Notícias do ciclismo nacional

s0me0ne

Well-Known Member
Afinal a W52 - Porto vai mesmo tentar formar equipa para 2023:oops::oops:

Nove equipas que estiveram inscritas como continentais na época de 2022 formalizaram a intenção de voltarem a constituir-se como equipas continentais UCI na próxima época:

ABTF Betão-Feirense
Atum General-Tavira-AP Maria Nova Hotel
Efapel Cycling
Glassdrive-Q8-Anicolor
Kelly-Simoldes-UDO
LA Alumínios-Credibom-Marcos Car
Rádio Popular-Paredes-Boavista
Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados
W52-FC Porto

De acordo com o previsto no ponto 2.5.3 das Normas particulares da UVP-FPC para a filiação de Equipas Continentais UCI 2023, a decisão quanto às equipas admitidas para a época 2023, será tomada em reunião de Direção convocada para o efeito, segundo os critérios e procedimentos previstos nos pontos 2.1. destas normas. A decisão será anunciada e comunicada aos clubes até ao 4 de outubro 2022.
fonte
 

tfernandes93

Well-Known Member
Antônio Carvalho e Amaro Antunes no Feirense...
Fica mais claro que tinham acordo com o Quintanilha. Como não vai fazer equipa vai pagar-lhes o salário ou algo do gênero , caso contrário o Feirense não tinha orçamento
 

NULL

Moderador
Staff member
Apesar de ser um bocado surpreendente o caso do Amaro acaba por ser natural... Não há muitas equipas em Portugal com capacidade para o contratar, e as que têm capacidade não querem arriscar já que o nome dele também aparece nos processos. Já o Carvalho não percebi muito bem... talvez não tenha ficado contente com a atribuição da amarela ao Mauri por decreto e tenha pensado que assim nunca ganhará a volta...
 

{the_crow}

Well-Known Member
Já aqui tinha dito que da maneira como o A.Carvalho tinha feito a volta e ainda estando numa "idade" aceitavel...devia ter sentido frustraçao apesar de tudo... ele e o figueiredo... portanto a saida para outra equipa é natural... ate pensava que o proprio figueiredo iria tentar dar o salto...
 

Cláudio

Well-Known Member

Mafioso

Well-Known Member
oh diabo


Amaro Antunes, vencedor da Volta a Portugal em 2017 - após desclassificação, por doping, do espanhol e então companheiro na W52-FC Porto, Raul Alarcon -, 2020 e 2021, anunciou em comunicado o fim de carreira, alegando falta de motivação.


O ciclista, que foi o único elemento da W52-FC Porto que não foi constituído arguido na investigação do Ministério Público, Polícia Judiciária e ADoP, desencadeada em 24 de abril de 2022, afirma que a despedida não acontece da forma que tinha idealizado.


Sem colocar em causa os motivos que, alegadamente, levaram Amaro Antunes a deixar o ciclismo profissional de forma prematura, A BOLA sabe que o ciclista foi notificado pela UCI por alterações registadas no passaporte biológico, situação que poderá ter contribuído para a decisão tomada.


A pena de suspensão proposta ao ciclista pelo LADS (Legal Antidoping Services), que poderá ir de quatro a seis anos, foi enviada ao corredor, que juntamente com o seu representante, dispunham de uma data-limite para responder se concordavam ou não, sendo esta uma situação imposta pela legislação que torna obrigatório ouvir o parecer do atleta. A decisão final sobre o caso cabe ao Tribunal Antidoping da UCI, que depois de analisar o processo da responsabilidade do LADS, que inclui todos os dados referentes ao passaporte biológico e a versão final do ciclista, aplica a respetiva pena, que nestes casos depende se o infrator confessa e reconhece ou não dopagem, a que se junta a anulação dos resultados desportivos desde a primeira infração, a aplicação de multa pecuniária, que nalgumas situações é agravada com custos processuais.


A ABTF Betão-Feirense, equipa que passou a representar em outubro, anunciou rescisão contratual com Amaro Antunes por comum acordo.


Três vitórias na Volta a Portugal em risco

A confirmar-se a notícia avançada por A BOLA, poderá levar à suspensão de Amaro Antunes pela UCI e à anulação dos resultados desportivos do corredor desde a primeira infração registada no passaporte biológico.


Assim, as vitórias na Volta a Portugal de 2017, 2020 e 2021 estarão em risco, dependendo da data que vier a ser determinada na possível sanção. A situação poderá obrigar a Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) a rever as classificações, não sendo de excluir que as edições da corrida de 2017, 2018, 2020 e 2021 não tenham vencedor, como aconteceu na Volta a França, com a anulação dos sete triunfos de Lance Armstrong (1999 e 2005), devido a conhecido escândalo de doping.
 

s0me0ne

Well-Known Member
oh diabo

Amaro Antunes, vencedor da Volta a Portugal em 2017 - após desclassificação, por doping, do espanhol e então companheiro na W52-FC Porto, Raul Alarcon -, 2020 e 2021, anunciou em comunicado o fim de carreira, alegando falta de motivação.
Essa noticia, juntamente com esta:
a serem verdade, revelam muito do que era a equipa da W52 - FCP
 

Cláudio

Well-Known Member
O Amaro também? Não pode... Nem era para não ser apanhado que ia acabar a carreira.
Ele tem três vitórias na volta, para mim tem uma. A primeira ganhou-a posteriormente e a última porque o Maurício decidiu cair no CRI final. Só foi realmente o mais forte na Volta de 2020.
Isto tudo admira quem mesmo?? Haviam de estar todos implicados menos ele? Menos o líder? Ahah
 

Negoci8er

Well-Known Member

Ministério Público acusa Ribeiro e Quintanilha de elaborarem "esquema" de dopagem na W52-FC Porto​


Não era o Quintanilha que dizia que falou com os ciclistas e lhe garantiram que não tomavam nada?
- "Depois da conversa que tive com eles, sinto-me completamente desiludido, tinha confiado na palavra deles..."

Hipocrisia completa! :mad:

Por acaso, ainda este fim de semana estive a ensinar à minha filha sobre os valores no desporto.
A importância de "saber ganhar" e "saber perder". O respeito, o fair-play, etc...

Mas para esta "gentinha" valia tudo para andar com um troféu na mão! Agora têm o que merecem... humilhação pública... Desonra!

Pareciam tão grande, e agora são anões...
 

Ganfas

Well-Known Member
Acho que não lhes vai fazer qualquer diferença, não me parece que esta gente tenha esse tipo de vergonha. O Nuno Ribeiro já tinha tido uma volta a Portugal retirada por Doping e não foi por isso que agora não voltou a estar envolvido em esquemas destes.
 

Hugorgvteixeira

Well-Known Member
Isto é um problema estrutural da modalidade ,não se vai eradicar assim e o melhor exemplo disso é que acabam com a Maia-Milanesa e anos mais tarde surge o WC52-FCP e quantos andam lá que foram usados enquanto atletas e agora fazem o mesmo aos seus atletas........
Acham mesmo que vai desaparecer só pelo "Prova Limpa",eu não acho e o mal do W52 foi acharem que iriam passar impunes,e quantos de vós achavam que o W52-FCP era a Sky em Portugal e deliravam com estas prestações acima da média.......
Achavam que a Movistar rejeitava um Atleta acabado de ganhar a nossa volta só porque sim,chegou lá a pão e água e os números não deviam ser assim tão out of the box........
Enfim o que quero dizer com tudo isto é que não irá desaparecer assim, apenas terá um controlo mais apertado e não será a rebaldaria que tem sido,mas ainda falta correr com muita gente da modalidade que não faz lá falta nenhuma e nem sequer falo de atletas porque esses são na maioria das vezes o elo mais fraco......
 
Top