Medidor potência para bicicleta estrada

nunokas

Well-Known Member
Tenho assioma Duo há já dois anos e nunca tive problemas de rolamentos, nem do direito nem do esquerdo...Pessoalmente acho q é sempre a melhor opçao, Pedais.

Crank limita as escolhas, caso penses no futuro trocar de bike (ou vendes com, ou mantens, ou compras outro.....) de qualquer forma ficas sempre limitado (em termos de grupo por exemplo). Pedais é no brainer...

Também tenho os duo e para já sem stresses.
O problema mais comum é a tampa de plástico que se levar demasiado torque pode se passar.
Os rolamentos são genéricos e são como em todos os pedais, tempos seco duram imenso, tempo molhado convém ir limpando e colocar massa.
Quanto ao melhor ou piores que Shimano isso é subjectivo. Penso que é discussão para quem prefere sistema look ou SPD-SL. O corpo dos assioma é de qualidade e feito, tal como as travessas, pela Xpèdo que pertence ao grupo Wellgo o maior fabricante de pedais do mundo.
As adaptações para pedais MTB para já só são compatíveis com alguns corpos da Xpèdo da gama Mforce.
 
  • Like
Reactions: RTC

kostaviks

Well-Known Member
Potenciometro só interessa para fazer treinos estruturados...
Se for só para ver a aparecer mais uns números nos ciclo computadores esqueçam isso...
Eu como há muito deixei de treinar, vendo o meu 4iiii Ultegra. Impecável. 200€
 

I l l u m i n a t u s

Well-Known Member
Potenciometro só interessa para fazer treinos estruturados...
Se for só para ver a aparecer mais uns números nos ciclo computadores esqueçam isso...
Eu como há muito deixei de treinar, vendo o meu 4iiii Ultegra. Impecável. 200€

Olha que não. Tem-me dado um jeitão em voltas maiores para gerir o ritmo, então em subidas longas nem se fala!
Um PM pode ser usado para vários fins de acordo com as necessidades e objectivos de cada um.
Há mais vida para além dos treinos estruturados :p
 

cconst

Well-Known Member
jeitão em voltas maiores para gerir o ritmo, então em subidas longas nem se fala!
hum... do que me conheço... acho que em voltas maiores e para evitar estoirar, a frequência cardíaca (e velocidade com que ela recupera/desce) é um melhor indicador do que a potência: em dias diferentes, devido a cansaço, noite mal dormidas, alimentação no dia anterior deficiente... influencia em muito a nossa performance, logo, para um esforço semelhante poderemos ter uma saída de potência bastante diferente.
 

elchocollat

Well-Known Member
Olha que não. Tem-me dado um jeitão em voltas maiores para gerir o ritmo, então em subidas longas nem se fala!
Um PM pode ser usado para vários fins de acordo com as necessidades e objectivos de cada um.
Há mais vida para além dos treinos estruturados :p
Concordo plenamente
Percebi o que o kostaviks quis dizer, mas fiz há umas semanas uma volta de 160km. Para mim, bastante pois nunca tinha feito mais que 120km e só os fiz uma vez. Até mesmo 100km foram poucas as vezes que fiz. A questão é que me regulei bastante pela Z2 e cheguei ao fim e sentia que dava mais um pouco (mesmo com uma alimentação fraca).
É verdade que a HR também influencia muito e pode ajudar também bastante , mas de facto o Power tem na minha opinião um impacto muito grande (de forma positiva).

Contudo, ao fazermos treinos estruturados, ajuda bastante em conhecer as diferentes zonas e como tal numa gestão de esforço
 

Carolina

Well-Known Member
hum... do que me conheço... acho que em voltas maiores e para evitar estoirar, a frequência cardíaca (e velocidade com que ela recupera/desce) é um melhor indicador do que a potência: em dias diferentes, devido a cansaço, noite mal dormidas, alimentação no dia anterior deficiente... influencia em muito a nossa performance, logo, para um esforço semelhante poderemos ter uma saída de potência bastante diferente.

Servem os dois. Usados em conjunto seria o ideal. Mesmo que estejas num dia menos bom, facilmente percebes que fazer X watts não costuma custar tanto.

Pessoalmente prefiro os watts, até já me desabituei (e mal) a usar fita cardíaca.
 

kostaviks

Well-Known Member
Olha que não. Tem-me dado um jeitão em voltas maiores para gerir o ritmo, então em subidas longas nem se fala!
Um PM pode ser usado para vários fins de acordo com as necessidades e objectivos de cada um.
Há mais vida para além dos treinos estruturados :p
Entendo.
A minha opinião prende-se com o facto de que para treinar esforços num determinado período de tempo, principalmente curtos, o potenciómetro é a opção mais válida, visto a resposta ser imediata aquando do inicio do esforço. Com banda cardio é muito mais complicado.
Para monitorizar actividades e controlar o ritmo, acho que cardio é melhor. Até porque há dias em que fazer 200w de média corresponde a um esforço cardio médio e em outros dias é um massacre.
 

Trizade

Well-Known Member
Entendo.
A minha opinião prende-se com o facto de que para treinar esforços num determinado período de tempo, principalmente curtos, o potenciómetro é a opção mais válida, visto a resposta ser imediata aquando do inicio do esforço. Com banda cardio é muito mais complicado.
Para monitorizar actividades e controlar o ritmo, acho que cardio é melhor. Até porque há dias em que fazer 200w de média corresponde a um esforço cardio médio e em outros dias é um massacre.

Basta ver a experiência que eu relatei do meu GF de Arronches por causa do calor... Fiz tudo em Z2 porque a minha pulsação estava com valores de como estivesse em Z5... Se fosse seguir só pelos Watts, iria estoirar em menos de 30minutos...
 

kostaviks

Well-Known Member
Basta ver a experiência que eu relatei do meu GF de Arronches por causa do calor... Fiz tudo em Z2 porque a minha pulsação estava com valores de como estivesse em Z5... Se fosse seguir só pelos Watts, iria estoirar em menos de 30minutos...
É isso mesmo.
 
Top