Provas/Granfondos Amadoras Estrada 2022

prata_7

Well-Known Member
Como já disse o Prata_7, não é um problema das provas, mas sim da sociedade. Quem deita lixo para o chão no dia-a-dia, também o vai fazer nas provas, independentemente das regras que imponham. Tantos e tantos quilómetros que estás sozinho, no meio do nada, e é tão fácil fazer isso, por isso, é mesmo uma questão de civismo e educação da pessoa, mais do que regras/castigos que tentes criar.
Mas vejo aqui tanta gente indignada com embalagens no chão, mas não vi ninguém indignado e comentar/citar/falar sobre castigos, a que deveriam ser impostos aos meninos que fazem dos arranques das provas um verdadeiro perigo para os outros, atletas e público (para eles, o corpo é deles...).

Extremismo.
Mesmo que nem saibas como ela lá foi parar...

Isso para mim já tem mais a ver com a organização, sempre dizem que são provas sem vertente desportiva, mas depois premeiam os primeiros. Eu acabava com esses prémios, ou então fazer a vertente de competição a sair uns 5 min mais cedo.
Também não é situação fácil de controlar, uma vez que há gente que põe outra em perigo sem querer por não estar habituado a pedalar em pelotão..
Mas para mim criar uma divisão de competição ajudava um pouco.
 

prata_7

Well-Known Member
Compreendo o que dizes, mas sinceramente, um marmanjo que deita embalagens de gel para o chão muito provavelmente manda-te para o outro lado quando lhe disseres qualquer coisa sobre isso. Era bom que quando se dissesse alguma coisa a esses gajos eles pusessem a mão na consciência e vissem que agiram mal, mas infelizmente esse tipo de pessoas não têm educação, civismo e respeito, por isso duvido muito que faça alguma diferença dizer alguma coisa ou não...
Lá está, acontece precisamente o contrário do que devia ser. Mas é a nossa sociedade..
Mas se for 1 a deitar lixo é forem 4 ou 5 a avisa lo que isso não era correto poderia por alguns casos a pensar nos seus atos
 

Trizade

Well-Known Member
Lá está, acontece precisamente o contrário do que devia ser. Mas é a nossa sociedade..
Mas se for 1 a deitar lixo é forem 4 ou 5 a avisa lo que isso não era correto poderia por alguns casos a pensar nos seus atos
Se ao menos isso acontecesse o mundo era um sitio melhor. Eu se visse alguém a deitar para o chão de certeza que não ficava calado. Mas sei que na realidade, o que quer que seja que eu dissesse a um marmanjo desses, iria entrar a 100 e sair a 1000...
 

António Pereira

Active Member
Como é que controlavas isso?
A partir de que ponto é considerado perigoso ou um risco para os outros? Existem situações que são óbvias, mas outras que não são assim tão óbvias.
Mas mesmo sem ter isso em consideração, no meio a confusão que é um início de GF, como é que castigavas essas pessoas?
Achas mais fácil punir essas pessoas ou as que mandam lixo para o chão? Nos primeiros 2, 3km apanhas os artistas que andam a põr em perigo os outros, enquanto que em 140km se calhar não apanhas os que mandam o lixo para o chão.

Perigoso a partir do momento em andas em cima dos passeios.
Perigos a partir do momento em que andas a tentar furar o tráfego de bicicletas em estradas apertadas e com piso molhado, arriscando uma queda coletiva.
Como os castigava? Os que tentam furar o tráfego, dou-te razão, não sei como, e sequer se tens base para os castigar, são "apenas" inconscientes.
Os que andam no passeio? Nem no dia-a-dia podes andar de bicicleta no passeio, quanto mais numa prova. O passeio é motivo suficiente para os desclassificar. Atenção que me estou a referir aos inícios de prova, primeiros 2, 3km, é aí que vejo isso acontecer, depois disso já não.
 

António Pereira

Active Member
Isso para mim já tem mais a ver com a organização, sempre dizem que são provas sem vertente desportiva, mas depois premeiam os primeiros. Eu acabava com esses prémios, ou então fazer a vertente de competição a sair uns 5 min mais cedo.
Também não é situação fácil de controlar, uma vez que há gente que põe outra em perigo sem querer por não estar habituado a pedalar em pelotão..
Mas para mim criar uma divisão de competição ajudava um pouco.
Também concordo com isso, uma divisão entre quem está a competir por prémios e classificações, e os outros (como eu), que estão a "competir" contra eles próprios, seja para terminar, seja para melhor o tempo que já haviam feito, etc.
 

Trizade

Well-Known Member
Tal como disse, existem situações que são óbvias e facilmente detetáveis... Tal como andar em cima dos passeios...
Mas lá está, no meio da confusão que é um início de um GF como é que os "apanhavas" a todos. É impossível...
Tal como a situação dos géis, não se consegue controlar minimamente infelizmente.
Lamentavelmente é uma utopia pensar que se pode controlar qualquer uma das situações, os géis e os malucos da classificação...
 

gfrmartins

Well-Known Member
Eu atrevo-me a dizer que são as mesmas pessoas em ambas as situações.

E muitos dos que saem todos malucos, a ir por cima dos passeios não estão lá a lutar por classificação nenhuma, são os mesmos que rebentam uns klms à frente e depois mudam para o mini ou para o médio por causa das "más sensações".

É complicado, são coisas que só depende do civismo, boa educação e saber viver em sociedade coisa que cada vez é mais escasso e o Português tem grandes lacunas nessas coisas e isso só muda com tempo e campanhas e mudanças de mentalidade,

Pode haver consequências e penalizações mas além de ser complicado a sua implementação pelo que estamos a falar não muda tudo, veja-se a questão da velocidade no automóvel, anos e anos de caça a multa, principal e uma das únicas tarefas atribuídas às forças de segurança, radares escondidos, multas altas mudou muito a velocidade média praticada em Portugal? Reduziu a mortalidade por acidentes or excesso de velocidade? Reduziu as contra ordenações e a malta começou a andar mais devagar?

Não me parece.

Mas concordo que tem que haver regras e penalizações, mas esse controlo que é de dificil implementação não será a solução principal na minha opinião
 

NULL

Moderador
Staff member
Eu acho que se está a dramatizar em demasia as situações. As organizações têm promovido estratégias para minimizar os excessos, caso do ecosorteio, acabar com garrafas de plástico individuais, etc… mas não pensem que vão ser polícias. Afinal de contas eles vivem de quem participa nas provas.
 
Pode haver consequências e penalizações mas além de ser complicado a sua implementação pelo que estamos a falar não muda tudo, veja-se a questão da velocidade no automóvel, anos e anos de caça a multa, principal e uma das únicas tarefas atribuídas às forças de segurança, radares escondidos, multas altas mudou muito a velocidade média praticada em Portugal? Reduziu a mortalidade por acidentes or excesso de velocidade? Reduziu as contra ordenações e a malta começou a andar mais devagar?

A caça à multa em Portugal é uma daquelas coisas que ditas tantas vezes que se tornam verdade. O problema de Portugal, comparado com outros países Europeus, é exactamente o contrário, muito pouca fiscalização da velocidade e multas brandas ou que não são eficazes por se perderem nas burocracias e outros truques.

Basta ver como é aqui ao lado em Espanha. Vou olhando para os jornais dos meus vizinhos de Salamanca e é só malta a ir dentro (não é multa, é mesmo prisão) por excessos de velocidade. Muitos, como não será de estranhar, são Portugueses.


É ver os carros de matricula Francesa e Suíça a acelerar pela A25 e mal passam Fuentes de Oñoro deixam de ter o pé pesado.
 

Reis

Well-Known Member
É uma verdade que há pessoal a arriscar demasiado nas partidas, na minha opinião sem necessidade até porque os da frente já vão bem longe. Assim como nas descidas, o meu medo é ser abalroado por alguns kamikazes. :) Já esses kamikazes devem estar a pensar que eu só estou a estorvar, devo parecer aqueles papa-reformas. :D
 

jattamasso

Well-Known Member
É uma verdade que há pessoal a arriscar demasiado nas partidas, na minha opinião sem necessidade até porque os da frente já vão bem longe. Assim como nas descidas, o meu medo é ser abalroado por alguns kamikazes. :) Já esses kamikazes devem estar a pensar que eu só estou a estorvar, devo parecer aqueles papa-reformas. :D
Eu por acaso estava com bastante receio da descida do Candal até à Lousã...
Se chovesse, e caso fosse em grupo, iria ficar para trás, já tive vários sustos nessa estrada... felizmente não choveu, e fiz a descida completamente sozinho;
Também não gosto muito de arriscar a descer, então naquela estrada, nem se fala...
 

António Pereira

Active Member
Alguém sabe alguma coisa do Granfondo Senhora da Graça para 2023? É que no site do Cabreira Solutions, não aparece esse Granfondo.
E para a data que fizeram no ano passado, já têm marcado o Granfondo de Coimbra, para 18 junho.
 
Top