Notícias do ciclismo nacional 2020

#22
Grandes equipas estão de olho em Portugal
A Volta a Portugal tem sido criticada por ter dos pelotões mais fracos nas competições europeias a nível de corredores e equipas, no entanto, no próximo ano, surge nos planos de algumas das formações World Teams e Pro Teams (ex-Continentais Profissionais).

Este súbito interesse deve-se à falta de competições que se verificam no hiato temporal que decorre entre o final da Volta à França, a 19 de julho, e o início da Volta à Espanha, a 14 de agosto. O período de 25 dias é considerado demasiado longo, segundo relata A Bola.

As possibilidades de dar competição aos corredores passam pela Volta a Burgos (28 de julho a 1 de agosto), Volta a Portugal (29 de julho a 9 de agosto), Tour de Utah (3 a 8 de agosto) a que se podem juntar Volta à Noruega e Volta à Rep. Checa (6 a 9 de agosto).

A Volta a Portugal dispõe, desta forma, da possibilidade única de apresentar um dos melhores pelotões dos últimos 20 anos. Na competição portuguesa podem participar até 50 por cento de equipas do World Teams, às quais se podem juntar Pro Teams, Continentais, Continentais e Seleções Nacionais sem limites.

José Carmona, da Podium Events, contou à A Bola “O nosso objetivo é valorizar a Volta a Portugal com equipas e corredores que possam dar projeção à corrida. Devido ao interregno que se vai verificar, a hipótese das Team World e Pro Teams é viável, vamos aguardar pelo alinhamento dos calendários de cada equipa para ver as que formalizarão o interesse em vir a Portugal”.
http://revistabikesworld.com/grandes-equipas-estao-de-olho-em-portugal/
 

pratoni

Well-Known Member
#23
Curiosamente o mais relevante dessa notícia da bola tenha sido cortado na notícia da revistabikesworld.





PORTUGAL NA MIRA DAS GRANDES EQUIPAS
CICLISMO 07-11-2019 08:48

Por Redação


A Volta a Portugal, prova que é criticada por ter dos pelotões mais fracos nas competições europeias a nível de corredores e equipas, surge no próximo ano nos planos de algumas das formações World Teams e Pro Teams (ex-Continentais Profissionais).

O súbito interesse está relacionado com a falta de competições que se verifica no hiato temporal que decorre entre o final da Volta à França, a 19 de julho, e o início da Volta à Espanha, a 14 de agosto. O período de 25 dias é considerado demasiado longo.

As possibilidades de dar competição aos corredores passam pela Volta a Burgos (28 de julho a 1 de agosto), Volta a Portugal (29 de julho a 9 de agosto), Tour de Utah (3 a 8 de agosto) a que se podem juntar Volta à Noruega e Volta à Rep. Checa (6 a 9 de agosto).

A Volta a Portugal dispõe, desta forma, da possibilidade única de apresentar um dos melhores pelotões dos últimos 20 anos. Na competição portuguesa podem participar até 50 por cento de equipas do World Teams, às quais se podem juntar Pro Teams, Continentais, Continentais e Seleções Nacionais sem limites.

«O nosso objetivo é valorizar a Volta a Portugal com equipas e corredores que possam dar projeção à corrida. Devido ao interregno que se vai verificar, a hipótese das Team World e Pro Teams é viável, vamos aguardar pelo alinhamento dos calendários de cada equipa para ver as que formalizarão o interesse em vir a Portugal», afirmou a A BOLA José Carmona da Podium Events, entidade organizadora da competição. Algo que deverá acontecer apenas depois de ser conhecido o percurso.

ALGARVE COM CONCORRÊNCIA
A Volta ao Algarve, que no próximo ano vai finalizar com um contrarrelógio em Lagoa e que na véspera chega ao Alto do Malhão, continuará a ter as principais equipas mundiais, podendo no entanto ver-se privada de algumas das grandes figuras como já aconteceu este ano. A realização do Tour da Colômbia, de 11 a 16 de fevereiro, não permite que as equipas possam contar com esses corredores. O mesmo acontece com o Tour de Omã nas mesmas datas, com a agravante de 23 a 29 se disputar o Tour do Emirados Árabes Unidos pertencente ao World Tour. A ASO e RCS Sport apresentaram às equipas uma proposta aliciante que passa por participarem no primeiro Tour da Arábia Saudita (4 a 8), seguindo-se Omã e Emirados Árabes Unidos, com deslocações e alojamento pagos desde 1 de fevereiro a 1 de março.
https://www.abola.pt/Nnh/Noticias/Ver/813803
 
#25
não acho assim tão relevante. essas provas sempre existiram, e continuaram a vir figuras à algarvia. curiosamente nao falaram da volta à andaluzia, que provavelmente é a que compete pelo mesmo pelotão
 

pratoni

Well-Known Member
#26
A volta da andaluzia, salvo erro, costuma ser na semana anterior à volta ao algarve. Até acho que podiam ser combinadas para as equipas fazerem as duas corridas...
 
#27
costuma ser nos mesmos dias e este ano tambem. se podiam articular isso e fazer numa semana consecutiva. claro e fazia todo o sentido. nem percebo porque é que as organizações não se sentam à mesa e trabalham isso

na arábia pelos vistos fizeram
 

pratoni

Well-Known Member
#28
Tinha a ideia que eram em fim-de-semanas seguidos...

Era bom ter Andaluzia Algarve e Alentejo de seguida. Podia ser que atraíssem mais equipas.

No ano em que houve algarve e alentejo em fim-de-semanas consecutivos foi o melhor plantel na volta ao alentejo...
 
#29
Curiosamente o mais relevante dessa notícia da bola tenha sido cortado na notícia da revistabikesworld.

https://www.abola.pt/Nnh/Noticias/Ver/813803
em tipos saudosos, a Volta era considerada o quarto grande tour. e a Alentejana chegou a ter um menino chamado indurain aqui a correr. parece-me desde há muito, que Algarve, Alentejana (Esta menos) e a Volta tem condições para que se tornem ainda maiores referências internacionais. desde que seja (no caso da volta sobretudo) muito melhor organizada e planeada a nivel de percursos e infraestruturas noemadamente hoteleiras.