Pequenas (Grandes) Conquistas...

Trizade

Well-Known Member
Tal como o nome do tópico indica, pensei em criar uma thread onde se pode partilhar essas pequenas (grandes) conquistas que nós simples amadores da modalidade vamos tendo ao longo dos nossos percursos nesta bela modalidade. Pode ser o que quiserem. Personal records em determinados percursos, KOM's no Strava, velocidade média atingida, etc. Tudo o que quiserem.

Para começar o tópico eu tenho 2 conquistas que gostava de partilhar convosco.

1ª Conquista - Em 2018, tinha literalmente mais 30kg do que tenho hoje e fumava quase 2 maços de tabaco por dia. Por isso podem imaginar o meu estilo de vida. Passei anos assim e como tal tinha-me desleixado completamente. No início de 2019 tomei a decisão de deixar de fumar, perder peso e começar a levar a bicicleta mais a sério. Quando comecei a treinar, fiz um Ramp Test no Trainerroad em que colocou o meu FTP nos 1.74w/kg.
Tenho vários objetivos no ciclismo, alguns bem difíceis, e um deles era atingir os 4w/kg. Ora no final de 2021 consegui atingir esse objetivo finalmente. (Através do teste de FTP de 20'). Foi um grande orgulho para mim atingir este valor especialmente tendo em conta o "estado" em que eu estava em 2018.

2ª Conquista - Ontem consegui atingir um outro objetivo que eu tinha desde que comecei a treinar mais a sério. Consegui finalmente subir o Montejunto (pelo lado de Vila Verde dos Francos: Este Segmento) em menos de 30 minutos!!! Fiquei nas nuvens quando cheguei lá acima e percebi que tinha conseguido baixar dos 30minutos. Tendo em conta que a 1ª vez que fiz esta subida demorei 40minutos acho que foi uma evolução tremenda!

E estas foram as minhas 2 principais conquistas até ao momento no ciclismo. Para alguns isto pode não ser nada de especial, mas para mim são uma grande vitória. Foi preciso muita disciplina, muito treino e muitas horas para passar de 1.74w/kg e de 30kg a mais para onde estou agora, e isso deixa-me muito contente e com vontade de continuar a treinar para continuar a evoluír nesta bela modalidade.

Por isso vamos a isso malta. Vamos lá partilhar essas conquistas!
 

Octavio

Active Member
Desde de pequeno que gostei de andar de bicicleta, mas foi depois dos 25 anos que ganhei o bixinho da bicicleta. A minha primeira grande conquista foi em 2009 fiz Caldas da Rainha - Aveiro o que deu 200 km, fiz sozinho con a minha Scott Reflex roda 26.
Em 2010 comprei uma bicicleta de estrada uma Cannondale Synapse, nesse ano de 2010 subi a serra de estrela pela primeira vez.
Em 2011 perdi o numero de vezes que subi o Montejunto em todas as vertentes e voltei a subir a Serra da estrela por Seia em menos de 2 horas. Entre 2014 e 2016 fiz outra conquista mas sem bicicleta, dexei o meu emprego e viajei por 40 países de mochila às costas, uma aventura de uma vida. Fica aqui uma das entrevistas sobre a minha aventura
Depois da viagem mudei-me para Rio Tinto no grande Porto, levou um tempo para voltar andar de bicicleta regularmente este ano experimentei fazer o meu primeiro Granfondo fiz o Porto Gaia 156 km, subi pela primeira vez senhora da Graça no Granfondo onde optei pelo Mediofundo
 

tuga

Well-Known Member
Aos 45 e após 23 anos sem ela, reencontrei-me com a bicicleta (nova) e passei a fazer mais kms nela por ano q com o carro da firma.
Em 2015 participei e finalizei o Rhônmarathon na Alemanha (163km, 2200hm), nos 3 anos seguintes, entre outros pequenos eventos, fiz a volta grande da Vätternrundan. Em 2018(?) fui à Polónia, Gdynia, fazer o GFNY.

Isto tudo, depois do fim do futebol amador aos 35 por diversas lesões, intervalo de 8 anos sem desporto algum, o nascimento das 2 filhas em 2003/2004.
 

Trizade

Well-Known Member
Subi o Ventoux.

Fiz a Douro Bike Race.

Fui um dos 300 que terminou a mítica 5 Cumes de 2012 (?), com 3 mil ciclistas à partida.

Ganhei uma prova.

Ensinei os meus filhos a andar de bicicleta.

Adorava subir o Ventoux ou outra dessas míticas da Volta à França. Parabéns por essa conquista!
 

Jazz

Well-Known Member
Adorava subir o Ventoux ou outra dessas míticas da Volta à França. Parabéns por essa conquista!
Obrigado.

A tua mudança é impressionante, parabéns.

Costumo dizer que deixar de fumar é tão fácil, que eu até já deixei 5 vezes.

E tirar 30kg não é fácil. Quanto tempo demoraste, sabes?
 

Trizade

Well-Known Member
Obrigado.

A tua mudança é impressionante, parabéns.

Costumo dizer que deixar de fumar é tão fácil, que eu até já deixei 5 vezes.

E tirar 30kg não é fácil. Quanto tempo demoraste, sabes?

Obrigado.

Foi no ano novo de 2020 para 2021 que tomei a decisão de deixar de fumar e de perder peso e levar mais a sério o treino da bicicleta.
Atingi os 30kg perdidos à cerca de um mês. Portanto 1 ano e meio mais coisa menos coisa.
 

TiagoLopes

Well-Known Member
Bom Tópico @Trizade ;)

Na primeira vez que peguei na bicicleta subi uma rua aqui no bairro ( 100m a 8% ) e no final tive de parar e deitar me. Pensei que ia morrer, no final do mês passado subi á Torre. Parece quase inacreditável.

Adorei ter feito á umas semanas Santa Comba Dão - Mira que era uma viagem que o meu pai e o meu tio faziam á 30 anos atras, infelizmente já não fui a tempo de fazer com o meu tio.

Parabéns @Trizade ;) O Ventoux deve ser top e imagino a quantidade de ciclistas a subir. Parabéns @Jazz ;)
 

Trizade

Well-Known Member
Bom Tópico @Trizade ;)

Na primeira vez que peguei na bicicleta subi uma rua aqui no bairro ( 100m a 8% ) e no final tive de parar e deitar me. Pensei que ia morrer, no final do mês passado subi á Torre. Parece quase inacreditável.

Adorei ter feito á umas semanas Santa Comba Dão - Mira que era uma viagem que o meu pai e o meu tio faziam á 30 anos atras, infelizmente já não fui a tempo de fazer com o meu tio.

Parabéns @Trizade ;) O Ventoux deve ser top e imagino a quantidade de ciclistas a subir. Parabéns @Jazz ;)

Obrigado.
E a subida à torre não é para todos. Eu vou lá para o ano no GF da Serra da Estrela. Pensei em ir este ano, mas tive medo de não estar em forma para aquela dificuldade. Então preferi passar este ano a treinar antes de tentar subir aquela monstruosidade!!! Parabéns pela tua evolução também. ;)
 

elchocollat

Well-Known Member
Bommm tópico @Trizade !
Os nossos objectivos são sempre os mais importantes e por isso parabéns aos que já postaram e os que postarão (esta palavra existe!? :D)

Pessoalmente , subi a serra da estrela pela 1a vez em 2012 e o Alpe D'Huez em 2013. Tenho o meu pai a viver nos Alpes, e cada vez que me lembro que só tenho que ir lá e subir seja o que for, parece uma ofensa para aqueles que não têm a mesma facilidade que eu, e um crime até :D
Digo só que já visitei muitos dos Cols da zona (de carro) e é uma sensação fantástica :)

Subir a serra da estrela é sempre espetacular. De resto, fiz este ano pela 1a vez a 1a volta com km superiore a 150km e aguentei-me bem, que era o objectivo. Não quebrei, e isso deixou-me ainda mais feliz.
De resto, pequenas coisinhas devem ser sempre celebradas/guardadas, pois são elas que nos fazem sonhar mais alto! :)

Força a todos!!
 

Trizade

Well-Known Member
Bommm tópico @Trizade !
Os nossos objectivos são sempre os mais importantes e por isso parabéns aos que já postaram e os que postarão (esta palavra existe!? :D)

Pessoalmente , subi a serra da estrela pela 1a vez em 2012 e o Alpe D'Huez em 2013. Tenho o meu pai a viver nos Alpes, e cada vez que me lembro que só tenho que ir lá e subir seja o que for, parece uma ofensa para aqueles que não têm a mesma facilidade que eu, e um crime até :D
Digo só que já visitei muitos dos Cols da zona (de carro) e é uma sensação fantástica :)

Subir a serra da estrela é sempre espetacular. De resto, fiz este ano pela 1a vez a 1a volta com km superiore a 150km e aguentei-me bem, que era o objectivo. Não quebrei, e isso deixou-me ainda mais feliz.
De resto, pequenas coisinhas devem ser sempre celebradas/guardadas, pois são elas que nos fazem sonhar mais alto! :)

Força a todos!!

Tal como já disse em cima, adorava subir uma dessas míticas do TdF. Parabéns por já teres ido ao Alpe D'Huez.
E aquela parte que coloquei a bold do teu post reflete na mouche o espirito com que criei este tópico. Para celebrar e partilhar as pequenas conquistas com quem mais percebe que o que algo que pode parecer insignificante para a malta que não pratica esta modalidade, para nós é uma conquista enorme!!!
 

NULL

Moderador
Staff member
Nem de propósito… :D

Este tópico surge precisamente no fim de semana que eu fiz a maior conquista no que às bicicletas diz respeito. E foi uma grande conquista para mim porque foi numa modalidade que eu não costumo fazer e para a qual não tenho qualquer prática ou experiência. Se na estrada a técnica é importante, no BTT é fundamental, ainda para mais num evento como o que fiz.

Para quem gostar de resumos, aqui vai o meu:

Vila do Conde Peneda Gerês Extreme concluído! O que dizer da experiência? Bem… quando há meia dúzia de anos eu ouvia de amigos que faziam esta prova, quando eu ainda nem sequer andava de bicicleta, dizer que era uma prova de superação pessoal, uma prova que testava os limites, eu estava longe, muito longe, de imaginar que um dia a faria.
Pois bem, eles tinham razão. Na verdade, como partilhei com o meu parceiro de dupla, os 3 objetivos que eu tinham eram muito claros, objetivos e sequência bem definida:

1 - Não ter quedas;

2- Conseguir ter força física e mental suficientes para terminar a prova;

3- Caso terminasse, o fizesse com o sentimento que não teria mais nada para dar! Terminar com a sensação que tinha dado TUDO o que tinha, deixar tudo nos trilhos e nas serras, levar-me ao limite!
Felizmente consegui cumprir com todos os objetivos. É muito gratificante terminar um desafio desta exigência e sentir que consegui cumprir com todos os objetivos a que me tinha proposto.
Quanto à prova em si o que dizer… foram 3 etapas muito duras, muito exigentes! Para dificultar ainda mais a dureza das etapas juntou-se o facto de eu não ter qualquer experiência em fazer BTT ou fazer provas por etapas.
1- A primeira etapa teve como menú 118km com 3400d+. Etapa muito dura pela extensão e por acumular todas as subidas nos últimos 80/90km. Fizemos a etapa sem entrar em loucuras na parte inicial, onde supostamente não havia grandes dificuldades, e parece ter dado frutos a estratégia. Fizemos uma etapa de trás para a frente onde conseguimos um 14 lugar no escalão.
2- A segunda etapa era mais curta mas acabou por ter condições muito especiais. Foi feita debaixo de um calor abrasador e conseguiu juntar vários pontos altos do Gerês em 78km. Foram quase 3000 metros de subida em apenas 78km, e, para dificultar ainda mais o desafio, algumas das subidas eram muito técnicas, com pedra e gravilha, e com inclinações assustadoras. Contudo, tal como na etapa anterior, fizemos uma etapa em crescendo e a recuperar posições até à meta. No final conseguimos melhorar uma posição na geral do escalão e terminar no 13 lugar.
3- A terceira etapa era em teoria a mais acessível. Tinha 93km com pouco mais de 2000 de acumulado de subida. Mas a teoria a mim não me diz muito… na realidade foi uma etapa muito dura para mim. Desde o início, logo na primeira subida, percebi que não estava com boas pernas… senti que ia ser um dia muito duro. Não me enganei. Foi um dia para me deixar de merdas e sofrer! Mas, como ouço muitas vezes de quem tem muita mais experiência do que eu, as pernas não doem só a nós! Aos outros também doem! Foi focar, puxar pela determinação e dar tudo por tudo, deixar tudo que tinha em cada quilómetro de trilhos! No final, e ao contrário do que eu imaginava, ainda conseguimos subir mais um lugar na geral do escalão, ficando no final com um 12 lugar.

Uma “chapa” da prova:
32405766-9870-4D1B-874A-22D53084A366.jpeg
 

Trizade

Well-Known Member
Nem de propósito… :D

Este tópico surge precisamente no fim de semana que eu fiz a maior conquista no que às bicicletas diz respeito. E foi uma grande conquista para mim porque foi numa modalidade que eu não costumo fazer e para a qual não tenho qualquer prática ou experiência. Se na estrada a técnica é importante, no BTT é fundamental, ainda para mais num evento como o que fiz.

Para quem gostar de resumos, aqui vai o meu:

Vila do Conde Peneda Gerês Extreme concluído! O que dizer da experiência? Bem… quando há meia dúzia de anos eu ouvia de amigos que faziam esta prova, quando eu ainda nem sequer andava de bicicleta, dizer que era uma prova de superação pessoal, uma prova que testava os limites, eu estava longe, muito longe, de imaginar que um dia a faria.
Pois bem, eles tinham razão. Na verdade, como partilhei com o meu parceiro de dupla, os 3 objetivos que eu tinham eram muito claros, objetivos e sequência bem definida:

1 - Não ter quedas;

2- Conseguir ter força física e mental suficientes para terminar a prova;

3- Caso terminasse, o fizesse com o sentimento que não teria mais nada para dar! Terminar com a sensação que tinha dado TUDO o que tinha, deixar tudo nos trilhos e nas serras, levar-me ao limite!
Felizmente consegui cumprir com todos os objetivos. É muito gratificante terminar um desafio desta exigência e sentir que consegui cumprir com todos os objetivos a que me tinha proposto.
Quanto à prova em si o que dizer… foram 3 etapas muito duras, muito exigentes! Para dificultar ainda mais a dureza das etapas juntou-se o facto de eu não ter qualquer experiência em fazer BTT ou fazer provas por etapas.
1- A primeira etapa teve como menú 118km com 3400d+. Etapa muito dura pela extensão e por acumular todas as subidas nos últimos 80/90km. Fizemos a etapa sem entrar em loucuras na parte inicial, onde supostamente não havia grandes dificuldades, e parece ter dado frutos a estratégia. Fizemos uma etapa de trás para a frente onde conseguimos um 14 lugar no escalão.
2- A segunda etapa era mais curta mas acabou por ter condições muito especiais. Foi feita debaixo de um calor abrasador e conseguiu juntar vários pontos altos do Gerês em 78km. Foram quase 3000 metros de subida em apenas 78km, e, para dificultar ainda mais o desafio, algumas das subidas eram muito técnicas, com pedra e gravilha, e com inclinações assustadoras. Contudo, tal como na etapa anterior, fizemos uma etapa em crescendo e a recuperar posições até à meta. No final conseguimos melhorar uma posição na geral do escalão e terminar no 13 lugar.
3- A terceira etapa era em teoria a mais acessível. Tinha 93km com pouco mais de 2000 de acumulado de subida. Mas a teoria a mim não me diz muito… na realidade foi uma etapa muito dura para mim. Desde o início, logo na primeira subida, percebi que não estava com boas pernas… senti que ia ser um dia muito duro. Não me enganei. Foi um dia para me deixar de merdas e sofrer! Mas, como ouço muitas vezes de quem tem muita mais experiência do que eu, as pernas não doem só a nós! Aos outros também doem! Foi focar, puxar pela determinação e dar tudo por tudo, deixar tudo que tinha em cada quilómetro de trilhos! No final, e ao contrário do que eu imaginava, ainda conseguimos subir mais um lugar na geral do escalão, ficando no final com um 12 lugar.

Uma “chapa” da prova:
View attachment 47

Muitos parabéns. Essa como se costuma dizer é mesmo só para os duros!!!
Deve ter sido uma experiência inesquecível sem dúvida!!! Parabéns.
 

António Pereira

Active Member
Comecei a andar de bicicleta de estrada em Novembro de 2020.
Desde que comecei a andar, gosto sempre de arranjar novos desafios, e isso dá-me motivação para continuar. Desafios no sentido de conseguir fazer, não de tempo.

Por ordem cronológica.
Já fui a Fátima, a partir de Oeiras
Já fui a Fátima e vim, a partir de Oeiras.
Já fiz de Oeiras a Santa Cruz e voltar.
Já subi à Serra Estrela, a partir da rotunda do Adamastor.
Já subi à Sr. Graça, a partir de Amarante e voltar.
Já subi Serra Arga, a partir de Viana e voltar.
Já subi a Arrábida, pelos dois lados, na mesma manhã.
Já subi Montejunto, pelas 4 subidas, na mesma manhã.
Já fiz o Granfondo Medio Tejo.
Já fiz o Grandondo Serra Estrela.
Já subi Serra Socorro, pelas 2 subidas, na mesma manhã.
Já fiz de Tróia à Zambujeira Mar.
Já subi Sintra por todas as subidas. (esta vai intervalando com as demais)
 

topoman

Active Member
Belo tópico...
Objectivos depois de muitos Casa-Fatima em BTT, este ano fiz de estrada e com o objetivo máximo de ir e voltar... 248kms.... E +2000 acumulado.
Tenho objectivo da Serra da Estrela e Sra. da Graça
 

cconst

Well-Known Member
Propriamente para o ciclismo nunca tive assim Objetivos.

Já me propus a fazer:
- Troia - Sagres (acabei por fazer, Moita-Sagres...)
- ir de casa (Lisboa/Olivais) e subir a Montejunto e voltar (perto de 120Km) e não o fiz porque me perdi e quando cheguei ao cruzamento para a estopada final, a cabeça foi fraca
- Lisboa - Entroncamento... há 15 anos ou assim, numa BTT de 16Kg

Objetivos desportivos para os quais treinei:
* IM 70.3 Cascais. Ia com o objetivo de concluir em cerca de 6h30, e fiz em cerca de 6h12. Objetivo mais que realizado, mas que no final me deixou a pensar... meh... afinal a coisa não é assim tão difícil, se até eu o consigo fazer...
 

Bernalve

Well-Known Member
3 provas por etapa em BTT este ano entre Fevereiro - Março o_O

Já tenho alguns anos disto e sinceramente o que sempre puxou mais para treinar, foi conseguir estar nos grupos da frente nas variadas provas que vou participando. Mas principal conquista será sempre não deixar de pedalar e não perder motivação. Tenho sempre de arranjar todos anos outra forma de fazer ciclismo, seja tipo de provas, tipo de voltas, tipo de treinos etc.... Agora estou a gostar de explorar mais o endurance e voltas mais longas.
 

andre_11

New Member
Nem de propósito… :D

Este tópico surge precisamente no fim de semana que eu fiz a maior conquista no que às bicicletas diz respeito. E foi uma grande conquista para mim porque foi numa modalidade que eu não costumo fazer e para a qual não tenho qualquer prática ou experiência. Se na estrada a técnica é importante, no BTT é fundamental, ainda para mais num evento como o que fiz.

Para quem gostar de resumos, aqui vai o meu:

Vila do Conde Peneda Gerês Extreme concluído! O que dizer da experiência? Bem… quando há meia dúzia de anos eu ouvia de amigos que faziam esta prova, quando eu ainda nem sequer andava de bicicleta, dizer que era uma prova de superação pessoal, uma prova que testava os limites, eu estava longe, muito longe, de imaginar que um dia a faria.
Pois bem, eles tinham razão. Na verdade, como partilhei com o meu parceiro de dupla, os 3 objetivos que eu tinham eram muito claros, objetivos e sequência bem definida:

1 - Não ter quedas;

2- Conseguir ter força física e mental suficientes para terminar a prova;

3- Caso terminasse, o fizesse com o sentimento que não teria mais nada para dar! Terminar com a sensação que tinha dado TUDO o que tinha, deixar tudo nos trilhos e nas serras, levar-me ao limite!
Felizmente consegui cumprir com todos os objetivos. É muito gratificante terminar um desafio desta exigência e sentir que consegui cumprir com todos os objetivos a que me tinha proposto.
Quanto à prova em si o que dizer… foram 3 etapas muito duras, muito exigentes! Para dificultar ainda mais a dureza das etapas juntou-se o facto de eu não ter qualquer experiência em fazer BTT ou fazer provas por etapas.
1- A primeira etapa teve como menú 118km com 3400d+. Etapa muito dura pela extensão e por acumular todas as subidas nos últimos 80/90km. Fizemos a etapa sem entrar em loucuras na parte inicial, onde supostamente não havia grandes dificuldades, e parece ter dado frutos a estratégia. Fizemos uma etapa de trás para a frente onde conseguimos um 14 lugar no escalão.
2- A segunda etapa era mais curta mas acabou por ter condições muito especiais. Foi feita debaixo de um calor abrasador e conseguiu juntar vários pontos altos do Gerês em 78km. Foram quase 3000 metros de subida em apenas 78km, e, para dificultar ainda mais o desafio, algumas das subidas eram muito técnicas, com pedra e gravilha, e com inclinações assustadoras. Contudo, tal como na etapa anterior, fizemos uma etapa em crescendo e a recuperar posições até à meta. No final conseguimos melhorar uma posição na geral do escalão e terminar no 13 lugar.
3- A terceira etapa era em teoria a mais acessível. Tinha 93km com pouco mais de 2000 de acumulado de subida. Mas a teoria a mim não me diz muito… na realidade foi uma etapa muito dura para mim. Desde o início, logo na primeira subida, percebi que não estava com boas pernas… senti que ia ser um dia muito duro. Não me enganei. Foi um dia para me deixar de merdas e sofrer! Mas, como ouço muitas vezes de quem tem muita mais experiência do que eu, as pernas não doem só a nós! Aos outros também doem! Foi focar, puxar pela determinação e dar tudo por tudo, deixar tudo que tinha em cada quilómetro de trilhos! No final, e ao contrário do que eu imaginava, ainda conseguimos subir mais um lugar na geral do escalão, ficando no final com um 12 lugar.

Uma “chapa” da prova:
View attachment 47
Engraçado que eu também participei no VCPGE e estava praticamente na mesma situação
Desde que comprei a bike de BTT fiz cerca de 1000 km, quase todos eles em ciclovia ou estradas pavimentadas.
Apenas cerca de 2 semanas antes do evento um amigo meu perdeu o seu par devido ao COVID e acabou por me convidar. Aceitei, mas não pensei que aquilo ia ser tão duro. Principalmente no primeiro dia. À custa do empeno do primeiro dia, fiz a segunda etapa em modo "gestão de energia". Acabei esse segundo dia com ainda muito para dar
Foi uma excelente experiência!
 
Top