Scott FOIL

nmt

Active Member
Eu acho é que pretendes apenas mudar de bike, o que poderá querer dizer que esteticamente achas a Scott mais apelativa, ou então apenas por ser outra diferente do que a que tens. Como o Pratoni te disse acima, investe numas rodas leves para quando fores dar voltas de montanha, se calhar um bike fit como deve ser, um selim melhor adaptado à tua fisionomia, uns sapatos que te assentem como uma luva, um guiador e fitas que te aumentem o conforto e, se calhar, com menos dinheiro tens um aumento de prazer mais significativo. Ou seja, melhora aquilo que da bike está em contacto contigo e com a estrada (falei das rodas, mas os pneus também são importantes, claro).
 
Sinceramente, se fosse para trocar pela Foil nova até se percebe, agora por um modelo desactualizado....

Sem ter uma ideia de valores envolvidos, ninguem pode dar uma opinião correcta, mas para trocar que seja para um "canhão"...

Cippolini parece bem :)
 

DMA

Well-Known Member
Para ser claro:
Em termos de eficácia "puar e cura" não acredito que haja diferença nenhuma apreciável entre a Izalco Max e a Addict. Com os mesmos periféricos a diferença em subida entre ambas as bikes deve ser insignificante.

Isso não invalida que uma pessoa troque de bike. Pode ser pela estética, pode ser pela pintura, pode ser como uma prenda para nós próprios ... sei lá, n motivos. O que temos é que ser sinceros e se é pela estética, que se lixe, é pela estética. Ninguém tem nada à ver com isso. O que devemos é não nos enganarmos a nós próprios com "racionalizações" para justificar a troca.

Quanto as rodas pela questão da montanha: quanto mais material uso, mais estou convencido que ter rodas específicas para "subir" é desnecessário. Umas rodas equilibradas dão para tudo. E não precisam ser nada de especial. Algo na casa dos 1600-1800g e está-se bem servido.
 

pratoni

Well-Known Member
Para ser claro:
Em termos de eficácia "puar e cura" não acredito que haja diferença nenhuma apreciável entre a Izalco Max e a Addict. Com os mesmos periféricos a diferença em subida entre ambas as bikes deve ser insignificante.

Isso não invalida que uma pessoa troque de bike. Pode ser pela estética, pode ser pela pintura, pode ser como uma prenda para nós próprios ... sei lá, n motivos. O que temos é que ser sinceros e se é pela estética, que se lixe, é pela estética. Ninguém tem nada à ver com isso. O que devemos é não nos enganarmos a nós próprios com "racionalizações" para justificar a troca.

Quanto as rodas pela questão da montanha: quanto mais material uso, mais estou convencido que ter rodas específicas para "subir" é desnecessário. Umas rodas equilibradas dão para tudo. E não precisam ser nada de especial. Algo na casa dos 1600-1800g e está-se bem servido.
Como se costuma dizer, "Quem fala assim não é gago"!!
 

DMA

Well-Known Member
Se tu gostas de rolar forte em solitário, ou gostas de dizer "fuck it" e rebocar um grupo e por toda a gente a ganir, faz sentido pensares numa aero ;)
Mas atenção que a Foil até é uma aero bastante polivalente, não é uma aero extremamente radical.
 
Para ser claro:
Em termos de eficácia "puar e cura" não acredito que haja diferença nenhuma apreciável entre a Izalco Max e a Addict. Com os mesmos periféricos a diferença em subida entre ambas as bikes deve ser insignificante.

Isso não invalida que uma pessoa troque de bike. Pode ser pela estética, pode ser pela pintura, pode ser como uma prenda para nós próprios ... sei lá, n motivos. O que temos é que ser sinceros e se é pela estética, que se lixe, é pela estética. Ninguém tem nada à ver com isso. O que devemos é não nos enganarmos a nós próprios com "racionalizações" para justificar a troca.

Quanto as rodas pela questão da montanha: quanto mais material uso, mais estou convencido que ter rodas específicas para "subir" é desnecessário. Umas rodas equilibradas dão para tudo. E não precisam ser nada de especial. Algo na casa dos 1600-1800g e está-se bem servido.

addict em hmf? ou teria de ser no carbono topo hmx