunca foi ultrapassada em competição, mas a Torre já foi chegada na Volta a Portugal uma “montanha” de vezes. :D
Eis os últimos vencedores:
2015 Delio Fernandez
2014 Rui Sousa
2013 Gustavo Veloso
2012 David Blanco
2011 André Cardoso
2010 David Blanco
2008 Rui Sousa
2004 David Arroyo

Segmento Strava e Mapas
O recorde deste PMP está em 1:47:59 à excelente média de 17,3km/h. Um record já com 2 anos. Este ano ainda não houve corajosos a conquistar o PMP com maior desnível de Portugal Continental.
Deixo aqui o trajecto. https://www.strava.com/segments/11979290

Este PMP, todos os outros aqui esmiuçados e os referidos nas etapas de montanha aqui colocadas podem ser vistos no mapa dos Prémios de Montanha de Portugal.
https://www.google.com/maps/d/u/0/viewer?mid=1RfTuLxo8KSXRZYkva8GsuxqT7B0&hl=en_US

PMP vizinhos
Pedras Lavradas, Penhas Douradas, Muro do Carvalho, Poço do Inferno e Santo Estêvão.

Etapa de montanha
Etapa de montanha desenhada pela serra da Estrela com impressionantes 5848m de acumulado. :D Quase sem zonas para rolar e com uma 2ª categoria, 4 de 1ª categoria (2 delas praticamente desconhecidas, sendo a subida da Portela de Folgosinho recém asfaltada) e final na categoria especial aqui esmiuçada, fazem desta etapa uma das mais duras possíveis em Portugal. :D



Boas trepadelas!!
Obrigado.

Este post é para coleccionar :)

Em Setembro volto lá para testar esse colosso de Sandomil.
 

petrix

Active Member
Já agora por estarem a falar na subida à Torre por essa vertente, no outro dia fiz a subida por Vide mas pela estrada principal, a N338, alguém já fez a subida de Vide por Muro e Cabeça?
Penso que seja ainda mais dura, estive para ir por lá, mas como a volta ainda ia ser grande, não quis arriscar.
 

JPLopes_73

Well-Known Member
Já agora por estarem a falar na subida à Torre por essa vertente, no outro dia fiz a subida por Vide mas pela estrada principal, a N338, alguém já fez a subida de Vide por Muro e Cabeça?
Penso que seja ainda mais dura, estive para ir por lá, mas como a volta ainda ia ser grande, não quis arriscar.
Já subi por essa que fizeste mas antes experimentei subir por Cabeça ... é uma boa dose ... para quem depois vai fazer o adamastor ...
https://www.strava.com/routes/14145253 ...
Quando fizemos essa saímos da Ponte das 3 entradas ... Colcuriunho ... descer ao piodão ... seguir até vide e subir novamente ... até à torre.
Descida para unhais da serra e contornar a serra na EN231 ... volta comprida
 

JPLopes_73

Well-Known Member
Obrigado.

Este post é para coleccionar :)

Em Setembro volto lá para testar esse colosso de Sandomil.
Há pouco tinha estado a falar com amigo sobre a maior subida à torre e não me soube dizer de onde saía ... fico a saber que sai de Sandomil ... proxima visita à torre a fazer por aí ;)
 

petrix

Active Member
Já subi por essa que fizeste mas antes experimentei subir por Cabeça ... é uma boa dose ... para quem depois vai fazer o adamastor ...
https://www.strava.com/routes/14145253 ...
Quando fizemos essa saímos da Ponte das 3 entradas ... Colcuriunho ... descer ao piodão ... seguir até vide e subir novamente ... até à torre.
Descida para unhais da serra e contornar a serra na EN231 ... volta comprida
Pois por Cabeça tem aspecto de a subida não ser tão constante e a parte final ser bem agreste... fica para uma próxima. ;)
 

maust

Well-Known Member
@maust, sem querer abusar...e subidas por qualquer vertente que inclua misto alcatrão/terra batida?
Pelo que li, aí por Furtado tens 1800m.
Lembro-me de se falar qualquer coisa de uma subida paralela ao Vale Glaciar que iria dar ao Centro Limpeza Neve (Piornos) que tinha bastante sterrato.
Mas há mais?
penso que foi o zorza a falar nelas

na altura estive a investigar e descobri quais os estradões em questão

são 2 subidas com cerca de 6km em estradão

uma delas é a tal paralela à estrada da vertente por Manteigas

vou tratar de criar os PMP
 

maust

Well-Known Member
Já agora por estarem a falar na subida à Torre por essa vertente, no outro dia fiz a subida por Vide mas pela estrada principal, a N338, alguém já fez a subida de Vide por Muro e Cabeça?
Penso que seja ainda mais dura, estive para ir por lá, mas como a volta ainda ia ser grande, não quis arriscar.

- Vide (via Alto do Carrazedo) – 29,9km a 5,6% (é a subida paralela à que passa pelas aldeias de Muro, Cabeça e Casal do Rei)
- Casal do Rei – 25,5% a 6,3% (é a tal que passa por essas aldeias todas, mas a quilometragem que tenho não é com começo em Vide; de Vide a Casal do Rei são uns 5km em falso plano, mas que tem algumas rampinhas inclinadas)