Ajuda na compra de uma bicicleta gravel

#21
Olá!

Parece que a tua ideia para a bicicleta é semelhante à minha.

Podes ver aqui o que me levou a optar pela Gravel:
http://www.forumciclismo.net/index.php?threads/gravel-em-busca-da-aventura.19000/page-5#post-415820


Em relação à bicicleta, dentro do teu orçamento, eu optaria por algo que me parecesse bonito. Uma bicicleta bonita (aos nossos olhos) é uma bicicleta que vamos querer utilizar. Isso para mim também é muito importante.

Depois é o bolso que conta. Porque todas precisam de pernas. É o bom do ciclismo. É democrático.

As da Decathlon parecem muito boas em relação qualidade/preço.

Com outras marcas já sabes que estás também a pagar um pouco a marca. Mas isso é mesmo assim. A minha é uma 3T, mas era o que eu queria e podia. Cada um sabe de si.

A Gravel, como podes ler no meu post citado, é muito polivalente e, ao contrário do que muita gente pensa (normalmente quem nunca andou numa), é o ideal para uma cidade como o Porto e arredores.

Se andas pela cidade, mas também queres andar por Matosinhos, Leça, Perafita, Maia, Angeiras, etc., Gravel é uma bela opção. A melhor, para mim.

Já tive btt, já tive estrada, agora só tenho a Gravel. Saio de casa em asfalto, passo pelo paredão em areia, faço o passadiço em madeira, passo por lavra pelos trilhos em terra, volto pelo paralelo (aquele grande e espaçado de Lavra), faço o trilho do btt Matosinhos na Quinta Seca e no aeroporto, venho a abrir de volta pelo asfalto e ainda vou ao parque da cidade.

É impossível fazer isto numa de estrada e é uma seca numa btt.


Uma bicicleta de estrada é espectacular, mas não é polivalente.

Uma btt é espectacular para monte, mas uma seca valente na cidade.
Antes de mais, obrigado pelo tempo que dispensaste aqui.

Claramente me convenceste com o teu discurso, principalmente com os exemplos concretos que deste.

Vou investigar melhor o mercado, porque este momento de reflexão serviu para perceber que claramente não quero a RC520 da decathlon e prefiro aumentar bem mais o capital.

Gostei dessa da Cube verde oliva que o Illuminatus enviou, por isso já vou começar a procurar algo dentro desses orçamentos.
 
#24
Neste mundo é assim, aquela tem mais um botão 200, que lá mais dois ferrinhos 300, a outra 5 quadrados700 e por aí fora, no fim gastasse o dobro e vai-se aos mesmos sítios, isto os que vão, algumas vão para a parede
Não se pode olhar muito para o lado se não.........
 

kostaviks

Well-Known Member
#25
Vê as Canyon Grail para gravel mais light ou se quiseres algo ainda mais polivalente com possibilidades ínfimas para aparelhar material para bikepacking as GRizl.
Neste momento as GRizl penso só haver com quadro em carbono. Mas sei que a coleção de 2022 terá alumínio. Muito bom material.
 

kostaviks

Well-Known Member
#26
Acho essa Specialized demasiado cara para o equipamento que trás.
Sinceramente, na zona do Porto não estou a ver grandes sitios para Gravel, posso estar errado...

Sobre a bicicleta, essa que aí está tem o mesmo nível de equipamento desta, excepto o pedaleiro que é inferior na Specialized:
https://www.cube.eu/uk/2022/bikes/road/gravel/nuroad/cube-nuroad-deeptealnblack/

São quase 400€ de diferença!

Boa pinta e excelente preço
Edit:. Depois de ver os componentes, o preço já não me parece assim tão bom... :rolleyes:
 
#27
#35
Não ia para nenhuma dessas
Ia para a Triban RC 520, não a versão Gravel - https://www.decathlon.pt/p/bicicleta-de-estrada-triban-rc520-travao-de-disco/_/R-p-301734
São 100€ de diferença e basicamente a diferença é o guiador e os pneus (corrijam-me se estiver enganado, mas não vi nenhuma outra diferença)
Será que precisas mesmo de uma guiador voltado para Gravel?
Eu com os 100€ de diferença trocava os pneus 28 da RC520, metia uns 36 ou 38 e ainda sobrava dinheiro para porta bidões, ferramentas...
Não escolheria a versão que traz SRAM Apex porque só tem uma coroa à frente e acho que isso é demasiado limitado para uma bicicleta de estrada que irá andar em vários tipos de terreno.
A diferença não é "só" o guiador e pneus. A forqueta é diferente (tem mais tire clearance e furação para colocação de alforges, por exemplo no caso da versão gravel) e admiraria-me se a própria geometria das bicicletas não fosse diferente (mas confesso que não perdi tempo a confirmar).



Gravel Noob, pelo teu nome de utilizador não consegui perceber qual o teu género (masculino, feminino ou outro) mas atenção que a gama Contessa da Scott refere-se a bicicletas com características específicas para mulheres.
 
#36
A diferença não é "só" o guiador e pneus. A forqueta é diferente (tem mais tire clearance e furação para colocação de alforges, por exemplo no caso da versão gravel) e admiraria-me se a própria geometria das bicicletas não fosse diferente (mas confesso que não perdi tempo a confirmar).





Gravel Noob, pelo teu nome de utilizador não consegui perceber qual o teu género (masculino, feminino ou outro) mas atenção que a gama Contessa da Scott refere-se a bicicletas com características específicas para mulheres.
Nem tinha reparado nisso, mas, entretanto, as bicicletas do post inicial não fazem parte das possíveis escolhas atuais. Obrigado!
 
#37
Tem 4 meses de uso e ainda tem a fatura original com 2 anos de garantia em loja física. O que é algo que me dá alguma segurança.
Com garantia e nova em folha já é preciso rezar, usada são duas rezas e se o vendedor não for oficial dessa marca, são muitas rezas
Isto das garantias nas bicicletas é quase um sorteio, ou tens sorte ou não tens nada
 
#38
Primeiramente convém é acertar no orçamento, é que já vai quase no dobro do inicial.
Se andares sempre a alterar vai ser difícil de acertar em algo e até mesmo o pessoal ajudar em algo mais concreto.
 
#39
Viva! Não sei se venho ajudar à escolha, ou lançar ainda mais confusão, mas passei por uma situação semelhante, em que decidi trocar a minha velhinha BTT roda 26, por algo mais polivalente.
Uma decisão que tomei logo, foi em não comprar nova. Salvo uma ou outra exceção, acho os valores das bicicletas novas algo altos, para o que oferecem. Parece que o Gravel está um pouco na moda, e as marcas já se aperceberam disso.
Depois de dois ou três meses de pesquisa, lá encontrei uma Merida Silex 300, de 2020, pela módica quantia de 750 euros. E em loja física, de confiança, o que pesou bastante na decisão. Fiz a compra mesmo sem ver a bicicleta, e não me arrependo. Estava nova!

https://www.merida-bikes.com/en/bike/139-139/silex-300

Como pontos positivos, e para além do obvio bom preço, em relação ao de nova (cerca de 1350 euros), estou rendido à transmissão 1X11 (Na de BTT ainda tinha 3X9), à polivalência que oferece, e à boa posição de condução. Como pontos menos positivos, vêm aquelas coisas que não têm grande volta a dar, porque sejamos realistas, é uma bicicleta de gama baixa. São os travões mecânicos que são uma dor de cabeça para afinar, e chegam ao limite rápido, é o desviador traseiro, pouco suave e o eixo pedaleiro, que acho que se queixa um bocado, quando aplicamos mais alguma força nos cranks.
Mas, para já, está a cumprir bem com o pretendido.
Por isso e se tiveres um agente Merida na tua zona, passa por lá, e vê se têm alguma em exposição. Pode ser uma possibilidade...
 
#40
Viva!
Uma decisão que tomei logo, foi em não comprar nova. Salvo uma ou outra exceção, acho os valores das bicicletas novas algo altos, para o que oferecem. Parece que o Gravel está um pouco na moda, e as marcas já se aperceberam disso.
.
Neste momento o problema é estarem todas na moda, alem de moda não existem para entrega e usadas já vi uma igual a minha, á pouco tempo, pelo mesmo preço que quis vender a minha a 3 anos e acabei por não a vender por achar que a queriam dada, na altura devia ter uns 500km e agora devem de ser uns 20000km e não tem mais porque tive muita ronha nestes quase dois anos e de castigo por ter caído da bicicleta