Estado da secção de ciclismo da Decathlon em Guimarães

EL PISTOLERO

Well-Known Member
#41
Quando usado o nomeadamente está em termos jurídicos a nomear de forma expressa e a título definitivo salvo futuras alterações aquilo que é considerado para os efeitos da lei, decreto, etc... e não de forma exemplificativa. Quando é dito velocípedes de outro tipo é precisamente para isso, ou seja, aglomerar todas as demais coisas na exclusão da comparticipação.

Aqui que aqui estamos a fazer confusão.... o legislador exemplifica e depois menciona outros tipos... ou seja, no global, o próprio legislador exclui os exemplos nomeados bem como os outros não mencionados expressamente...

E quanto ao resto concordamos. Foi o que eu disse aquilo que aqui acontece é que o espírito do legislador seja excluir todas as bicicletas que não sejam citadinas, mas podia ter sido melhor redigido. Misturar o TIPO e mais adiante a declaração de USO não foi o melhor.

Sim, podia... mas já é costume haver estas complicações na lei..

Outro exemplo era o mesmo que existir uma comparticipação para todos os carros do TIPO elétrico para USO citadino e que excluísse os carros desportivos.
Ora, uma empresa que trabalhe porta a porta dentro da cidade de Lisboa comprará um citadino para o seu trabalho.
É do TIPO elétrico e o USO citadino, mas é se comprar um Zoe por exemplo...se comprar um Tesla a candidatura à comparticipação terá que ser excluída porque é desportivo...mas se o vendedor passasse uma declaração em como o USO seria citadino à letra da lei é válido.

Confesso que de carros não percebo nada...:D

Agora quero acreditar que como disseram quem vá avaliar isto vá fazer as coisas dentro do espírito do legislador. Ainda assim...não vão faltar vendedores a faturar uma coisa e a vender outra..é o que acho.

Depois falta sempre ( ou não ) conhecer o Dr. Cunha... esse é um gajo porreiro... mas só para alguns...
 
#42
Um amigo meu, há tempos, dizia que para mudar isto não era começar pelos grandes que roubam milhões - era pelos pequenos que se armam em chicos-espertos sempre que podem.
Penso exactamente ao contrário, enquanto andamos apaixonadamente a discutir as "migalhas", andam alguns a a roubar à grande. E o pior é que quando esses roubam depois tem consequências em todos como por exemplo o que aconteceu no BES, PT e afins.

Em relação ao incentivo às bicicletas - não olhando ao que está na lei - acho que é totalmente irrelevante a tipologia da bicicleta e o seu preço.
Reparem que este incentivo insere-se num semelhante para carros e motas, que só por acaso para estes veiculos é bem superior.
Haverá alguém a ver se o carro/mota é para utilização citadina? ou se o incentivo é só para ZOE's baratos e o tesla X já não "merece"?

Independentemente disso também acho que não é subsidiando a compra que se vai promover o maior uso diário da bicicleta.
Infelizmente não é por termos mais bicicletas na garagem que se deixa de utilizar o carro.
Há uns anos vi um estudo qualquer que nos USA havia 1,5 bicicletas por habitante. No entanto, em geral, os níveis de commute nas cidades eram insignificantes.
acho que Portugal também é muito isto, o pessoal tem bicicleta mas não a vê como alternativa para o uso diário ou pelo mindset ou pelas condiçoes de segurança ou porque não dá mesmo.
 
#43
O Português é F, eu consigo ler qual o tipo de e alguns não consegue ler nenhum tipo
Deve de ser porque nem me passa pela cabeça ir comprar um tipo de bicicleta para fazer outro uso dela
Eu também acho que podem comprar uma bicicleta de 20000€, não podem é reclamar que os outros roubam


Olha para os outros e não olhes para mim
 

EL PISTOLERO

Well-Known Member
#44
caro @fernandes_85 mas como disse o @antunesfilipee era começar pelos pequenos....

eu só acrescento isto: "os pequenos é que elegem os grandes através do voto"

se vão roubar durante a sua estadia no governo é porque foram eleitos para lá estar...
é por isso que um voto não é apenas um voto..
 
#45
O Português é F, eu consigo ler qual o tipo de e alguns não consegue ler nenhum tipo
Deve de ser porque nem me passa pela cabeça ir comprar um tipo de bicicleta para fazer outro uso dela
Gostava de ver esse escrutínio aplicado aos outros meios de transporte também eles subsidiados: "você recebe o subsídio para o automóvel para ir passear à praia ou é para ir para o trabalho?"

@EL PISTOLERO Temos os políticos que merecemos. Basta ver Oeiras, um gajo condenado no concelho com mais letrados do país e ganha as eleições fácil. Outra coisa diferente será os políticos que dizem combater a corrupção e os que a combatem efetivamente.....
Eu quando não digo não acompanhar o "começar pelos pequenos" basta ver o exemplo da AT: se tiveres uma divida e fores um gajo pequeno ficas com o ordenado ou um bem penhorado. se for um distinto senhor não tens nada em teu e vives no luxo, como o LFV ou o Berardo ou o Vale e Azevedo, p.e
 

EL PISTOLERO

Well-Known Member
#46
Gostava de ver esse escrutínio aplicado aos outros meios de transporte também eles subsidiados: "você recebe o subsídio para o automóvel para ir passear à praia ou é para ir para o trabalho?"

@EL PISTOLERO Temos os políticos que merecemos. Basta ver Oeiras, um gajo condenado no concelho com mais letrados do país e ganha as eleições fácil. Outra coisa diferente será os políticos que dizem combater a corrupção e os que a combatem efetivamente.....
Eu quando não digo não acompanhar o "começar pelos pequenos" basta ver o exemplo da AT: se tiveres uma divida e fores um gajo pequeno ficas com o ordenado ou um bem penhorado. se for um distinto senhor não tens nada em teu e vives no luxo, como o LFV ou o Berardo ou o Vale e Azevedo, p.e

Eu não digo que temos os políticos que merecemos, digo que temos o que de um modo geral elegemos porque há muita gente que não merece levar com estes políticos - o cidadão cumpridor não merece!
O caso de Oeiras é absolutamente lamentável de facto e um individuo desses deveria ser interdito de exercer cargos públicos, independentemente de já ter cumprido a pena e ter pago pelo crime, é essa a minha opinião.
obviamente que quem paga é o mexilhão e disso não há dúvidas, e se de facto, alguns dos grandes pagassem pelos crimes que cometem teríamos uma sociedade mais justa e o crime deixaria de compensar, aí estou de acordo consigo!
mas para isso acontecer teríamos de começar a julgar os políticos (quem legisla) através do voto e enquanto isso não acontecer vai ser mais do mesmo...
Nalguns países já se nota que o povo está farto dos "partidos tradicionais", aqui em Portugal já se víu um bocadinho isso nas últimas eleições também... veremos se é para continuar...
 
#47
Complementando a informação ainda acerca do Incentivo pela Introdução no Consumo de Veículos de Baixas Emissões (2020), vi por acaso agora o Despacho n.º 3169/2020 que regula os montantes dos apoios:
Veículos ligeiros elegíveis com custo de aquisição até 62.500€, com apoio de 3.000€.
bicicletas elétricas apoio até 350€ e convencionais até 100€.

Vai na linha do que eu referi anteriormente: é curioso haver pessoal preocupado com o fim a que se destina a bicicleta e o seu valor de aquisição para ser elegível para este apoio e, por outro lado, haver no mesmo regulamento incentivos para veículos com custo de aquisição até 62.500€.

@EL PISTOLERO então afinal estamos de acordo. Eu quando digo temos os políticos que merecemos é no sentido que fomos nós coletivamente através do voto que os colocámos lá. É óbvio que nem todos votámos neles, mas a maioria assim o quis. Já nem falo no completo desinteresse e exigência relativamente ao que os políticos vão fazendo, simplesmente as pessoas não querem saber, só quando lhes toca pessoalmente. No entanto acho que isso é transversal a tudo em geral. Dou o exemplo simples do condomínio do meu prédio, que é dos exemplos mais simples de viver em comunidade e em conjunto. Poucos aparecem nas reuniões do condomínio, menos ainda disponíveis para administrar quando lhes toca. Desde que a porta da garagem abra e o elevador funcione, tudo o resto do "comum" é irrelevante.