De Férias...

#1
De férias podemos dar azo à imaginação e pedalar por aí. Desta vez, limitei a imaginação ao conteúdo de alguns destes posts e resolvi testar-me na volta da barragem de crestuma-lever. Saí de casa, na Areosa e meti-me à estrada na companhia da minha BTT 14,6 kg de peso. Como já, apesar de iniciado, tenho a minha experiência de anos de vida, sabia que o desafio era muito alto. Subir do lado de Gaia a estrada 222 não é pera doce, mesmo de carro, o que aconteceria de bicla a um iniciado nestas andanças?

Desço ao Freixo e até aqui tudo bem, para baixo todos os santos ajudam. Estrada de entre-os-rios com um ligeiro sobe e desce foi feita nas calmas. Pedaleira da frente maior e só mudava atrás...um campeão.

Paro antes da barragem, naquele café com esplanada e bebo o café da ordem. Lembrei-me daqueles futebolistas que acusavam caféina a mais no sangue e que depois diziam que bebiam muita coca-cola. Um café iria ajudar já que não me apetecia beber 3/4 litros de coca-cola.

Atravessando a barragem começa-se a subir. Prato grande já era, vamos para o do meio. Tentei mater uma cadência certa e a subida acabou. Já???

Faltava o prato principal, a subida master e aí vou eu. Não te excites e vai com calma. Lento e com mudanças leves fui subindo, subindo, subindo. Costas a ceder e pernas a esgotar. Não parar de pedalar, isto vai acabar...do outro lado desce um Colega deitado na sua bike a mais de 60 km/hora. Saudou-me. Obrigado, estava a precisar de incentivo...continuo ladeira acima, uma curva e ali está o topo. Já te venci estrada 222, chega o Olival. As pequenas subidas parecem-me planas e as descidas até incomodam pelo quente que o meu corpo estava.

Gaia, desço a avenida a ver as montras e paro junto à Ponte D. Luis para dar uma olhada à "Cascata S. Joanina". Não há vista mais linda no Mundo. Já ganhei o meu prémio. Falta regressar a casa. Mais 20 km de satisfação.

Belas Férias.
 
#3
Como dizem os franceses, BRAVO. É bom descobrir ou redescobrir o prazer de andar em bicicleta, ainda por cima num cenário previligiado que o caso. A bicicleta não conta, o que conta é esse espirito ciclista que deve ser mantido não só nas férias mas durante todo o ano. Já agora qual foi a ementa após o passeio? ( postar em gastronomia)

Um saludo

el gato
 
#4
Ainda de férias, desta vez na zona quente do País, e incentivado pelos Colegas que já perceberam a minha maneira de encarar o ciclismo, aqui vai mais uma...

Claro que não poderia ausentar-me de casa sem a minha companheira... sim essa e a outra, a bicla, claro. Então estou eu em Portimão, num dia lindo e quente e vem-me à ideia que a outra também precisa de carinho...porque não a levas a passear até Sagres? Um passeio bonito, turístico e apenas 50 km de distância. Então há que preparar o cenário. Amanhã, vou de bicla a Sagres. Levanto-me cedo e vou por aí.

Estás louco, é muito longe...ó Pai não vás que morres...há lá Hospital?. Tudo palavras de incentivo, que precisava(???)

6.30H toca o despertador...ainda é cedo...7.00h ainda é cedo...7.30h tem de ser, vai em frente que a bicha precisa de rolar...

7.45 estava a sair. Lento e ansioso fui rolando...Alvor, subidas pequenas, estrada 125, Odiaxere (Ó diacho uma subida a subir...). Quando reparo estou em Lagos. Um bom local para a primeira paragem. Pequeno almoço com meia de leite e café da ordem. A caminho de Sagres que se faz tarde. Estrada boa e com espaço para nós na lateral, sobe e desce constante...as descidas faço-as bem, mas as subidas...não parar. Colegas nem vê-los, hoje é dia de semana e nem toda gente está de férias como tu, de repente um grupo de mais de 20 escuteiros,nas suas biclas, encostados a beber. Naturalmente tiveram a mesma ideia que eu...Vila do Bispo alcançada e vento pelas costas. Que jeito que faz...8 Km rapidissimos (como quem diz...) e surpresa...na entrada de Sagres uma pista para ciclistas...barra azul no chão e simbolo de ciclista. Já valeu a pena cá vir só por isto. Encostada aqui no fim da Europa uma vila evoluida...por isso o Infante a escolheu...mais uma paragem como tinha de ser na fortaleza, ver a vista e atestar de líquidos...o regresso estava para durar e já são 10.30h...mais 50 km, e isso é muito para quem gosta de dar carinho à burra? Gás a fundo que à 1 tens de lá estar...e estive.

Belas férias
 
#6
Caro Colega,

muito obrigado pela explicação. Desconhecia do que estava a falar. Na verdade, foi a 2ª vez que fui a Sagres e cansado como ia a visão de uma ciclovia pareceu-me a visão do paraíso...na realidade, senti-me mais seguro assim que aí entrei. Conforto psicológico, concordo, porque pedalava ainda na estrada com os carros e camiões a passar perto.

Faço no entanto a pergunta: Será que a existência de uma "intenção" de ciclovia já não é um primeiro passo no sentido de se ter uma verdadeira ciclovia que permitirá proteger um pouco melhor quem gosta de pedalar?

Posso dizer que em Lagos não encontrei ciclovias (podem existir) e em Portimão apenas pude percorrer a ciclovia marginal junto à praia da Rocha. No Porto, a minha terra, apenas tenho hipotese de percorrer a da Foz, no passeio da mesma, já que ciclovias não existem nas estradas. Quando quero ir para a estrada, e vou algumas vezes, nem a fita azul com bonecos tenho a "proteger-me" dos carros.

Concordo que temos muitos passos a dar no sentido da promoção da bicleta como meio de transporte, recreio,desporto e saúde de massas. Temos que fazer ver aos responsáveis que a bicicleta devia ser mais promovida, mas também entendo que cada passo já é mais um passo...

Boas pedaladas.
 
#7
Pois cá estou de férias de novo e com tempo para escrever as minhas andanças...alguém poderá rever-se nas minhas "maluqueiras" ciclísticas.

Desta vez, como no ano que passou, fui para a zona de Málaga, mais propria mente Mijas-Costa, zona que recomendo vivamente, pela qualidade da praia e do ambiente, calmo e descontraído que aí se vive.

Apesar da muita gente que procura esta zona existe uma atmosfera mais própria para famílias do que aqui temos em algumas praias. Os únicos a jogar futebol na praia e a bater com a bola nas pessoas, sem nenhuma preocupação com isso, eram mesmo só portugueses. Os "Tugas" no seu melhor.

Mas tirando estas considerações paralelas, e que concerteza não lhes interessam nada, no ano passado tinha visto que entre Mijas-Costa e a vila de Mijas, no meio da montanha, existia uma subida de grande respeito. 8 km de subida contínua que era percorrida por Colegas ciclistas de todas as nações. Aí tinha visto gentes equipadas com as mais diversas cores de Equipas a celebrar, lá em cima em Mijas, o feito...cheguei a entabolar conversa com um espanhol que me explicou que era um desafio típico de quem vinha de férias para ali...muito bem então para o ano cá estarei a tentar, pensei...este ano não houve dúvidas, bicla de estrada (agora já a tenho) e aí vou eu para Mijas, após uns treinos nos dias anteriores...começa a subida a não para mais...25 atrás, não tenho mais...os camiões passam por mim com a 1ª engatada...mulher e filhos a apoiar...vai que consegues...esforço louco ao fim de 3 km...será que vou chegar?...pedalar e não parar...se paras já não consegues retomar...antes de uma rotunda um Colega em bicla BTT descansava ofegante....vem daí...oh, vens, estava parado de vez...porque é que me meti nisto, estava tão bem na praia...agora tem de ser...ao virar uma curva um sinal de aproximação de Estação de Serviço...500m...sabia que a Estação já estava em Mijas...vou conseguir???...animado lá vou até á próxima curva...a velocidade não passa dos 8Km/hora...descrevo a curva e à minha frente uma "parede"...não dá mais...à frente um entroncamento com hipótese de parar...consegui, com esforço desencaixar um pé e parei...Mijas tinha-me vencido a 200/300 m do topo...descansei e fiz o resto, mas já vencido...para o ano vou tentar lá estar, a "gaja" vai ser derrotada e irei comemorar também...um desafio para treinar um ano...

Belas férias