Portugal XL 1000

Maddog

Well-Known Member
#1
PortugalXL1000,


No final do ano passado em conversa com um amigo, este desafiou-me para fazermos uma espécie de across Portugal!.

Após uns bitaites, pensou-se em fazer-mos Bragança – Sagres mas depois de elaborar uma “pré-rota” e verificarmos que estava a dar uns 800km, pensamos : “porque não fazer mais de 1000?”.

Passamos então a ponderar arrancar na aldeia Maravilha de Portugal, Rio de Onor que é metade Portuguesa e metade Espanhola.

Após estas certezas, foi tempo de afinar etapas e começar a processar toda essa informação e também conseguir convencer as respetivas caras-metades.

No passado mês de Fevereiro, iniciamos então as afinações finais e em Março/Abril as marcações para as pernoitas.

Ficaram as etapas definidas e seriam 8 com mais de 1000km por esse Portugal fora, utilizando estradas mais isoladas, e sem que nenhum dos 3 conhecesse na integra, o espirito de aventura estava bem presente.

Dia 26 de Maio, viagem para Mogadouro local da 1ª e 2ª pernoita, o nervoso miudinho aumentava!





PortugalXL1000 Etapa 1 Rio de Onor -Mogadouro

Dia 27 de Maio, o dia da Etapa 1….é hoje!!! E de repente um balde de água fria, um dos companheiros esqueceu-se dos sapatos da bike!!!... ui o que fazer? Lojas de bikes em Trás-os-Montes a um domingo?? Uiii

1ª ideia, decatlhon!!! Não existia nenhuma perto, 2ªideia Olx comprar uns sapatos usados.. tentamos mas não foi possível, 3ª e ultima hipótese ir até Bragança à Sportzone para comprar uns sapatos! Lá nos metemos os 6 no carro, em direção a Bragança, mas eis que a uns 5km de Macedo Cavaleiros, encontramos um grupo de uns 30 ciclistas e que de imediato mandamos parar, explicando a situação de seguida, e sorte das Sortes… um deles era tão somente o dono da OMMA bikeShop, que se prontificou em vender uns sapatos ao meu amigo, afinal os portugueses tem sempre sorte, o meu amigo comprou um sapatinho novo e a OMMA ganhou mais qualquer coisa eheheh.



Finalmente chegados a Rio de Onor, e o inicio dessa que viria a ser uma semana magnifica sempre em cima dela.

Apesar de já termos arrancado tarde por razões obvias, a etapa correu muito bem sempre a ritmo certo e sem pressas, pelo caminho tivemos direito a 2 bons aguaceiros o primeiro na zona de Argozelo e o segundo a poucos kms de Mogadouro, mas com temperatura amena, as paisagens sempre fantásticas acompanharam-nos a cada pedalada!!

O jantar, esse foi bastante reconfortante, a bela da Posta Mirandesa bem regada com tinto da região, sim porque as maquinas não andam só com agua.

https://www.strava.com/activities/1599706827


















PortugalXL1000 Etapa 2 Mogadouro – Guarda

Após um bom pequeno almoço e um café, lá arrancarmos nós para mais um magnifico dia no pedal.

Esta fantástica etapa reservava-nos paisagens fabulosas do parque natural internacional do Douro, de salientar a estrada de Freixo de Espada à Cinta até Barca d`Alva, que é algo de fabuloso mesmo, do lado de Espanha encostas escarpadas, com sulcos para as oliveiras, do “nosso” lado as vinhas, sempre com o rio como companhia.

Em Barca d´Alva iniciava-se a 1ª dificuldade do dia, uma boa subida mas sempre com paisagens deslumbrantes, tendo inclusive avistado um grifo a pousar numa escarpa, e mais tarde já na zona do planalto tivemos oportunidade de ver um grupo grande de grifos a voarem aos círculos, como quese estivessem à espera que algum animal morre-se….seria à nossa espera? Não acredito pois íamos bem vivos !!

Após a zona de Pinhel, era hora para virar uma bela sandes mista de presunto e queijo da zona, para dar animo para o resto e para a subida até à Sé da Guarda.

https://www.strava.com/activities/1601682938




















PortugalXL1000 Etapa 3 Guarda - Torre -Covilhã

Dia da Etapa “Rainha”, iniciava-se com nuvens baixas e alguns chuviscos, na descida para Valhelhas já dava para antever o que nos aguardava na serra, sem esmorecer continuamos sempre com ritmo vivo até Manteigas onde fizemos a paragem para o cafezito, que antecedia a subida para as Penhas Douradas.

No final da subida aproveitamos para “embalar” umas magnificas sandes mistas (presunto e queijo da serra), nessa altura o nevoeiro já estava bastante denso e a humidade inerente já atravessava os ossos.

Após a ZA, a descida para o Sabugueiro foi terrível, visibilidade muito baixa devido ao nevoeiro e o frio…. Nixxx que até abanava o guiador de cada vez que me davam os ataques de tremeliques devido ao frio.

A subida até à torre, foi feita com calma e aproveitando as magnificas imagens de nuvens serra e gelo.

Na descida para a Covilhã e principalmente das Penhas da Saúde para baixo, apanhamos chuva e estrada bastante encharcada que dificultou imenso a descida, felizmente correu tudo bem, e a cerca de 1km da Cidade já não chovia e encontrava-se tudo seco.

https://www.strava.com/activities/1603680465

















PortugalXL1000 Etapa 4 Covilhã - Vila Velha de Ródão

Após um bom pequeno almoço no Hotel Sta Eufémia na Covilhã, lá nos fizemos à estrada para a 4ª etapa.

Rolamos a bom ritmo até ao Fundão, onde mais 2 amigos nos aguardavam para partilharem as estradas com os “travessistas”.

A maior dificuldade do dia estava logo ali, a subida Fundão-Alpedrinha, mas com a conversa e boa disposição nem demos pelos kms passarem.

Seguimos então em direção a Idanha à Nova, passando por algumas aldeias Beirãs com pavet típico em granito, e mais umas estradas bastante isoladas mas com ótimo piso, que convidavam a carregar nos watts.

Após passagem por Terras Albicastrenses, era hora de apertar nos sapatos e carregar nos watts até Vila Velha de Rodão, pois apesar do tempo não estar muito convidativo tínhamos a piscina à espera.

E um belo jantar à beira rio, sempre bem regado para recuperar bem.

https://www.strava.com/activities/1605837385





















PortugalXL1000 Etapa 5 Vila Velha de Ródão- Sta Eulália

Etapa 5, foi a etapa que melhor tempo apanhamos a única que andei sem manguitos e sem 1st layer.

Para aquecimento foram logo 5km de subida desde a ponte “sobre o Tejo” até entrarmos no Alentejo, seguindo em direção a Niza onde iriamos cortar em direção a Povoa e Meadas sempre por estradas totalmente isoladas em que praticamente não nos cruzamos com ninguém.

Tivemos direito a 2 furos, após passagem por uma zona onde efetuavam limpezas de mata e a estrada tinha bastante sujidade.

A subida a Marvão como sempre foi espetacular e com grandes vistas, mas era hora de descer para Portagem e comer um belo Prego no Pão malpassado para poder reter tudo!

Rumo à Serra de São Mamede, sempre por estradas mais “escondidas” onde viríamos a encontrar um simpático casal de Bikers Holandeses, a rondarem os seus 60 anos carregados com alforges e atrelado e um mapa, Thats the spirit!!! após um pouco de conversa e indicações os Dutch lá seguiram viagem para os seus 50 dias no selim OMG!!!

Rumamos então a bom ritmo em direção a Arronches e depois Santa Eulália onde terminamos o dia.

https://www.strava.com/activities/1608090238




















PortugalXL1000 Etapa 6 Sta. Eulália -Alvito

Chegam os dias das etapas mais longas, e após um bom pequeno almoço servido na hospedaria Lobato, lá seguimos viagem direção a Elvas, sempre em bom ritmo uma vez que o vento apesar não estar completamente pelas costas, ainda assim dava uma ajuda.

Passagem perto de Juromenha e do Rio Guadiana, seguimos em direção ao Alandroal e posteriormente ao Redondo onde uns quilómetros antes, viríamos a cruzar caminho com mais um aventureiro sexagenário, de nacionalidade inglesa, e que tinha arrancado nesse dia de Espanha, com a sua bike carregada com alforges, de transmissão por correia e desmultiplicações internas no cubo traseiro, tinha Évora como destino do dia, e Loulé como destino final onde vivia a irmã já casada com um Português, uma vez chegados ao Redondo, fizemos a nossa ZA com umas boas sandes na esplanada no centro da vila e o “Brit” lá seguiu a vida dele.

Já na zona de Viana do Alentejo, tivemos mais 2 furos distanciados poucos kms entre eles, que fez com que quebrássemos um pouco o ritmo, mas o Alvito já não estava longe e mais uma vez utilizamos estradas mais secundarias sempre que possível, ainda assim o Alentejo afinal não é totalmente plano, mas por vezes pode ser “secante”.

Chegamos finalmente ao Alvito, e só faltavam 10kms para o local de pernoita a herdade do Guizo, com um tempo pouco agradável.

O jantar foi em Cuba, num restaurante simples e acolhedor, onde comemos e bebemos bem.

https://www.strava.com/activities/1610180376
















PortugalXL1000 Etapa 7 Alvito - Monchique

Saída da herdade e paragem em Cuba para o shot de cafeina matinal.

Seguimos em bom andamento até Beja, mas logo de seguida começamos a ser sovados pelo vento, durante vários kms até Ervidel, onde andamos uns bons Kms na N2 com um rumo mais a sul e menos afetados pelo vento.

Passagem por Aljustrel, e paragem na Messejana para abastecimento de líquidos e sólidos.

A paisagem começava aos poucos a modificar-se e a deixar mos para trás as planícies de certa forma mais entediantes, estas davam lugar a paisagens mais acidentadas e com outro tipo de flora, mais sobreiros, estevas, eucaliptos e quanto mais nos aproximávamos da serra mais interessante a paisagem ia ficando.

A partir de Saboia, já estávamos noutro “mundo”, paramos uns kms mais à frente em Nave Redonda no sopé da serra de Monchique, numa tasca onde parecia estar tudo conservado em “medronho”, onde retemperamos e recuperamos forças para a subida até Monchique.

Chegada a Monchique uma vez mais com o céu a querer desabar, e tremenda ventania!!

Reforço de imediato na pastelaria Sabores de Monchique, que tem umas tortas maravilhosas!! “Saem 2 para a mesa do canto, que a subida foi puxada!!!”

O jantar foi por ali no Restaurante o Parque, um belo bife de atum e claro com bom vinho.

https://www.strava.com/activities/1612192300




















PortugalXL1000 Etapa 8 Monchique - Sagres

Etapa 8 e a derradeira de uma aventura por esse Pais fora, as condições climatéricas não eram as melhores, nevoeiro e muita humidade que por vezes passava a chuvisco, foram uma constante por mais de metade da etapa.

Iniciamos logo em subida, até ao ponto mais alto a sul do Tejo, o alto da Foia. Subida sempre controlada para não prejudicar o resto da etapa, parte da descida foi feita com extrema cautela devido as condições molhadas e escorregadias da estrada.

Após nova passagem por Monchique dirigimo-nos em direção a Marmelete, sempre com a serra como companhia e lá se conseguia avistar por entre as nuvens e nevoeiro o mar e a costa algarvia desde Sagres ao Carvoeiro.

Chegados a Aljezur, onde fizemos a nossa paragem para alimentação e hidratação, seguimos sempre com a companhia de uma chuva miudinha até bem perto da Carrapateira.

Sagres era já ali, e a animação para os derradeiros kms estava bem presente, com os riders a descarregarem os watts nos cranks até à placa que marcava a entrada em Sagres.

Após mais umas fotos junto da fortaleza, fomos até à praia da Mareta para terminarmos em grande com as pernas de molho.

Seguiu-se um banho …caríssimo (5,20€ por pessoal) no parque de Campismo para posterior repasto e regresso a casa, com um enorme sentimento de “dever” cumprido.

Foi de facto uma semana inesquecível para recordar.

https://www.strava.com/activities/1614470721













Riders And Staff


Videos:

https://www.youtube.com/watch?v=hc2wV-xLToA&t=16s

https://www.youtube.com/watch?v=uwb203ViZM0&t=23s

https://www.youtube.com/watch?v=jgsraSzueAI
 

Paulo Almeida

Well-Known Member
#11
Muito bom, parabéns pela iniciativa e pela partilha. Gostei de ver fotos da minha zona (Pinhel, Guarda) :D espero k tenham sido bem recebidos e tratados :) grande aventura. Questão: o que se leva para uma viagem dessas? Não vos vejo com mochilas, nem alforges, levaram só o equipamento e manguitos?
 

Bruso

Well-Known Member
#17
Muito bom, parabéns pela iniciativa e pela partilha. Gostei de ver fotos da minha zona (Pinhel, Guarda) :D espero k tenham sido bem recebidos e tratados :) grande aventura. Questão: o que se leva para uma viagem dessas? Não vos vejo com mochilas, nem alforges, levaram só o equipamento e manguitos?
Um carro de apoio com as respectivas mulheres lá dentro :D

Edit: se isto for verdade, elas é que são as heroínas e também gostava de ler o relato delas :p
 

Maddog

Well-Known Member
#18
@Paulo Almeida O @Bruso já disse tudo!

As esposas foram enormes! Apesar da viatura ter acusado "humidades" e alguns problemas elas ainda assim continuaram! Mesmo sem que a viagem tenha ido de encontro às expectativas delas.

Aqui fica outro ponto de vista da aventura : https://salpicosamoralentejano.blogspot.com/2018/06/viagem-por-portugal.html?spref=fb

Mais uma vez obrigado a todos.... Façam algo do género pelo menos uma vez na vida! Jáfiz várias travessias e aventuras em BTT mas nunca algo desta dimensão! Passados 8 dias... Parece que soube a pouco