Dúvida entre Tarmac Pro ou Ultimate CF SLX

Tourmalet

Well-Known Member
#23
"...Se vais correr com os teus amigos no fim-de-semana, queres conquistar um KOM ou um RP, ou entrar numa corrida local, a Tarmac Disc Pro foi feita para ti..."

:D
 
#24
Meu caro tenho uma Tarmac modelo 2018 e tal como pediste vou dar a minha opiniao, só posso dizer que gosto bastante, quadro muito intuitivo do ponto de vista da insercao em curva, conduz-se com os olhos, seguro a travar sem vibracoes, e apesar da geometria agressiva é confortavel qb, muito efectivo a colocar o power no chão.
Perifericos tenho Di2 ultegra e é espetacular a suavidade e a facilidade em trocar de velocidade, dificilmente voltaria a sistema mecânico.
Ja tive um Aeroad e apesar das diferencas sem duvida acho que a minha escolha seria Tarmac.
 

NULL

Well-Known Member
#25
Sem dúvida que a Tarmac é uma bicicleta do mais equilibrado que há. É uma excelente trepadora por ser lightweight, rola muitíssimo bem e tem rigidez que lhe permite boas acelerações. Todos os amigos que têm Tarmac's dizem maravilhas delas.

Relativamente à Canyon não consigo ajudar, não conheço quem tenha.
 
#29
Não conheço ninguém, mesmo, que não tenha já partido uma vez, pelo menos...
E quem representa / distribui em solo TUGA Island a marca SRAM, utiliza-as coladas com fita de electricista :D
 
#33
Vantagens só as conhece quem usa SRAM eTap diariamente e já usou Di2.

Tudo o que circular na periferia é conversa da treta e put@ de inveja e ciúme barato!!!

Por exemplo, eu gosto dos dois e, sem ver desvantagens em nenhum, consigo ver vantagens em ambos!!!
 
#34
Desculpem o off topic, mas se esses encaixes estão sempre a partir, qual a vantagem deste grupo face ao Di2?
Mas para que não fique sem resposta, a minha claro ;), se a bateria do SRAM eTap, por distracção, o deixar ficar mal, fixa a mudança no prato da frente que der mais jeito para chegar a casa (maior ou menor) e coloca a bateria com carga atrás...

No fundo é o que a malta já diz ser o futuro do ciclismo com apenas um prato à frente...

Na certeza que as baterias (SRAM e Di2) duram praticamente o mesmo, se ficar sem bateria no Di2 f@deu-se!!!
E isso é uma
desvantagem?

NÃO, é distracção...:p
 
#35
Vantagens só as conhece quem usa SRAM eTap diariamente e já usou Di2.

Tudo o que circular na periferia é conversa da treta e put@ de inveja e ciúme barato!!!

Por exemplo, eu gosto dos dois e, sem ver desvantagens em nenhum, consigo ver vantagens em ambos!!!
Fosga-se, com uma explicação destas nem sei o que pensar :D:D:p

Presumo então que serão equivalentes a nível de fiabilidade, apesar de diferentes no seu funcionamento.

Conversa na periferia há muita, mas com tendência para o di2... ;)
 
#38
Mas para que não fique sem resposta, a minha claro ;), se a bateria do SRAM eTap, por distracção, o deixar ficar mal, fixa a mudança no prato da frente que der mais jeito para chegar a casa (maior ou menor) e coloca a bateria com carga atrás...

No fundo é o que a malta já diz ser o futuro do ciclismo com apenas um prato à frente...

Na certeza que as baterias (SRAM e Di2) duram praticamente o mesmo, se ficar sem bateria no Di2 f@deu-se!!!
E isso é uma
desvantagem?

NÃO, é distracção...:p
Mas pelo que já me apercebi, ao trocar de bateria tem que ser com jeitinho, não vá partir mais uma peça. :p
 
#40
Mas pelo que já me apercebi, ao trocar de bateria tem que ser com jeitinho, não vá partir mais uma peça. :p
Não, não e não!!!

Quer ao instalar, quer ao trocar, quer ao colocar a carregar na base ou no normal uso do dia-a-dia, NÃO HÁ NENHUM PROBLEMA!

FADIGA POR STRESS e as PUTAS das ESTRADAS NACIONAIS que mais parecem pistas de ciclocrosse!!!

A vibração sujeita e as lacadas das rodas (em buracos e lixo das bermas) é que provocam vibrações que originam as quebras.

Normalmente sabe-se que já foi mais uma bateria pro galheiro quando clicamos nos seletores e as transmissão não reage: a bateria fica lá pendurada mas com os pontos elétricos de contactos desencostados:mad: