Alternativas SPD para uso em estrada

#21
Também tenho problema num joelho, e no meu caso a passagem de SPD para SPD-SL trouxe melhorias, pela percepção que tenho estará relacionada com a maior estabilidade e melhor alinhamento.

Outras vantagem que sinto é o menor peso rotacional do conjunto pedal + sapato (os meus pedais SPD eram pesaditos), mesmo pegando em sapatos de 200 ou 300 euros SPD são sempre pesados. Já em SPD-SL por 50 euros comprei sapatos Shimano de 250g, e isso nota-se e bem.

Para além disto, na prática noto que deixei de ter dormência nos pés, e muito maior conforto que estará relacionado com o formato do sapato com mais espaço para o peito do pé. A oferta de sapatos de estrada é muito mais vasta, infelizmente a grande maioria das marcas não apostam no conceito Road Touring em SPD, por razões que desconheço.

Cada vez me mentalizo mais que para o que faço, SPD-SL é o caminho. Gostava de experimentar outros sistemas - Speedplay, Eggbeaters, etc - mas como todos sabemos não é fácil suportar custos e fazer experiências (a não ser que se tenha uma loja de bikes :) )
 
#22
Resumindo. Neste momento pedalo com Crank Brothers Egg Beaters 3 na minha bicicleta de estrada e jamais irei voltar aos SPD-SL. Não só me permitem entrar em 4 lados, como se minimizaram os problemas dos joelhos (flutuação de 20º), assim como me permitiram comprar sapatos com os quais posso andar sem problemas em qualquer tipo de piso e condições, isto tudo nuns pedais que pesam 280 gr.
Been there, done that! Em estradistas com Look Keo, em bttistas com Crank Brothers, Time Atac, SPD. Os Crank Brothers são os mais fáceis de afinar, devido à flutuação que permitem - que é cerca de 12 ou 13º, 20 (ou 15) é o ângulo de desencaixe - e os SPD são os mais dificeis, com apenas 4º. Uso SPD, ao fim de muitos ajustes e alteração dos cleats para aumentar a flutuação.

Tive uns Egg beaters 1 que partiram o eixo ao fim de pouco tempo de uso. Tens os teus eggbeaters 3 à muito tempo?
 
#23
Também tenho problema num joelho, e no meu caso a passagem de SPD para SPD-SL trouxe melhorias, pela percepção que tenho estará relacionada com a maior estabilidade e melhor alinhamento.
Os SPD-SL têm 6º de flutação, em vez dos 4º dos SPD.

Para além disto, na prática noto que deixei de ter dormência nos pés, e muito maior conforto que estará relacionado com o formato do sapato com mais espaço para o peito do pé.
Com um cleat maior, como os de estrada, é mais fácil resolver problemas de dormência, mas um cleat de btt bem afinado também não faz dormência. Sapatos existem de muitos formatos - tenho o pé largo e alto... a escolha de sapatos é mais reduziada, mas arranja-se, mesmo por 50 ou 60 euros.

Cada vez me mentalizo mais que para o que faço, SPD-SL é o caminho. Gostava de experimentar outros sistemas - Speedplay, Eggbeaters, etc - mas como todos sabemos não é fácil suportar custos e fazer experiências (a não ser que se tenha uma loja de bikes :) )
Se a Decathlon vendesse desses pedais seria fácil experimentar e devolver se não gostasses... Procura outra loja (online?) que te permita experimentar e devolver se não gostares. Ou usados, no OLX.
Entre os estradistas, os Look Keo com travessas vermelhas têm 9º de flutuação.. para o caso de teres curiosidade de experimentar
 
#24
Bom feedback! Já agora, e por curiosidade, que problemas são esses nos joelhos?
Ok. Para não escrever muito e arriscar não dizer muita coisa, lá fui eu aos meus documentos digitais procurar pelo relatório da minha última ressonância. É longo, pelo que exponho aqui o mais relevante:

Cartilagens incipientes e irregulares, com fissuração retropatelar externa, e fissuração igualmente linear em topografia troclear interna, com transição ao sulco intercondiliano estendendo-se longitudinalmente em cerca de pelo menos 5 mm, a traduzir condropatia de grau II.

Anota-se alguma heterogeneidade com um ou outro foco de hipossinal por eventual calcificação condral, condiliana interna.

Volume de derrame articular com plica longitudinal interna ligeiramente espessada.

Alteração dos meniscos de sinal intra-substância no como posterior do menisco interno, em relação com expressão degenerativa de grau II.

Mínima bursite do popiliteu.
 

NULL

Well-Known Member
#26
Ok. Para não escrever muito e arriscar não dizer muita coisa, lá fui eu aos meus documentos digitais procurar pelo relatório da minha última ressonância. É longo, pelo que exponho aqui o mais relevante:

Cartilagens incipientes e irregulares, com fissuração retropatelar externa, e fissuração igualmente linear em topografia troclear interna, com transição ao sulco intercondiliano estendendo-se longitudinalmente em cerca de pelo menos 5 mm, a traduzir condropatia de grau II.

Anota-se alguma heterogeneidade com um ou outro foco de hipossinal por eventual calcificação condral, condiliana interna.

Volume de derrame articular com plica longitudinal interna ligeiramente espessada.

Alteração dos meniscos de sinal intra-substância no como posterior do menisco interno, em relação com expressão degenerativa de grau II.

Mínima bursite do popiliteu.
Fizeste algum tratamento, especialmente de viscosuplementação? Ou ficou apenas pela fisioterapia?
 

Mendas

Active Member
#27
Deixo aqui a minha experiência nesta matéria:

Durante muitos anos (vou fazer 48 daqui a uns meses), corri. Quando era jovem fui federado e corria 10.000 metros. Aos trintas passei a fazer as maratonas de Lx. Toda a história das minhas corridas conduziram os meus joelhos à desgraça, facto amplificado por um acidente de mota há uns anos.

Depois de estar parado durante muito tempo devido a lesão grave, que me levou a inúmeras ressonâncias, fisioterapia e o "diabo a 7", passei da corrida ao ciclismo (porque não é um desporto de impacto - logo menos grave para os meus joelhos).

Todavia, a questão sempre se prendeu com dores nos meus joelhos, o que me levou a dois Bike Fits (o primeiro uma desgraça - realizado por um "cromo" bastante conhecido), o segundo um trabalho perfeito, realizado por um grande profissional chamado António Facão (que eu muito recomendo).

Mesmo assim, o problema dos joelhos sempre persistiu, o que me levou a procurar alternativas, a mais óbvia das quais, pedais SpeedPlay, mas entretanto comecei a ler que as proteções de borracha estão constantemente a sair e, sem elas, os cleats SpeedPlay ainda escorregam mais que os SPD-SL, o que me conduziu aos pedais de montanha com a maior flutuação (muito importante para evitar lesões nos joelhos), no mercado, que são os Crank Brothers.

Resumindo. Neste momento pedalo com Crank Brothers Egg Beaters 3 na minha bicicleta de estrada e jamais irei voltar aos SPD-SL. Não só me permitem entrar em 4 lados, como se minimizaram os problemas dos joelhos (flutuação de 20º), assim como me permitiram comprar sapatos com os quais posso andar sem problemas em qualquer tipo de piso e condições, isto tudo nuns pedais que pesam 280 gr.

Muitas vezes oiço comentários que a transferência da potência aos pedais não é a mesma por comparação com SPD-SL. Tretas! Com os cleats bem montados, a superfície de contacto é perfeita, e com uns bons sapatos (uso Sidi Dragon 4), a sola é tão rígida que não existem problemas dessa natureza. Posso dizê-lo com toda a certeza, já que uso potenciómetro e nunca percebi diferenças de potência nas minhas voltas depois da troca de pedais.
Espôe aqui quem foi que te fez o Fit e nao gostaste sff.
 
#28
Fizeste algum tratamento, especialmente de viscosuplementação? Ou ficou apenas pela fisioterapia?
Fisioterapia e plano de ginásio para fortalecer o grupo de músculos que suportam o joelho. Na altura o meu médico - Álvaro Machado do Hospital da Luz (que também muito recomendo como ortopedista desportivo) - falou-me que devemos retardar a operação o mais possível, e que, por agora, não se justifica.

Espero que as coisas se mantenham assim. Estive a ver e essa última ressonância é do início de 2017, altura também em que troquei pedais. Às vezes lá me queixo. Por exemplo, hoje estou com uma ligeira impressão (não muito boa), num dos meus meniscos internos, mas na verdade estou a escrever estas linhas a correr porque me vou preparar para dar uma voltinha, e sair daqui em direção a Montachique com regresso pela N10 :)


Espôe aqui quem foi que te fez o Fit e nao gostaste sff.
Não sei até que ponto isto será muito ético, mas para que outros não caiam no mesmo erro que eu, aqui fica (com a salvaguarda que os moderadores possam retirar este meu comentário - caso achem que se justifica).

O nome desse senhor É João Cabreira da Biketreino.
 

NULL

Well-Known Member
#29
Fisioterapia e plano de ginásio para fortalecer o grupo de músculos que suportam o joelho. Na altura o meu médico - Álvaro Machado do Hospital da Luz (que também muito recomendo como ortopedista desportivo) - falou-me que devemos retardar a operação o mais possível, e que, por agora, não se justifica.

Espero que as coisas se mantenham assim. Estive a ver e essa última ressonância é do início de 2017, altura também em que troquei pedais. Às vezes lá me queixo. Por exemplo, hoje estou com uma ligeira impressão (não muito boa), num dos meus meniscos internos, mas na verdade estou a escrever estas linhas a correr porque me vou preparar para dar uma voltinha, e sair daqui em direção a Montachique com regresso pela N10 :)
Eu estou a colocar estas questões porque também tenho problemas nos joelhos. Possivelmente problemas semelhantes uma vez que a condropatia e condromalácia são basicamente a mesma coisa e são uma espécie de desgaste de cartilagem. Eu já fiz viscosuplementação há uns meses mas entretanto mudei de médico e agora estou a aguardar o resultados de exames para ver o próximo passo.

Não sei até que ponto isto será muito ético, mas para que outros não caiam no mesmo erro que eu, aqui fica (com a salvaguarda que os moderadores possam retirar este meu comentário - caso achem que se justifica).

O nome desse senhor É João Cabreira da Biketreino.
Como em tudo há quem goste de determinado serviço e outros não. Todos sabem por aqui que eu sou amigo do João e não tenho dificuldade em voltar afirmá-lo. Há imensos casos de pessoal que gostou de fazer bikefit lá e outros nem por isso.
 

Mendas

Active Member
#30
Fisioterapia e plano de ginásio para fortalecer o grupo de músculos que suportam o joelho. Na altura o meu médico - Álvaro Machado do Hospital da Luz (que também muito recomendo como ortopedista desportivo) - falou-me que devemos retardar a operação o mais possível, e que, por agora, não se justifica.

Espero que as coisas se mantenham assim. Estive a ver e essa última ressonância é do início de 2017, altura também em que troquei pedais. Às vezes lá me queixo. Por exemplo, hoje estou com uma ligeira impressão (não muito boa), num dos meus meniscos internos, mas na verdade estou a escrever estas linhas a correr porque me vou preparar para dar uma voltinha, e sair daqui em direção a Montachique com regresso pela N10 :)




Não sei até que ponto isto será muito ético, mas para que outros não caiam no mesmo erro que eu, aqui fica (com a salvaguarda que os moderadores possam retirar este meu comentário - caso achem que se justifica).

O nome desse senhor É João Cabreira da Biketreino.
Sabes, a minha historia é um pouco semelhante à tua, 3 operaçoes ao joelho, ( menisco, ligamentos cruzdos e cartilagem, sempre o joelho esquerdo, a perna nao dobra totalmente, uma vez que depois da segunda operação me deixaram a perna esticada e imobilizada dirante 1 mês e meio) deixei de correr, jogar futebol por causa dos impactos, e dai virar-me para o mundo das bikes, tambem fiz um bike fit inicial, o qual nao gostei nada (já mencionei num post o nome e o motivo pelo qual nao gostei), até que à pouco tempo me decidi por outro fit, e precisamente com o João Cabreira, e gostei bastante.

Eu sempre tive um grande receio da posição dos joelhos na bike, ele avançou-me o selim cerca de 2 cm, levantou-me o guiador e eu sempre a pensar que nao ia resultar porque achava que o joelho ia ficar mt em esforço. O que ele me disse foi, vamos experimentar, vais com calma durante 15 dias, 1 mês e vais vendo como te sentes. Se não estiver a resultar vamos ajustando.

É o que tenho feito e felizmente sem dores, e sinto me mt mais confortavel na bike.
 
#31
Eu estou a colocar estas questões porque também tenho problemas nos joelhos. Possivelmente problemas semelhantes uma vez que a condropatia e condromalácia são basicamente a mesma coisa e são uma espécie de desgaste de cartilagem. Eu já fiz viscosuplementação há uns meses mas entretanto mudei de médico e agora estou a aguardar o resultados de exames para ver o próximo passo.
Estimo rápidas melhoras. Assim como a todos aqueles que sofrem de alguma maleita que, de alguma forma, influencie negativamente a nossa vida.

Como em tudo há quem goste de determinado serviço e outros não. Todos sabem por aqui que eu sou amigo do João e não tenho dificuldade em voltar afirmá-lo. Há imensos casos de pessoal que gostou de fazer bikefit lá e outros nem por isso.
Plenamente de acordo! Daí que não ache muito ético estar a citar nomes. Como já o fiz, adianto que partilho da mesma opinião, especialmente porque como seres imperfeitos que somos, todos temos dias bons, menos bons, e maus.

Presumo que tenha encontrado o João num dia menos bom. Não quero com isto dizer que ele não foi simpático comigo, antes pelo contrário!

Todavia, fiquei com uma nítida impressão que o João e os seus colaboradores estavam mais interessados em vender-me componentes num Bike Fit, do que propriamente adaptar-me a bicicleta funcionalmente.

Para além disso, fiquei surpreso quando recebi o relatório por email. Nele não consta qualquer ângulo medido. Telefonei-lhe e comentei essa lacuna, ao que me respondeu que a Biketreino nunca divulga ângulos, e que eles fazem unicamente parte do seu banco de dados.

Achei estranho, porque esses ângulos são uma boa referência para percebermos que alterações sofre o nosso próprio corpo com o avançar da idade, e com as novas posições que invariavelmente vamos adaptando na bicicleta.

Também não me fizeram avaliação física. Colocaram-me em cima da bicicleta com os sensores e... força! O Facão demorou mais tempo comigo antes de me por na bicicleta (a propósito de perceber as minhas lesões, flexibilidade a vários níveis, objectivos...), do que a Biketreino levou a fazer-me o Fit.

Bem... O post já vai longo e nem sequer está dentro do âmbito do tema original.

Reitero o que disse no início: Não duvido que o João possa ser um bom profissional. Eu não tive muita sorte. Só isso! Há dias assim! E, mais uma vez, concordo com o que afirmaste. Uns gostam outros não. É assim em tudo na vida e aqui não é diferente.
 
#32
Sabes, a minha historia é um pouco semelhante à tua, 3 operaçoes ao joelho, ( menisco, ligamentos cruzdos e cartilagem, sempre o joelho esquerdo, a perna nao dobra totalmente, uma vez que depois da segunda operação me deixaram a perna esticada e imobilizada dirante 1 mês e meio) deixei de correr, jogar futebol por causa dos impactos, e dai virar-me para o mundo das bikes, tambem fiz um bike fit inicial, o qual nao gostei nada (já mencionei num post o nome e o motivo pelo qual nao gostei), até que à pouco tempo me decidi por outro fit, e precisamente com o João Cabreira, e gostei bastante.

Eu sempre tive um grande receio da posição dos joelhos na bike, ele avançou-me o selim cerca de 2 cm, levantou-me o guiador e eu sempre a pensar que nao ia resultar porque achava que o joelho ia ficar mt em esforço. O que ele me disse foi, vamos experimentar, vais com calma durante 15 dias, 1 mês e vais vendo como te sentes. Se não estiver a resultar vamos ajustando.

É o que tenho feito e felizmente sem dores, e sinto me mt mais confortavel na bike.
E isso é mesmo o que interessa! Que nos sintamos confortáveis e evitemos lesões desnecessárias e, por isso mesmo, voltando ao tópico, os pedais CB decididamente ajudaram-me bastante.

Contudo, isto é como tudo na vida. Por eu me adaptar muito bem aos Crank Brothers não quer dizer que todos se adaptem da mesma forma, e que todos consigam retirar o mesmo proveito.

Seria fantástico se o nosso mercado fosse maior e permitisse fazer aquilo que um outro membro sugeriu atrás - experimentar. Infelizmente ainda não temos mercado para isso, o que - muitas vezes - nos obriga a gastar dinheiro desnecessariamente.
 

Mendas

Active Member
#33
Estimo rápidas melhoras. Assim como a todos aqueles que sofrem de alguma maleita que, de alguma forma, influencie negativamente a nossa vida.



Plenamente de acordo! Daí que não ache muito ético estar a citar nomes. Como já o fiz, adianto que partilho da mesma opinião, especialmente porque como seres imperfeitos que somos, todos temos dias bons, menos bons, e maus.

Presumo que tenha encontrado o João num dia menos bom. Não quero com isto dizer que ele não foi simpático comigo, antes pelo contrário!

Todavia, fiquei com uma nítida impressão que o João e os seus colaboradores estavam mais interessados em vender-me componentes num Bike Fit, do que propriamente adaptar-me a bicicleta funcionalmente.

Para além disso, fiquei surpreso quando recebi o relatório por email. Nele não consta qualquer ângulo medido. Telefonei-lhe e comentei essa lacuna, ao que me respondeu que a Biketreino nunca divulga ângulos, e que eles fazem unicamente parte do seu banco de dados.

Achei estranho, porque esses ângulos são uma boa referência para percebermos que alterações sofre o nosso próprio corpo com o avançar da idade, e com as novas posições que invariavelmente vamos adaptando na bicicleta.

Também não me fizeram avaliação física. Colocaram-me em cima da bicicleta com os sensores e... força! O Facão demorou mais tempo comigo antes de me por na bicicleta (a propósito de perceber as minhas lesões, flexibilidade a vários níveis, objectivos...), do que a Biketreino levou a fazer-me o Fit.

Bem... O post já vai longo e nem sequer está dentro do âmbito do tema original.

Reitero o que disse no início: Não duvido que o João possa ser um bom profissional. Eu não tive muita sorte. Só isso! Há dias assim! E, mais uma vez, concordo com o que afirmaste. Uns gostam outros não. É assim em tudo na vida e aqui não é diferente.
Eu acho mt bem que se divulgue nomes e se exponha aqui as situações, eu percebo mt, mas mt poucoo disto, como tal, nao consigo afirmar se fulano A ou B, não percebe do assunto, mas podemos sempre emitir a nossa opinião constatando factos.

Eu acho, e se estiver enganado, corrijam-me sff, que um bike fit não é só o momento do bike fit, ou seja, o que tu pagas não é só para o tempo que tiveste a fazer o fit, se te surgirem problemas, ou algum tipo de dor, devemos lá voltar para que se perceba e se tente resolver o problema.
 

Mendas

Active Member
#34
Só houve um "se não" no meu fit, entrei lá com uma bike e sai de lá com uma BURRA, chama-se albertina, está bastante confortável e gosto bastante de montá-la :D

 

Carolina

Well-Known Member
#35
Eu acho, e se estiver enganado, corrijam-me sff, que um bike fit não é só o momento do bike fit, ou seja, o que tu pagas não é só para o tempo que tiveste a fazer o fit, se te surgirem problemas, ou algum tipo de dor, devemos lá voltar para que se perceba e se tente resolver o problema.
Isso pode depender do sitio onde se faz o bikefit. Nalguns sitios só se paga 1 vez e podes lá voltar as vezes que forem necessárias com a mesma bicicleta. Se for uma bicicleta diferente pagas menos.

Não sei se em todo o lado será assim.
 
#36
Só houve um "se não" no meu fit, entrei lá com uma bike e sai de lá com uma BURRA, chama-se albertina, está bastante confortável e gosto bastante de montá-la :D


pode ser impressão minha ao ver a foto...mas parece-me k bike é ligeiramente pequena pra ti....isso está cheio de "compensações" que à primeira vista acho estranh (selim bem subido + esse avanço invertido e manetes a parecer estarem a apontar muito pta cima)-

ps. essa fita cardíaca foi colocada nesse local também no bike fit? :p
 
#37
pode ser impressão minha ao ver a foto...mas parece-me k bike é ligeiramente pequena pra ti....isso está cheio de "compensações" que à primeira vista acho estranh (selim bem subido + esse avanço invertido e manetes a parecer estarem a apontar muito pta cima)-
Como ele tem o selim tão subido, tem de puxar a parte do guiador e manetes bem para cima para não ficar com as mãos dormentes. A menos que seja bem leve e tenha boa flexibilidade
 

Mendas

Active Member
#38
pode ser impressão minha ao ver a foto...mas parece-me k bike é ligeiramente pequena pra ti....isso está cheio de "compensações" que à primeira vista acho estranh (selim bem subido + esse avanço invertido e manetes a parecer estarem a apontar muito pta cima)-

ps. essa fita cardíaca foi colocada nesse local também no bike fit? :p
Boas, pelo que me foi dito no fit, se comprasse o tamanho acima teria de andar com avanço mais curto, ou seja a bike indicada para mim são as de endurance.



Esta tambem tem o avanço invertido ;)