E pronto...ainda há uns meses comecei e já fui atropelado por um carro.

invoid

Member
As melhoras. Investe numa luz como a Garmin varia. O medo vais perdendo aos poucos, escolhe rotas mais calmas. Não tenhas medo de ocupar a estrada para seres visto, e claro ser previsível
 

Davidoff

Well-Known Member
agora tenho receio de andar na estrada, os condutores de carro não estão preparados para aceitar bicicletas, nem as respeitam.
Muito chato mas ainda bem que não foi grave. Pensa de outra forma: já tiveste a tua conta agora pode ser que não volte a acontecer.

Já eu nunca fui nem nunca cai e estou sempre a pensar que o dia está para chegar.
 

Paulofski

Well-Known Member
O que está errado Jpcab é a mentalidade tacanha e imbecil de alguns cidadãos que insistem em ver os ciclistas e as bicicletas apenas como empecilhos que só lhes estorvam o caminho. São cidadãos tão, mas tão exemplares e civilizados, que não se incomodam em deixar os seus popós mal estacionados. Tão preocupados com a segurança do próprio umbigo que circulam em excesso de velocidade. Coitados de nós que nos queixamos dos preços da gasolina mas nos esquecemos dos escapes e dos engarrafamentos. Há quem não saiba que o Código da Estrada estabelece o princípio de que o velocípede sem motor é, para todos os efeitos, um veículo de pleno direito na via pública, mas quem se importa se o ciclista não polui nem estrangula o trânsito. Não compreendo quem não sabe apreciar algo tão simples. Para algumas pessoas a satisfação é amedrontar o outro, fazê-lo sentir medo e afasta-lo da frente.

Não desista Jpcab.
 

joseruivo

Well-Known Member
agora tenho receio de andar na estrada, os condutores de carro não estão preparados para aceitar bicicletas, nem as respeitam.
Boas,

em 22 anos a andar de bici na estrada fui atropelado (apenas) uma vez - o fulano da carrinha Toyota Hiyace pensou que a totalidade da carrinha já me tinha ultrapassado, e quando voltou à direita atirou-me ao chão! Não foi grave, apenas umas nódoas negras durante uns dias.

Nunca deixei de andar em estrada - na realidade assusta-me mais fazer BTT, por causa da minha azelhice, do que estrada. Passei a usar sempre luzes atrás, e mudei a posição na estrada - tenho sempre de ter margem para fugir para a direita em situação semelhante, e são muitas vezes, e reduzo a velocidade quando estou a ser ultrapassado.

A maioria dos ciclistas que conheço nunca foram atropelados. Tu tiveste azar, mas não desistas! Espero que as mazelas tenham sido ligeiras, e faço votos de boas e rápidas melhoras. Conheço automobilistas que já tiveram acidentes em que se magoaram, mas nunca deixaram de andar. Dentro da lata também é possível correr mal, mas a malta não deixa de andar por isso.
 

CarlosSilva

Member
Eu já fui atropelado nos Açores (onde vivo), uns putos parvos atiraram-me ao chão, pararam para olhar para trás e rir (!!!) e puseram-se a andar.
Decorei a matrícula e fui direto para a PSP (apenas fiz uns arranhões e estraguei equipamento).
Apresentei queixa, o polícia que estava de serviço mostrou-se muito prestável, disse-me para ir almoçar e passar na esquadra à tarde para assinar. Assim o fiz; quando fui lá a 2ª vez, o polícia já nem parecia o mesmo, tentou dissuadir-me de todas as formas possíveis de formalizar a queixa. Percebi logo que ao meter a matrícula no sistema ele descobriu que era alguém seu amigo.
Assinei a queixa mas não serviu de nada, passados uns meses expirou sem me terem enviado qualquer informação.
Tenho mais histórias com polícia e bicicletas, se quiserem conto mais...
Só mais uma coisa, não é fácil fazer valer os nossos direitos depois de sermos atropelados. Tenho um amigo que é Procurador no Tribunal de Ponta Delgada, levou uma pantufada a treinar que nunca mais vai ser o mesmo. Apesar de conhecer os trâmites legais para trás e para a frente, está a ver-se aflito para ser ressarcido por aquilo que passou e ainda está a passar.
 

Jpcab

Member
Não sei se volto a andar na cidade. Eu depois coloco aqui mais pormenores. Vai implicar seguros e só digo:
bendita a vez que me propus a fazer aquele seguro assim que comprei a bicicleta
 

CarlosSilva

Member
Não sei se volto a andar na cidade. Eu depois coloco aqui mais pormenores. Vai implicar seguros e só digo:
bendita a vez que me propus a fazer aquele seguro assim que comprei a bicicleta
Foi uma decisão inteligente. Acho que é daquelas coisas que todos nós pensamos "devia fazer isto" mas depois ou não há tempo, ou uma pessoa esquece-se. Nem é pelo dinheiro, porque não é caro. Talvez até devesse ser obrigatório.
 

Joao_P

Active Member
Já não pegava na bike de estrada á mais de um mês, ontem apanhei três sustos numa volta de 80km sozinho, um deles se eu não estava muito atento não estava aqui a teclar de certeza absoluta até as pessoas que estavam no passeio meteram mãos á cabeça, tive muita sorte mesmo e muito sangue frio para me pendurar nos travões e conseguir desviar de um carro em contramão. Não penso em desistir para já mas que um gajo desmoraliza lá isso é verdade...
 

PedroC

Member
Não sei se volto a andar na cidade. Eu depois coloco aqui mais pormenores. Vai implicar seguros e só digo:
bendita a vez que me propus a fazer aquele seguro assim que comprei a bicicleta

Aqui no forum à diversas informações sobre seguros.

Já agora (e se quiseres dizer, claro) que seguro é o teu?
 

Jpcab

Member
Bom, a companhia de seguros do que me atropelou já se deu como culpada.
Se tivesse tempo o que o individuo que me atropelou merecia era que lhe pusesse um processo civil.
No local disse que se responsabilizava e depois ta queto.
Felizmente correu tudo a meu favor, alias so podia ser, cumpri totalmente todas as regras
 

Trizade

Well-Known Member
Bom, a companhia de seguros do que me atropelou já se deu como culpada.
Se tivesse tempo o que o individuo que me atropelou merecia era que lhe pusesse um processo civil.
No local disse que se responsabilizava e depois ta queto.
Felizmente correu tudo a meu favor, alias so podia ser, cumpri totalmente todas as regras

Haja alguém que tenha tudo resolvido facilmente quando ocorre um acidente...
Eu lá vou para tribunal com o meu... Enfim...
Mas fico contente por ti. Ainda bem que tudo correu bem.
 

SantosDaCasa

Well-Known Member
Bom, a companhia de seguros do que me atropelou já se deu como culpada.
Se tivesse tempo o que o individuo que me atropelou merecia era que lhe pusesse um processo civil.
No local disse que se responsabilizava e depois ta queto.
Felizmente correu tudo a meu favor, alias so podia ser, cumpri totalmente todas as regras
Tinhas testemunhas?
 

Jpcab

Member
não... so o meu pai que ia comigo (ate entrar na rotunda..ele depois saiu na 1 saida e eu contornei a rotunda para o outro lado aka 3 saida). as que havia foram embora, eu estava cheio de dores não tive cabeça para isso..mas o energúmeno em questão não teve hipótese, eu ja estava a circular na rotunda, quando ia a sair para a minha saída que era a 3ª, vejo o carro a chegar á rotunda e simplesmente não para, foi sempre a andar ate me atropelar.
levava luzes no capacete, luzes á frente e atras na bicla e reflectores nas rodas.
teve todo o tempo do mundo para parar, mas não o fez, so parou quando me bateu.
Quando estava no chao a gemer disse me que se responsabilizava mas depois nada.
Mas ele não tinha hipótese da maneira que foi, ele era culpado. Acabei por ter muita sorte
 

CarlosSilva

Member
O que está errado Jpcab é a mentalidade tacanha e imbecil de alguns cidadãos que insistem em ver os ciclistas e as bicicletas apenas como empecilhos que só lhes estorvam o caminho. São cidadãos tão, mas tão exemplares e civilizados, que não se incomodam em deixar os seus popós mal estacionados. Tão preocupados com a segurança do próprio umbigo que circulam em excesso de velocidade. Coitados de nós que nos queixamos dos preços da gasolina mas nos esquecemos dos escapes e dos engarrafamentos. Há quem não saiba que o Código da Estrada estabelece o princípio de que o velocípede sem motor é, para todos os efeitos, um veículo de pleno direito na via pública, mas quem se importa se o ciclista não polui nem estrangula o trânsito. Não compreendo quem não sabe apreciar algo tão simples. Para algumas pessoas a satisfação é amedrontar o outro, fazê-lo sentir medo e afasta-lo da frente.

Não desista Jpcab.
Olha esta, entre 2003 e 2005 organizei provas de BTT na ilha de São Miguel e, em 2005, a Direção Regional dos Recursos Hídricos impediu-me de realizar a 3ª edição do GP das Furnas (circuito magnífico em redor da magnânime Lagoa das Furnas) alegando que «as bicicletas poderiam poluir a água da lagoa».
Essa barbaridade foi noticiada na revista "Rotações" como sendo "a anedota do ano".
Hoje em dia este circuito faz parte integrante do calendário da competição regional de BTT dos Açores.
 
Top