Desafio Audace FPCUB

#1
Boas,

Há algum tempo que utilizo este fórum, em especial com o objetivo de consulta e leitura da opinião dos "profissionais" sobre os mais diversos temas.
Hoje, finalmente, decidi-me em fazer o registo, e colocar uma questão que há algum tempo me "atormenta". :)

Há cerca de 3 anos que comecei a dar umas pedaladas por aí (estrada), e algum tempo depois tive o meu primeiro contacto com o "Desafio Audace FPCUB".
Tenho seguido estes eventos apenas por intermédio da internet, através da página oficial, e da página de Facebook do "Desafio Audace".
Nunca participei, mas ultimamente tenho andado a pensar em participar nestes eventos.

A minha questão é simples:

Gostaria de saber qual a opinião que têm sobre o "Desafio Audace FPCUB", se já participaram ou participam, quais os aspetos positivos e negativos, e o que acham sobre as mais recentes novidades que se avizinham, refiro-me ao publicitado "Alvo", etc.

Fundamentem as vossas respostas, por favor, a fim de poder retirar algumas conclusões e tomar uma decisão.

Aguardo respostas dos conceituados utilizadores deste fórum. Obrigado! ;)
 
#2
O ano passado fiz quase todos os Audaces

Este ano ia pelo mesmo caminho mas tive uma queda no Porto - Lisboa e acabou-se a epoca!!!

O que o formato tem de interessante á o facto de nao ser uma corrida e nao tem andamento controlado

Era uma maneira de irmos andar com pessoal de todos os pontos do pais e andava o que podia e/ou queria

Este ano ouve uma alteracao em particular que quanto a mim retirou muita da popularidade que este evento estava a ganhar que se prende com a partida

Antes a hora de partida era as 08:00 (por norma) este ano criou-se uma janela entre as 07:00 - 08:00 (nao tenho a certeza exata desta janela temporal mas pode ser confirmada no site)

A "cena" do Alvo ainda nao percebi bem o que tem a ver com o andar de bicicleta mas foi uma alteracao introduzida recentemente (já depois do Porto - Lisboa)

Vejo esta alteraçao como se tivesse que fazer o pino no inicio ou tivece de atirar umas bolas de feitas de meia a umas latas!!! nada tem a ver com o evento (minha opiniao)

Como disse anteriormente o que está a matar o evento é a partida nao ser compacta o pessoal deixou de se juntar antes e depois

Passou a chegar (pouco mais do que cada um para si) entregar a carta e arrancar faz a volta e no final arranca

Para dar umas voltas com o pessaol "da rua" nao é preciso pagar uma inscricao e deslocar-me muitos Km

O ano passado tinha grupos para todos os andamentos e isso fazia com que se criasse um espirito muito bom de camaradagem e amizade

Para quem nunca fez deveria esperimentar até para saber como se aguenta em distancias acima dos 100 Km e em alguns casos com acomulado de respeito

No modelo atual aconselho a que nao aparecam sozinhos caso contrario podem muito bem ter de fazer a volta toda conforme chegaram
 
#3
o que está a matar o evento é a partida nao ser compacta o pessoal deixou de se juntar antes e depois
Pois é... Escreveu e disse...

Este é o grande senão das alterações introduzidas. Principalmente, o que me fez inscrever na FPCUB foi a participação nos Desafios Audace. Fiz o meu primeiro Audace em 2013 - Audace do Barreiro. Nesta altura e, que me lembre, até ao Audace de A-dos-Loucos já em 2014, a partida era dada em grupo, o que permitia uma convivência muito diferente. Podias escolher um grupo com andamento semelhante ao teu e ter um bom momento de camaradagem e companhia sempre agradável.

O Desafio Audace, acaba por ser sempre um desafio pessoal, que te permite testar os teus limites. Dá-te a possibilidade de percorreres um trajecto pré definido, traçares um objectivo e tentares cumpri-lo. Pessoalmente, já me deu gozo fazer um Audace que embora mais de 60% do trajeto fosse all alone (Audace de Constância), mas... com companhia tinha sido melhor.

Respondendo ao que o SidiR pergunta...

Os aspetos positivos prendem-se principalmente com o facto de definires um objetivo e de o tentares cumprir dentro do tempo determinado pela organização. Por outro lado, se conseguires integrar um grupo no momento em que começas a pedalar, passas um bom bocado numa volta diferente (concordo no entanto com o Magic 10 quanto ao facto de que se eu quiser dar uma volta pelo quintal com o ppl faço-o sem pagar mas também não tenho o "cromo" no final :) ). E por último, o convívio com um conjunto de pessoal que vem de diversos pontos do país (embora este convívio esteja a esfumar-se com as regras do arranque não ser em grupo).

Ponto(s) negativo(s). O que já referi. Acho que se desvirtualizou o conceito inicial do Audace, e que levou a que Desafios que no passado tivessem poucos participantes, passassem a contar com cerca de 200 inscritos, ou seja, com a alteração das regras de arranque em grupo, na minha opinião, perdeu-se grande parte da camaradagem e da convivência que se criou em torno dos Desafios Audace e que originava momentos como fotos de grupo, sem que se pertencesse a uma equipa.

A criação do Alvo surge, na minha opinião, como forma de tentar devolver ao Desafio Audace algo de novo que de alguma forma minorasse o impacto que as alterações na saída possam ter produzido (impactos, pelo que percebi, mais ao nível do feedback dos participantes dado que o primeiro Audace que fiz nestes moldes foi o de Constância e o último será o do Barreiro, pelo meio não houve participações minhas por questões familiares). Pelo que consegui perceber o alvo é definido pela organização e resume-se a um tempo estimado de conclusão do Desafio Audace. Quem mais se aproximar, ganha um bonus de pontos para o ranking final. Julgo que o tempo definido para o alvo não é divulgado antes da partida (corrijam-me se estiver errado).

Em suma, porque não tenho muita disponibilidade para participar noutros eventos, por não ser federado em competição e por ter pouca preparação física para outros eventos mais exigentes (tipo granfondos), os Desafios Audace assentam-me que nem uma luva. Mas, como já referi, estou a ponderar a continuação em 2015 na participação nestes eventos, dado que o sentimento de convivência que me fez ir de Setúbal até Constância e voltar no mesmo dia (sair de casa pelas 5 da manhã e chegar cerca das 18 horas) está a desaparecer. Continuo a ter vontade de conseguir a camisola amarela (neste caso a camisola de ouro :D ) participando em todos os audace, mas.... perdi um pouco da "pica" em participar nos Desafios Audace por causa desta alteração na saída.

Apenas ressalvar que embora tenha ficado triste e descontente com as alterações na saída, entendo perfeitamente a razão pela qual esta opção foi tomada (alerta das forças de segurança - GNR - sobre a colocação de muitos ciclistas na estrada ao mesmo tempo).

Boas pedaladas e bom Audace do Barreiro que é já o próximo e no qual vou participar.
 
#4
...O Desafio Audace, acaba por ser sempre um desafio pessoal...
Não sei se têm seguido os mais recentes desenvolvimentos relativamente ao "Alvo"? Quer me parecer que o "Alvo", é isso mesmo, um desafio pessoal estabelecido como meta e pontuado como tal!

Deixo o link da página que tenta esclarecer o que é o "Alvo"... já li, e parece-me bastante interessante.

http://desafioaudacefpcub.wix.com/desafioaudacefpcub#!o-alvo/c1xv3

Deixem as vossas opiniões! ;)
 
#5
Se a ideia da organização é atrair de novo, os cicloturistas para o Audace não é certamente com o "Alvo" que o vão conseguir pelo contrário...

Quem anda na estrada dá mais valor ao carinho e empenho demonstrado na realização deste tipo de eventos, e não é preciso muito um percurso bem escolhido e devidamente sinalizado, uns posto de controle com abastecimentos q.b. (pelo menos água e fruta), e se possível algum apoio mecânico em caso de acontecer alguma eventualidade qualquer, e o resto deixem por nossa conta que a malta quer é fazer km de preferencia na companhia de amigos.
 

Duke

Well-Known Member
#6
Penso que foram obrigados a criar a janela temporal de partida das 7h ás 8:30h porque começou a ser normal juntarem um Plutão de 200 e 300 cicloturistas, o que tornava o transito caótico nas estradas por onde passavam.

É pena mas assim teve de ser.

Penso que podiam era fazer (com um controlo zero) partidas organizadas em plutão de 15 em 15 minutos ou 30 em 30m e assim regressavam um pouco aquilo que era o audace no passado.

Boas pedaladas!
 
#7
Penso exactamente como tu, nestes modos acho que não vou fazer nenhum...
Penso que foram obrigados a criar a janela temporal de partida das 7h ás 8:30h porque começou a ser normal juntarem um Plutão de 200 e 300 cicloturistas, o que tornava o transito caótico nas estradas por onde passavam.

É pena mas assim teve de ser.

Penso que podiam era fazer (com um controlo zero) partidas organizadas em plutão de 15 em 15 minutos ou 30 em 30m e assim regressavam um pouco aquilo que era o audace no passado.

Boas pedaladas!
 
#8
Se a ideia da organização é atrair de novo, os cicloturistas para o Audace não é certamente com o "Alvo" que o vão conseguir pelo contrário...

Quem anda na estrada dá mais valor ao carinho e empenho demonstrado na realização deste tipo de eventos, e não é preciso muito um percurso bem escolhido e devidamente sinalizado, uns posto de controle com abastecimentos q.b. (pelo menos água e fruta), e se possível algum apoio mecânico em caso de acontecer alguma eventualidade qualquer, e o resto deixem por nossa conta que a malta quer é fazer km de preferencia na companhia de amigos.
Figueiredo, nem eu diria melhor, pois isso é o suficiente para o sucesso dos eventos audace, estas modernices em termos de beneficios creio e no meu entendimento nada trazem de valor acrescentado para o evento em si!
 
#9
O Desafio Audace sempre foi um passeio de bicicleta em que a filosofia de criação é simplesmente liberdade para pedalar.
Por isso cada um pedala no seu próprio ritmo. A caramadagem e convivio acontesse como em qualquer outra modalidade, não é pelo facto de alteração do modelo de partida
que ela não possa acontecer, se não acontesse é porque os Audaciosos também não fazem por ela, nota-se algum farnezim para partir.

Quanto ao Alvo:

O Alvo vai tornar o Audace modalidade unica no mundo.
Com a introdução da aposta pessoal no Alvo, o Audace passa a ter outras dinâmicas e mantem intactas a directrises iniciais (liberdade para pedalar com quem e como,o primeiro e o ultimo têm o mesmo valor, o desafio, a distância e acumulado de dificuldades, a orientação e gestão).
O Alvo é tão simples quanto isto, na inscrição dizer qual a média que julga alcançar no final e trabalhar para ela. Gerir os tempos de paragem porque a média Audace é sempre mais baixa que a nossa em andamento. Encontrar aliados durante ou antes do Audace com o mesmo objectivo e pontuar o mais próximo possivel do objectivo.
Com companhia ou a solo isto é liberdade para pedalar.

A lista de inscritos vai sair com os objectivos defenidos por cada um
É possivel combinar objectivos com outros Audaciosos antes de fazerem a inscrição.
 
#11
Se a ideia da organização é atrair de novo, os cicloturistas para o Audace não é certamente com o "Alvo" que o vão conseguir pelo contrário...

Quem anda na estrada dá mais valor ao carinho e empenho demonstrado na realização deste tipo de eventos, e não é preciso muito um percurso bem escolhido e devidamente sinalizado, uns posto de controle com abastecimentos q.b. (pelo menos água e fruta), e se possível algum apoio mecânico em caso de acontecer alguma eventualidade qualquer, e o resto deixem por nossa conta que a malta quer é fazer km de preferencia na companhia de amigos.

Concordo. Reforço que todos Audaces, deveriam ter o percurso devidamente sinalizado.
 
#12
Cá estou de volta para colocar umas "achas" na fogueira... ;)

Como disse no post inicial, que estava a ponderar uma participação no Desafio Audace, tive a oportunidade de participar no primeiro Audace deste ano (2015), o UDCA.

Era um Audace que se adaptava bem ao meu andamento. Não muito longo, e com um acumulado relativamente acessível. Infelizmente não pude participar nos outros já realizados este ano por compromissos profissionais.

No que diz respeito ao que o "Miguel Mendes" diz:

Concordo. Reforço que todos Audaces, deveriam ter o percurso devidamente sinalizado.
Não tenho nada a apontar neste particular no Audace em que participei. Bem sinalizado em todas as "viragens".

Relativamente às alterações que o Desafio Audace FPCUB sofreu com a introdução do "Alvo" e depois de ter participado, cheguei a algumas conclusões que gostava de partilhar com os membros deste fórum.

Em primeiro lugar, acho o "Alvo" muito interessante, uma vez que se adapta a todos os objetivos que o Cicloturista pode ter, se não vejamos:
- Desejo desfrutar do passeio, pedalando com calma, apreciado a paisagem e apreciando o convívio com outros participantes, basta para isso designar um Alvo com uma velocidade média baixa. Claro que a tal média baixa fica ao critério de cada um, uma vez que nem todos têm o mesmo andamento, ou a mesma preparação física.
- Desejo colocar à prova as minhas capacidades, o meu treino, então nesse caso, depois de analisar o percurso, aposto numa velocidade média alvo que considero muito próxima dos meus limites. No final posso verificar se a minha aposta estava correta, ou não.
- Se tiver pretensões ao Ranking (que não é o caso :) ), faço apostas próximas do que considero ser o meu limite, mas deixando uma margem de manobra para que possa jogar com o tempo disponível para a conclusão do Audace. Ou seja, uma aposta ligeiramente inferior ao que considero ser o tempo que vou demorar a concluir a prova. Claro que para isso terei que participar em todos ao Audaces ao longo da época.
- Para os mais "desportistas", ou os que têm um espírito mais "competitivo", também se pode adaptar, sendo que neste particular não faz muito sentido ser feito a solo, ainda que não seja impeditivo. Num grupo de amigos será eventualmente melhor. Estipulando um Alvo cuja velocidade média seja elevada (em que nenhum dos elementos do grupo consiga atingir), acabado o Audace se verá quem mais se aproximou da aposta feita.

Se acrescentarmos a isto o facto destas novas características o diferenciarem de tudo o que é Cicloturismo a nível mundial (segundo o que foi dito por aí nuns posts atrás) então acabo por considerar que as alterações introduzidas acabam por ser uma mais valia para estes eventos, e que a FPCUB está de parabéns por esta evolução no conceito Audace.

Qualquer dia temos os Franceses a "roubarem" o conceito, eles que se consideram a "pátria" do ciclismo. :)

Provavelmente vou ter opiniões divergentes, mas a minha é esta! :cool:

Opinem, p.f. ;)
 
#13
A questao do ALVO é que o pessoal marca a media por baixo e depois fica no café na amena cavaqueira e so carimba a carta para acertar no ALVO se acham isso interessante é participarem e fazerem o mesmo para ter pontuacao maxima!!! :)

Pessoalmente acho uma aberracao pelo que descrevi anteriormente!!!

Os andamentos sempre foram os que cada um podia ou queria fazer a pontuacao era dada pelos km e elevacao se todos acabasem o evento teriam todos a mesma pontuacao
 
#14
A questao do ALVO é que o pessoal marca a media por baixo e depois fica no café na amena cavaqueira
Para os que diziam que o convívio tinha acabado com a alteração do sistema de partidas, se calhar está aqui a solução encontrada.

De resto, marcando a média por baixo, pode-se fazer a gestão do andamento durante a volta, para que não se tenha que ficar muito tempo no final a aguardar para carimbar a carta de rota.

Os andamentos sempre foram os que cada um podia ou queria fazer a pontuacao era dada pelos km e elevacao se todos acabasem o evento teriam todos a mesma pontuacao
Na minha opinião, o mesmo acontece agora, feita a gestão correta da aposta e a do passeio, pode-se sempre acabar com a pontuação máxima. O facto de se fazer a correta gestão destas variantes, aumenta o interesse na pontuação final obtida por cada um dos participantes.

O Desafio Audace prima agora por ser diferente de outros eventos, e é essa diferença que o torna interessante.

Mas claro, é apenas a minha opinião! ;)
 
#15
Eu acho que o user SidiR se deveria identificar para saber com quem estamos a falar, é no mínimo "estranho" alguém que apenas fez um Audace na vida venha aqui defender com tanto afinco as novas regras no que respeita aos Desafios Audace.

Eu sei qual foi o intuito da criação do Alvo, mas é apenas a minha opinião está na hora de outros ganharem a classificação, acho bem quem concorda com as novas regras participa, quem não se identifica não é obrigado.

Os principios básicos dos Desafios Audace 5* acho o conceito muito interessante, agora tudo o que não tenha a ver com pedalar vem estragar (neste caso o Alvo), mas claro é apenas a minha opinião! :)
 
#16
Não estou a defender nada, muito menos com muito "afinco". Não ma cabe a mim defender seja o que for. Apenas acho o conceito interessante.

Como disse no meu post inicial, o que abriu este tópico de discussão, é que já conheço o Desafio Audace há algum tempo, e tenho-o seguido com algum interesse, apenas por via digital, até ter participado no 1º Audace deste ano.

Quanto a mim, só há 2 maneiras de encarar esta modalidade. A vertente desportista e a vertente cicloturística. Se na primeira se coloca primazia na prestação do atleta, já na outra se dá valor a outros fatores, como o convívio, o passeio em si, os objetivos pessoais, etc. E como disse anteriormente, o que acho interessante é que o Desafio Audace consegue aliar todos estas facetas da mesma modalidade, num evento apenas.

Quem não se revê no conceito não participa, nem ninguém é "obrigado" a participar, isso parece-me óbvio.

Dizer-se que o "Alvo" nada tem a ver com pedalar, é que me parece algo rebuscado, ou não perceber o conceito "da coisa", até para mim, um "maçarico" nestas "andanças".

... está na hora de outros ganharem a classificação...
Esta fiquei à "toa"! Se me quiser explicar. :confused:
 
#17
Na primeira não se coloca primazia na prestação do atleta pq essa nunca foi tida em conta. A pontuação nunca foi dada em relaçao a prestações (tempos), mas sim pela simples regra "go/no go", acabou ou não acabou. Bastava para isso ter iniciado o passeio a horas (levantando a carta de rota atempadamente para o inicio), ter carimbado em todos os postos de controle e ter finalizado dentro do tempo limite estipulado.

Este Alvo sim, vem obrigar a cumprir tempos, sejam eles de maior ou menor dimensão e para andar a controlar tempos, não vejo interesse nisso. Para isso vou trabalhar...
 
#18
Qualquer corrida hoje em dia existe uma coisa chamada chip, porque não adoptar o mesmo nos audaces, partes passas num pórtico comeca o teu tempo a contar depois os melhores tempos tem a pontuação máxima depois a cada 5/10min perde um ponto e acaba-se com esta historia dos alvos.