B'twin Sport 4

pratoni

Well-Known Member
#1
Pois é, criei este tópico porque recentemente comprei, em segunda mão, uma btwin sport 4, de 2009 (penso eu).

Ou seja, uma bicicleta igual a esta --> B'Twin Sport 4.

B'Twin Sport 4 review by Bike Radar

A imagem em baixo serve apenas para fins ilustrativos, sendo da autoria do duchene e referente à btwin sport 4 dele:

by duchene

A bicicleta penso que tenha tudo de origem, à excepção dos calços de travões (koolstop) e dos suportes de bidon em carbono em zéfal.

Resumindo, tenho andado em estrada com uma btt rigida com pneus slick specialized fatboy 1.25 (equivalente a 32). Tendo em conta a largura dos pneus e o facto da bicicleta ser em aço, pensava que andava numa bicicleta confortavel para estrada.

Por várias vezes pensei em adquirir uma fininha, mas quando olhava para a largura dos pneus e para relatos de muitas serem verdadeiros "paus", sempre estive reticente com medo de vir a perder conforto.

Para além do facto de nunca ter andado com um guiador de estrada, o receio era ainda maior.

Andei muitas vezes em sites a ver bikes novas e estava bastante inclinado para a entrada de gama da canyon, a roadlite 5, ao preço de 900€ + portes.

Andei a ver também a Caad8 105 e outras de outras marcas, mas aí já se atiravam para valores bem mais elevados.

Entretanto, sem muita esperança, comecei a ver os sites de anúncios, mas a esmagadora maioria eram de tamanhos pequenos para mim (1,84m).

Até que encontrei esta e logo no tamanho 57. Entrei em contacto com o dono a querer confirmar o tamanho (não tivesse sido um engano no anúncio) e tal confirmou-se e acabei por fazer negócio. :)

Depois da compra desta bicicleta, dou a mão à palmatória e tenho que reconhecer que é 1000x mais confortável que a outra.

Não sei até que ponto o facto de ter escoras de carbono influenciará nessa comparação, dado que é a primeira fininha que experimentei.

Os pneus também me parecem muito mais confortáveis que os outros, não sei se é de serem em kevlar e os outros em arame, ou não.

A primeira volta tive a sensação de passar de uma cadeira de madeira para um assento de carro logo, era tudo um mar de rosas, mas agora, que já fiz mais algumas voltinhas nela (sendo a maior um pinhal novo/cabo espichel/pinhal novo), penso já poder dar uma opinião mais realista.

Estética - Acho-a muito bonita elegante e discreta, gosto da cor e do desenho.

Quadro - Parece ter qualidade e as escoras de carbono parecem dar algum conforto, embora não tenha termo de comparação. Este facto faz com que não pareça um quadro de gama baixa, tal como o seu preço original faria parecer, mas sim de gama média.

Forqueta - Não noto a frente tão confortável como a traseira, mas acredito que tenha também a ver com o conforto (ou falta dele) das fitas.

Rodas e pneus - Estas rodas têm fama de serem boas, mas como não tenho termo de comparação, não sei avaliá-las.

Pneus - Quanto aos pneus acho-os bastante confortáveis, muito mais do que os fatboy's da outra. Estava com medo de serem muito instáveis devido à sua menor largura, mas nada disso, tenho que ter um pouco mais de cuidado em curva ou pisos mais húmidos, mas não tanto como pensava. Quanto a atrito não sei comparar com outros modelos.

Travões - Sem dúvida o ponto fraco da bike. A primeira sensação que tive foi MEDO, MUITO MEDO!!! Ao início nunca pensei que travassem tão pouco, mas aos poucos vou-me habituando a eles, tendo de dosear e travar mais cedo, comparativamente com os cantilevers da outra, e já não acho que sejam assim tão maus.
Acho-os na mesma muito esponjosos e é preciso alguma força (pelo menos com as mãos em cima nas manetes) para senti-los a travar bem, principalmente o de trás.
Parece-me que vou ter que os mandar afinar para travarem um pouco mais em cima (A manete do travão de trás quase que toca no guiador em travagens mais fortes). Já estive a centrar a maxila de trás, mas não consegui perceber como afinar a distância dos calços aos aros.

Transmissão - O facto de ter a avózinha (30-39-50) tranquilizou-me quanto às mudanças, mas ainda não usei nem o limite superior, nem o inferior das relações. Por exemplo, na ida e volta ao cabo espichel não usei nenhuma vez a avózinha, mas também esse caminho não tem nenhuma subida digna de nota.
Espero que o 30-25 seja suficiente, para tal vou ter que a testar devidamente (serra da arrábida), mas primeiro tenho que ter mais confiança nos travões porque, depois de subir, vou ter que descer e bem.
Noto que as mudanças devem estar a precisar de uma afinação, porque às vezes faz um barulho em que as mudanças parecem ficar a roçar. Ou então sou eu que ainda sou nabo a meter as mudanças. :)

Cockpit

Selim - O selim foi o primeiro a ir fora. Ainda aguentei 2 voltinhas pequenas, mas à terceira substituí-o pelo Specialized Indie XC 143mm que tinha na outra e notei bastantes diferenças para melhor. Não é que não fosse almofadado, bem pelo contrário, acho que era almofado a mais nos sitios errados.

Estou a pensar seriamente se compro o Brooks porque, sinceramente, não sei se esteticamente ficará bem com a decoração da bike...

Espigão de selim - Quanto ao espigão de selim não tenho nada a dizer, mas parece-me que seja pesado e com acabamentos de gama baixa. Talvez o troque por um mais leve, dado que pesa 380gr para um tamanho 27.2mm x 350mm. Talvez vá para um KCNC SC Pro Lite ou Ritchey WCS... :)

Avanço - O avanço já vinha do dono antigo virado para cima e parece-me, aliado ao seu comprimento e ângulo (110mm e 8º), que está na posição ideal. Quando vou com as mãos na parte plana do guiador sinto que vou com as mãos no sitio ideal. Quanto aos acabamentos e peso não me parece nada de especial, mas também não me parece ser a pior coisa nesta bike.

Guiador - Este ponto era o que maior receio me dava em termos de conforto e controlo da bike. Na primeira volta gostei muito dele e pareceu-me que as posições eram correctas.
Quando a comprei, vinha com o guiador muito virado para baixo e rodei-o um pouco para cima. Penso que ficou numa boa posição mas, ao longo do tempo, penso que as manetes estarão à volta de 1/2 cm demasiado para a frente para me sentir devidamente confortável com as mãos nas manetes. Ou seja, sinto-me um bocado esticado demais. Mas também pode ser por não estar habituado a andar nessa posição.

Agora, das duas uma, ou rodo mais um pouco o guiador para cima, mas corro o risco de ficar a apontar demasiado para cima, ou deixo o guiador como está, puxando as manetes um pouco para cima no guiador.

Quanto à largura do mesmo, ao principio pareceu-me demasiado estreito (440mm) mas, ao longo do tempo, fui-me habituando e já me parece bem.
Uma das posições que ainda não me habituei mesmo é ter as mãos nos drops...

Fitas - Embora tenham uma textura boa e que gosto, não têm alcochoamento absolutamente nenhum. Caso mande afinar as mudanças e travões são umas candidatas à mudança por outras mais confortáveis.

Manetes - Como disse anteriormente, parecem-me estar um tudo ou nada demasiado para a frente, mas nada demais.

Quanto a meter mudanças, ainda me estou a adaptar a este tipo de manetes e, às vezes, parece-me que não entra devidamente bem a mudança desejada, ficando a roçar. Uma afinação na transmissão deverá estar para breve.

Faz-me alguma impressão travar com as mãos na parte de cima das manetes, porque tenho que fazer alguma força para sentir os travões a travarem mesmo, tendo reparado que o ideal seria levar as mãos nos drops mas, tal como referi anteriormente, ainda não me sinto à vontade para tal posição.

Resumindo e concluindo, andar com uma fininha destas revelou-se um mundo à parte, estando a adorar toda a experiência e sempre ansioso que chegue o fim de semana para voltar a por as mãos nela!! :)

Quanto a upgrades, tal como referi anteriormente, talvez a fita, na sequência de uma afinação dos travões e mudanças(e consequente mudança de cabos e bichas), os pedais (actualmente um spd's normais), talvez troque por uns shimano a520, e pouco mais.

O selim e o espigão podem ser uma hipótese, mas não me parece que sejam para breve...

Quanto a fotos, ainda não tenho nenhumas, mas prometo que vou arranjar e mostrar.

Entretanto podem ter uma ideia com as fotos, de imensa qualidade, do duchene no primeiro post do tópico referido no início, porque pode-se dizer que é o mesmo (tirando aquela protecção preta entre a cassete e as rodas)... ;)

Obrigado por terem lido e peço desculpa pelo testamento :)
 

pratoni

Well-Known Member
#3
Algumas fotos tiradas com o telemóvel (baixa qualidade) este fim de semana:



Adivinhem para que lado fui!?!

Para a direita, que as pernas ainda não são grande coisa... :p









 

pratoni

Well-Known Member
#4
Mais duas pequenas alterações (já visíveis nas fotos anteriores).

Os pedais coloquei uns shimano PD-A520 que me permitem usar os sapatos spd's na mesma e já têm uma base de apoio mais larga que uns pedais de btt normais e um visual mais "estradista".



Outra alteração foram os apertos das rodas. Aproveitei ter lá por casa uns BBB WHEELFIXED BQR-03 e só aqui poupei uma 70grs, porque os da mavic pesam 148grs, ao contrário das 78grs destes...

Ou seja quase o dobro! :eek: E estes apertos da BBB não são dos mais anoréticos...

 

pratoni

Well-Known Member
#5
uma pequena actualização.

As fotos já têm uns bons meses, mas há apenas pequenas diferenças visuais para o actual.







Actualmente a posição do guiador e das manetes é diferente, rodei o conjunto um bocado mais para baixo porque as mãos no drops, como está na imagem, não ficavam bem apoiadas.

As borrachas da manetes ficam horríveis e, desde o dia em que as vi, que está decidido trocar. Já tenho ali umas pretas para colocar...

O espigão de selim actualmente é o Canyon VCLS e não o "chinoca" em carbono da imagem.

O suporte do garmin também já não é esse...

Os pedais também já não são esses, já me converti aos pedais de estrada e comprei uns Shimano PD-5700(105) pretos e uns sapatos da Spiuk.



Não tenho imagens do conjunto mais recentes, quando as tiver mostro...

Estou inclinado para, ao mesmo tempo que trocar as borrachas das manetes, colocar umas fitas vermelhas, acho que dava alguma "vida" à bike, e combinava com os sapatos... :).
 

pratoni

Well-Known Member
#6
Esta semana recebi os apertos em titânio do ebay e estive a colocá-los.

Resumindo, a bicicleta vinha com isto:


Tenho andado com estes:


A partir de agora vão ser estes:



Os apertos que tinha aparentam serem construídos de uma forma mais robusta, vamos ver como sinto estes novos apertos nas próximas voltas.

Se sentir que não são tão fiáveis, volto aos apertos anteriores num instante...
 

pratoni

Well-Known Member
#7
Como, apesar de gostar dele, achave que o visual do selim brooks não se adequava muito à bike, decidi fazer uma coisa chamada de "butchering" e que já se faz há muito tempo.

Ou seja cortar uma parte das "saias" para o selim ficar mais elegante.

Resumindo, passou disto:




para isto:






Peço desculpa pela (pouca) qualidade das fotos mas foram tiradas pelo telélé...

Ainda não o experimentei mas que está mais bonito, lá isso está.

Pelo menos para os meus olhos... :D
 

pratoni

Well-Known Member
#9
Até foi mais fácil do que pensava.

Primeiro marquei com um lápis a zona de corte.

Depois, com um x-acto fui cortando aos poucos, primeiro rasgando apenas superficialmente pela linha desenhada e depois fui aprofundando o corte até cortar tudo.

Andei muito tempo a ver na net e com medo de vir a fazer porcaria, principalmente num selim caro, mas correu bem.

Como se costuma dizer deve-se medir duas vezes e cortar uma...
 
#12
Como, apesar de gostar dele, achave que o visual do selim brooks não se adequava muito à bike, decidi fazer uma coisa chamada de "butchering" e que já se faz há muito tempo.

Ou seja cortar uma parte das "saias" para o selim ficar mais elegante.

Resumindo, passou disto:




para isto:






Peço desculpa pela (pouca) qualidade das fotos mas foram tiradas pelo telélé...

Ainda não o experimentei mas que está mais bonito, lá isso está.

Pelo menos para os meus olhos... :D
Ficou perfeito.
Qual foi o instrumento usado para cortar?
 

pratoni

Well-Known Member
#13
foi um x-acto que comprei no aki.

Fui cortando aos poucos, primeiro marcando a linha com um lápis e depois passando várias vezes, com o corte a ir mais fundo de cada vez que passava...
 

pratoni

Well-Known Member
#16
Jusko, fica descansado que já não está assim. :)

Actualmente está com as borrachas das manetes pretas e fita vermelha (um belo fiasco as fitas da easton, lol).

Os pneus também já são uns GP4000 S tamanho 25.

Quando andar da próxima, a ver se tiro umas fotos actualizadas... ;)
 
#18
Bicicleta simples, discreta, elegante e funcional. Gosto ;)
Que tal estás a dar-te com esses apertos de roda? Tenho de ve se arranjo algo semelhante. De onde vieram?
Que tal o Brooks?
Só há dois pormenores que achei mais estranhos. Precisas mesmo dessas manetes de travão? Sentes-te confortável com o drop tão acentuado desse guiador? Parece haver uma distância enorme entre a altura do selim e o posicionamento das manetes/hoods, dando ideia de que vais todo esticado em cima da bicicleta.
 
#19
Viva Pratoni, grande máquina aqui tens, gosto do conjunto no seu todo, mas tens aí uns apontamentos, que na minha opinião alterava, mas como te disse, na minha opinião.

São eles:
- Guiador, troca era directa por um guiador formato compacto;
- Pedaleiro, troca directa era por um pedaleiro compacto depois com uma cassete 11/28 e estava feito, ficas com uma relação para subir tudo e mais um par de botas;
- Manetes de travões extra, simplesmente as tirava;
- Fitas, troca por fitas pretas, mas isto por eu sou muito monocromático;
- Espigão de selim em carbono, aqui é mais uma questão de "vaidade", embora a melhoria de conforto seja evidente;
- Rodas, essas são de combate e das boas, a trocar era mesmo por algo tipo mavic ksyrium.

Isto é tão somente a minha opinião.

Desfruta muito da máquina que além de bonita é extremamente fiável!
 
#20
Diogo112,

Se há coisa que não trocava era o espigão de selim porque trata-se de um Canyon VCLS Post com fibras de basalto que segundo alguns estudos mostra que tem uma capacidade de absorção de impactos maior que o carbono.

Além disso este espigão é bastante polivalente no que se refere a ajuste do selim. Permite um seatback de 15-35mm.