Qual a transmissão mais eficiente? 1x ou 2x?

Pires

Well-Known Member
#21
Nunca me aconteceu tal desgraça, em quase 10.000km na 2x10V... ou até antes, no sistema 3x10V.


Depende das marcas.. Na Cannondale, as Scalpel e as F-Si, vem com 34T...( é a realidade que uso)
Foi a primeira que apanhei no Google. 32T :p

https://www.bike24.com/p2299703.html

Eu sou um bocado bruto a pedalar, de x em quando lá vai uma corrente.
Não faço rotação de correntes
 
#23
Não faço rotação de correntes
Ah pois!!!.. Faço rotação e medição.... eu na 3x10V, rodava 2 correntes. mas é verdade que se nota maior desgaste do que na 2x10V, nesta rodava 2 correntes... mas deixei-me disso, vou medindo. Agora na 1x12V... acho que não vou rodar novamente... vou medindo...
 
#24
Eu na minha de BTT tenho 32 a frente e 11-46 atrás(11v) na altura comprei a transmissão usada a um colega da orientação em BTT, a subir nunca me faltou mudanças, mas quando é para fazer o estradão cá da zona aí sinto bem a falta de velocidade de ponta, e eu até gosto de rolar assim com uma cadência de 90 para cima.
Posso dizer que ao início não me sentia a 100% com um prato a frente ficava sem pernas muito facilmente, mas agora já não faz praticamente diferença nenhuma a não ser que esteja já para morrer
 

DMA

Well-Known Member
#28
Nestes sistemas de 12spd para BTT é bem diferente uma cassete 10-50 ou uma 11-50 ... parece uma pentelhice, mas não é. Dá uma amplitude muito maior em termos de desmultiplicações. Mas é daqueles detalhes que para muita gente passa ao lado. Para mim é essencial para um setup monoprato.

Num sistema clássico 2x10spd:

Desmultip. mínima » (24/36) = 0.67
Desmultip. máxima » (38/11) = 3.45

Num sistema 1x12 (prato 32):

Desmultip. mínima » (32/50) = 0.64
Desmultip. máxima » (32/11) = 2.91
Desmultip. máxima » (32/10) = 3.20

Logo para subir o sistema faz jogo igual a um sistema 2x10 "clássico". Para rolar um sistema com prato 32 e pinhão 11 na cassete perde muito!
São menos 15,6% que um prato 38 e pinhão 11.
O sistema com prato 32 e pinhão 10 na cassete perde 7,2% para a combinação 38/11.
 

DMA

Well-Known Member
#29
Mas há um factor que conta muito em BTT. Em ambientes de bastante lama o desviador da frente por vezes acaba por dar chatices.
Outro cenário em que o sistema de dois pratos por vezes dava chatices era quando o prato maior (que tem dentes baixos e com certos perfis para ajudar a corrente a "engatar" durante a mudança 24»38) começava a ter desgaste.
Em ambos os cenários, caso aconteça chain suck ... era um biscate do caraças.
 
#30
@DMA o único problema que existe é que a maior parte do pessoal que eu vejo, anda a penar com 30 a frente e 50 atrás, não é com 32 à frente
Já nas 2x10 com carreto 36 com prato 22 vi muitos penar nas subidas e vi muitos passar para cassete com carreto 42

Agora quando tinham roda 26" a cassete com carreto 36 já funcionava, a coisa tornasse mais leve

Que as coisas funcionam minimamente com quem anda mais, fdx isso sei eu, mas esses são, pronto 30% e acho que me estou a esticar
 
#31
Outro cenário em que o sistema de dois pratos por vezes dava chatices era quando o prato maior (que tem dentes baixos e com certos perfis para ajudar a corrente a "engatar" durante a mudança 24»38) começava a ter desgaste.
Em ambos os cenários, caso aconteça chain suck ... era um biscate do caraças.
Já me aconteceu.. numa prova e ia a andar tão bem!!!
 

edununo

Well-Known Member
#32
Eu uso 32 com cassete 10-50. O típico Eagle.
Para alguém penar com 30 à frente e 50 atrás tem de estar em muito baixo de forma.
Eu que sou fraquinho não me queixo.
A única vez que me senti à rasca, foi num Transcávado, em que decidi fazer só num dia. Ao fim de 100 kms e 3000m de acumulado já me doía tudo. :p
 
#34
Oh malta,por acaso ninguém se deu ao trabalho de passar os olhos pelo artigo que o @pratoni partilhou no início,pois não?
É que quando se fala ali de eficiência é em termos de fricção pelo atravessar da corrente,foi feito um estudo nos laboratórios da Ceramic Speed para comparar.
 

Pires

Well-Known Member
#35
Essa eficiência é apenas para os ciclistas de topo, pouco importa ao comum mortal que tem uma perda máxima de 4watts do 2x para o 1x. E mesmo esses ciclistas de topo usam 1x.. portanto alguns dos últimos testes feitos pelas marcas que querem vender, servem só para ir entretendo a malta e muitas vezes vender banha da cobra
 
#36
Tudo muito certo,nem eu disse que era de outra maneira. E aqui discutem também as relações que usam em btt,e o estudo comparou foi dois grupos de estrada.

Além do cruzar muito a corrente,o que aumenta o atrito (e com isso o desgaste) é a utilização dos carretos e pratos mais pequenos,isso parece-me óbvio. Como exemplo,uma relação 34-11 ou 50-16 são praticamente a mesma coisa em desmultiplicação,mas a última é muito mais eficiente.
 

edununo

Well-Known Member
#37
Do pouco que sei e pela minha experiência, para BTT 1x. Para estrada 2x.
Nem entro na questão dos watts perdidos. Em estrada gosto de saltos pequenos entre os andamentos da cassete. Logo com 1x isso seria mais complicado.
No BTT essas questão não é tão importante e a simplicidade do 1x vem ao de cima. Os 500% de range do Eagle são mais que suficientes para o comum dos mortais.
 

Pires

Well-Known Member
#38
Tudo muito certo,nem eu disse que era de outra maneira. E aqui discutem também as relações que usam em btt,e o estudo comparou foi dois grupos de estrada.

Além do cruzar muito a corrente,o que aumenta o atrito (e com isso o desgaste) é a utilização dos carretos e pratos mais pequenos,isso parece-me óbvio. Como exemplo,uma relação 34-11 ou 50-16 são praticamente a mesma coisa em desmultiplicação,mas a última é muito mais eficiente.
Sim, também li o artigo da mesma forma que tu e concordo a 100% com o que o edununo disse a cima!