Volta a Portugal de 2020 - Edição Especial

Bruso

Well-Known Member
Vitória na etapa é sempre bom e parece que a Efapel tem o objetivo cumprido. Pela maneira como atacaram a etapa a vitória é merecida mas do ponto de vista de CG foi um demonstração de quão fraco aquele DS é.
Um ciclista que entra como candidato e que tem uma equipa tão forte (no papel não ficaravam a dever muito à W52) não se pode limitar a atacar à vez a ver quem deixam sair para ganhar a etapa
 

SantosDaCasa

Well-Known Member
Eu percebo a importancia da emblemática etapa da Torre. Mas esta etapa era o make or break do Joni para a GC e o que me pareceu é que isso já não estava na cabeça dele quando cortou a meta. Foi um ajuste de expectativas muito rápido para mim.... :D:D
 

Carolina

Well-Known Member
Carolina vá lá, sabes tu e toda a gente que não é só assim :)
É uma vitória, é sempre bom! Nem que seja para a moral. E enquadra isso no panorama cá. O Jono deve ser dos poucos que tem o nome no chão a caminho da Torre (pelo menos do lado da Covilhã)
Por isso, há muita coisa em jogo.
Eu cá preferia ganhar pouco que ganhar nada.
Além disso, superou as expectativas de muitos talvez.
O mais provável é que na geral não dê em nada, mas ganhar é sempre bom.
Quem não gosta? ;) para jogar a feijões não vale a pena.
Aliás, se ele vier a fazer 3o... É 3o+vitória na Torre :cool:
O que quis dizer é que o prémio monetário é irrelevante. Claro que a vitória de etapa sabe bem, caso contrário saíam de mãos a abanar.
 

NULL

Moderador
Staff member
Bem, o que dizer desta etapa... :rolleyes:

Posso estar redondamente enganado e o futuro próximo pregar-me uma partida mas hoje fiquei com poucas dúvidas que a Efapel corre como equipa pequena, equipa sem ambição!

Permitir que o Rodrigues levasse o grupo quase até à meta enquanto ainda tinham o Carvalho e o Joni no grupo?!? O Rodrigues respondia a todas as movimentações do Carvalho, o Carvalho tinha que carregar até partir, mas aí partiam os dois! A partir daí restava o Veloso para trabalhar e todos sabem que o Veloso já não tem capacidade para muitas variações de ritmo. Rapidamente isolavam o Amaro... a partir daí era mano a mano com Figueiredo, Joni, Amaro e Benta...

No fim fizeram uma festa como se tivessem ganho a volta a Portugal, sim, ganharam na Torre, mas pensei que tinham mais ambição... erro meu talvez. Não esperava que ganhassem a volta hoje mas esperava que lutassem por ela... não aconteceu.
 

jpacheco

Well-Known Member
Com o vento que estava de frente sempre que atacavam ja estavam a pensar voltar para tras para o quentinho do grupo. O rodrigues fez um trabalho brutal..deve ter debitado watts naquela subida toda para levar os marmanjos todos na roda. Ha lá uma imagem na descida apos limpa neves do joao rodrigues a meter um ritmo louco con vento lateral e na cauda do grupo o Joni a pedir com o braço ao antonio carvalho para se meter a sua direita para p proteger... ou nao percebeu ou ia no limite.
 

Bruso

Well-Known Member
Com o vento que estava de frente sempre que atacavam ja estavam a pensar voltar para tras para o quentinho do grupo. O rodrigues fez um trabalho brutal..deve ter debitado watts naquela subida toda para levar os marmanjos todos na roda. Ha lá uma imagem na descida apos limpa neves do joao rodrigues a meter um ritmo louco con vento lateral e na cauda do grupo o Joni a pedir com o braço ao antonio carvalho para se meter a sua direita para p proteger... ou nao percebeu ou ia no limite.
O mais incrível é mesmo isso. É que foi o João Rodrigues a fechar os 1001 ataques que a Efapel fez portanto a história do vento é relativa.
Como o NULL disse, o Tony só tinha que ir para a frente do João Rodrigues e meter um ritmo muito mais forte. Mas eles estavam claramente a lutar pela etapa.
 

Martins

Well-Known Member
A unica coisa diferente que podia ter dado resultado era um ataque a dois cá mais em baixo onde o joni atacou. O problema foi nao ter adivinhado o vento que vinha a seguir.
 

NULL

Moderador
Staff member
O vento estava para todos. O Rodrigues levou com ele toda a subida e ainda fechou as amostras de ataques do Joni e do Carvalho.

No meu entender a Efapel devia ter feito o seguinte: Ou na parte dura à saída da Covilhã ou na parte do túnel, o Carvalho tinha que ter atacado com tudo. O Carvalho a menos de 2 minutos continuava a ser uma ameaça para a geral, para além disso era muito perigoso ter o Carvalho na frente e o Joni cá atrás, a qualquer momento podia conseguir sair e depois era o cara**o, portanto, o ataque teria que ser respondido pelo Porto. Se o Carvalho atacasse a sério com as condições que estavam ontem teria 2 resultados: Queimava-se a ele e queimava pelo menos o Rodrigues. Eu acredito que o Gustavo nem sequer aguentaria essa movimentação na roda... não tem idade para estas touradas numa subida à serra... A corrida a partir desse momento mudava toda a sua lógica e o Amaro deixaria de ter qualquer tipo de ajuda.

Resumindo o dia de ontem: A Efapel ganhou uma etapa mas perdeu, talvez, a última oportunidade de ganhar a Volta este ano. A Efapel não perdeu ontem a Volta, perdeu-a na Sra. da Graça quando optou por ser conservadora, ontem podia ter virado o jogo mas votou a demonstrar que não tem rasgo, não tem contundência.
 

Bruso

Well-Known Member
O vento estava para todos. O Rodrigues levou com ele toda a subida e ainda fechou as amostras de ataques do Joni e do Carvalho.

No meu entender a Efapel devia ter feito o seguinte: Ou na parte dura à saída da Covilhã ou na parte do túnel, o Carvalho tinha que ter atacado com tudo. O Carvalho a menos de 2 minutos continuava a ser uma ameaça para a geral, para além disso era muito perigoso ter o Carvalho na frente e o Joni cá atrás, a qualquer momento podia conseguir sair e depois era o cara**o, portanto, o ataque teria que ser respondido pelo Porto. Se o Carvalho atacasse a sério com as condições que estavam ontem teria 2 resultados: Queimava-se a ele e queimava pelo menos o Rodrigues. Eu acredito que o Gustavo nem sequer aguentaria essa movimentação na roda... não tem idade para estas touradas numa subida à serra... A corrida a partir desse momento mudava toda a sua lógica e o Amaro deixaria de ter qualquer tipo de ajuda.

Resumindo o dia de ontem: A Efapel ganhou uma etapa mas perdeu, talvez, a última oportunidade de ganhar a Volta este ano. A Efapel não perdeu ontem a Volta, perdeu-a na Sra. da Graça quando optou por ser conservadora, ontem podia ter virado o jogo mas votou a demonstrar que não tem rasgo, não tem contundência.
Não tem inteligência queres tu dizer.
 

jpacheco

Well-Known Member
Ontem notava-se que estavam todos muito nivelados. Não é fácil sair com aquela ventania de frente e saber que vão levar com vento nas trombas até lá acima. Mas concordo que Efapel teria que jogar o tudo ao nada... e fizeram quase tudo bem feito, desta vez acho que foi a única equipa a tentar qualquer coisa. No papel eles bem queriam fazer o que dizem mas na estrada quando a perninha começa a doer ai ai.
 

Bruso

Well-Known Member
Ontem notava-se que estavam todos muito nivelados. Não é fácil sair com aquela ventania de frente e saber que vão levar com vento nas trombas até lá acima. Mas concordo que Efapel teria que jogar o tudo ao nada... e fizeram quase tudo bem feito, desta vez acho que foi a única equipa a tentar qualquer coisa. No papel eles bem queriam fazer o que dizem mas na estrada quando a perninha começa a doer ai ai.
Novamente, eles forama única equipa a tentar ganhar a etapa - completamente de acordo porque atacaram com Tiago (ataque mais estúpido de sempre), Paulinho antes da subida final e Fonte, Joni e Tony na subida final. Mas não fizeram nada para mexer com a classificação geral.
 

jpacheco

Well-Known Member
Novamente, eles forama única equipa a tentar ganhar a etapa - completamente de acordo porque atacaram com Tiago (ataque mais estúpido de sempre), Paulinho antes da subida final e Fonte, Joni e Tony na subida final. Mas não fizeram nada para mexer com a classificação geral.
Os comentários do sabido iam ao encontro daquilo que pensava. Com os ataques da Efapel, um radio popular ou um delko deveriam sair para ajudar a quebrar o João rodrigues. Mas é como digo, no papel é tudo muito bonito, mas na estrada eles vão ali no fio da navalha e o João Rodrigues foi um gregário de luxo respondia a todos o que os levava a desistir da iniciativa. O vento de frente é mesmo tramado. Venham os dados da subida alguém tem?

ahh ia esquecendo da desilusão do dia, o sprinter virado trepador do Vicente de Mateus... desiludiu. Era outro que estava a contar que pode-se mexer na corrida.
 

Sword

Well-Known Member
Estas teorias são todas bem estruturadas e interessantes! No entanto parece-me que são fundamentadas num pressuposto errado que é a Efapel ser candidata a vencer a Volta.

Sinceramente, não é...a W52/FCP são os Globetrotters do ciclismo nacional.
 

Bernalve

Well-Known Member
Não me parece que o António Carvalho estivesse com pernas para mais. Diria que meter um ritmo mais forte à frente do João R., só ia facilitar a vida ao próprio João R. Quando o Joni e o Carvalho atacam e o João Rodrigues mais cedo ou mais tarde foi buscá-los é porque não há forças para mais. Podiam ter tentado sair os dois ao mesmo tempo, mas o ritmo do Carvalho era inferior ao do Joni e ao do João, tenho quase de certeza que o João não ia quebrar e ia sempre buscá-los.

A W52 acabou por ter a sorte de ter uma grande João Rodrigues ontem, se tivesse tido a necessidade de queimarem o Amaro ou o Veloso que estavam semelhantes de forças comparativamente ao Fred e ao Joni, podia ter havido pelo menos, maiores diferenças no final. É o que dá hoje em dia haver um gregário de luxo em montanha. Bloqueia todas as táticas e ataques imagináveis. Se um ciclista não está com uma mudança à cima dos outros, acontece isso.
 

NULL

Moderador
Staff member
Não me parece que o António Carvalho estivesse com pernas para mais. Diria que meter um ritmo mais forte à frente do João R., só ia facilitar a vida ao próprio João R. Quando o Joni e o Carvalho atacam e o João Rodrigues mais cedo ou mais tarde foi buscá-los é porque não há forças para mais. Podiam ter tentado sair os dois ao mesmo tempo, mas o ritmo do Carvalho era inferior ao do Joni e ao do João, tenho quase de certeza que o João não ia quebrar e ia sempre buscá-los.

A W52 acabou por ter a sorte de ter uma grande João Rodrigues ontem, se tivesse tido a necessidade de queimarem o Amaro ou o Veloso que estavam semelhantes de forças comparativamente ao Fred e ao Joni, podia ter havido pelo menos, maiores diferenças no final. É o que dá hoje em dia haver um gregário de luxo em montanha. Bloqueia todas as táticas e ataques imagináveis. Se um ciclista não está com uma mudança à cima dos outros, acontece isso.
Eu percebo o raciocínio mas para mim, se o Carvalho chegou até lá acima com o grupo, é porque tinha disponibilidade. Quando se tem ambição o ataque teria que ser com tudo, não era atacar a pensar em não ficar para trás...

Mas aceito que possas estar certo e eu errado! :D
 

jpacheco

Well-Known Member
Eu percebo o raciocínio mas para mim, se o Carvalho chegou até lá acima com o grupo, é porque tinha disponibilidade. Quando se tem ambição o ataque teria que ser com tudo, não era atacar a pensar em não ficar para trás...

Mas aceito que possas estar certo e eu errado! :D
Tu achas que o Antonio estaria a trabalhar para o Joni? Só no papel... porque na estrada nem a protecção do vento fez ao lider devidamente. Via-se João benta a ser protegido, via-se a preocupação do Marques enquanto pode em proteger o Frederico...mas os dois amarelos estavam entregues a si mesmos.

Gostei do braço do Joni a dizer ao Antonio para ir para a direita dele...o vento vinha terrivelmente da direita para a esquerda da foto:



edited:
Apanhei outra imagem curiosa que já me tinha apercebido ontem mas hoje tirei os pratos a limpo para fundamentar a ideia que o Joni é que ia a proteger o líder António Carvalho :D